terça-feira, 29 de novembro de 2011

Filipenses 4.4-9–parte 5/5–Pensamentos e Atitudes Saudáveis


PENSAMENTOS E ATITUDES SAUDÁVEIS

 

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.  O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco. (Filipenses 4:8-9 RC)

 

01. O grande Teólogo de nossos dias, Dr. Russell Philip Shedd, em seu livro “Alegrai-vos no Senhor – uma exposição de Filipenses”, conta de uma vez quando dormia em um acampamento em Piauí. Diz ele que acordou bem cedo, antes mesmo de a luz do sol começar a clarear indicando um novo dia, e escutou um barulho de asas betendo dentro de seu alojamento. Algum tempo depois ele percebeu que se tratava de morcegos que, agilmente, devido ao sistema de radar que eles possuem, entravam e saiam por alguma abertura no teto, à procura de insetos. Nesse instante ele se lembrou de um dito que ele conhecia, dito este que rezava que não se pode evitar que os “morcegos” penetrem em nossas cabeças, mas não somos forçados a lhes permitir fazer ninhos em nossos cabelos.

02. Os pensamentos são assim. Eles simplesmente “aparecem” em nossas mentes, mesmo quando não os estamos direcionando para algum assunto em particular.

a.    Não temos condições de, acordados, ficar sem pensar qualquer coisa.

b.    Mas podemos vigiar nossos pensamentos e fazer uma triagem, isto é, uma seleção.

c.    Podemos e devemos criar esse hábito, e o versículo 8 de Filipenses 4 apresenta-nos alguns bons “endereços” para onde podemos direcionar nossos pensamentos.

03. Mas não devemos cuidar apenas dos pensamentos, e, por isso, Paulo diz, no v. 9: “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco.” Aliás, quando Paulo diz: “nisso pensai”, ele está querendo dizer mais do que simplesmente pensar por pensar. O termo grego utilizado tem o sentido de refletir, mas não simplesmente refletir, e, sim, refletir considerando e permitindo que as coisas consideradas afetem o curso da existência de quem nelas pensa.

04. Voltando ao versículo 8, vamos pensar um pouquinho nos bons “endereços” que ali encontramos, para onde devemos direcionar os nossos pensamentos:

 

I. Tudo o que é verdadeiro

 

05. O termo grego usado aqui é “alethe”, e tem o sentido de algo que é correspondente aos fatos, legítimo, oposto a falso ou hipócrita.

06. Aprendemos pela Palavra de Deus que Deus é a fonte originária da verdade, e, portanto, pensar no que é verdadeiro, para o crente, consiste em pensar (pensar no sentido exposto acima) naquilo que é consistente com a natureza, a vontade e a lei de Deus.

07. Partindo deste ponto de vista, podemos dizer que não é simplesmente por ser verídico que algo deve ser objeto de nossa “consideração”. É certo que Paulo disse TUDO que é verdadeiro, mas ele disse também, que é preciso ser honesto (respeitável), puro, amável, de boa fama...

           

II. Tudo o que é honesto (mais precisamente ‘respeitável’)

 

08. O original grego indica algo que é honroso, venerável, respeitável, digno de elevado reconhecimento.

09. Esse “endereço” para onde o crente deve direcionar o seu pensamento é muito oportuno nos dias atuais, dias estes em que constantemente somos bombardeados por conversas, livros, artigos, programas de TV, etc., que capturam os nossos pensamentos e escravizam os nossos cérebros. Precisamos ser sábios na escolha do que lemos, conversamos ou vemos na TV, costumeiramente, para mantermos a “sobriedade” de nossas considerações, para mantermos a nossa mente cheia de considerações dignas de elevado reconhecimento.

10. Eu penso que neste ponto muitos crentes, incluindo a mim, terão que fazer um esforço muito grande para se livrar de hábitos nada saudáveis para os pensamentos, substituindo-os por outros mais veneráveis.

 

III. Tudo o que é justo

 

11. O termo grego utilizado é dikaia, e tem o sentido de algo que é satisfatório em todas as obrigações para com Deus, para com os nossos semelhantes e para conosco mesmos.

12. Não se trata do que é justo segundo os homens, e, sim, segundo Deus, e, nesse caso, a lei do amor deve ser a base para a enumeração daquilo que é justo.

13. Paulo diz, em Romanos 12.2, que os irmãos não devem ficar agindo segundo a filosofia do mundo, antes, devem buscar uma transformação pela renovação da mente, a fim de experimentarem a boa. Perfeita e agradável vontade de Deus.

14. No A.T. encontramos um bom exemplo de justiça segundo Deus. Trata-se da restituição do penhor a um homem pobre ao anoitecer, quando este penhor for a sua veste: “Porém, se for homem pobre, te não deitarás com o seu penhor. Em se pondo o sol, certamente lhe restituirás o penhor, para que durma na sua roupa e te abençoe; e isto te será justiça diante do SENHOR, teu Deus.” (Deuteronômio 24:12-13 RC)

15. Encher as nossas mentes com pensamentos de justiça significa substituir os nossos pensamentos egocêntricos pelos pensamentos de Cristo.

 

IV. Tudo o que é puro

 

16. A palavra puro indica algo que não é contaminado, ou poluído. Aqui ela é aplicada principalmente no sentido moral, e mui especialmente no que diz respeito ao sexo.

17. Russell Shedd comenta que “mente pura deve ser mente casta, como a “virgem pura” que Paulo idealizava para a igreja ao comparar os coríntios a uma moça aproximando-se das núpcias” (II Co. 11.2).

18. Ele também diz que “entre os ‘morcegos’ que mais perturbam a mente do cristão, se destaca a impureza sexual. Encabeçam, nas Epístolas, as listas dos pecados que os seguidores de Cristo devem mortificar... Nossa cultura ocidental estimula o pensamento impuro por todos os meios de que dispõe: propaganda, revistas, quadros, programas sensuais na TV, filmes eróticos, livros e conversas sugestivas”

19. Veja o que A. W. Tozer escreveu a algumas dezenas de anos:

 

“O período em que vivemos bem pode passar à história como a Era Erótica. O amor sexual foi elevado à posição de culto. Eros tem mais cultuadores entre os homens civilizados de hoje do que qualquer outro deus. Para milhões o erótico suplantou completamente o espiritual... Entre os favores que contribuíram para isso estão o fonógrafo e o rádio...; o cinema e a televisão que possibilitam a toda a população focalizar... [vários tipos de sensualidade]... campanhas publicitárias astutamente idealizadas, fazem do sexo a isca...”

 

20. Como manter, hoje em dia, a mente direcionada para aquilo que é puro?

a.    Não será fácil.

b.    Exigirá muita disciplina, muita renúncia, muita luta e uma completa dependência do Espírito Santo de Deus.

 

V. Tudo o que é Amável

 

21. Pensar em tudo o que é amável significa encher a mente com aquilo que promove amor e união.

22. Inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, etc., devem ser arrancados de nossa mente.

 

VI. Tudo o que é de boa fama

 

23. Significa aquilo que merece louvor e comentários de apreciação.

24. Paulo termina o versículo 8 dizendo: “...se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”.

25. Isso quer dizer que a nossa mente deve estar ocupada com aquilo que possui excelência moral e que é elogiável.

 

Conclusão

 

26. Durante essas Quintas-feiras em que estivemos estudando os versículos 4-9 de Filipenses 4, vimos sobre:

a.    Alegria no Senhor;

b.    Moderação Notória;

c.    O Antídoto Contra a Ansiedade;

d.    Paz que Vem de Deus e, hoje,

e.    Pensamentos e Atitudes Saudáveis.

 

27. Essas coisas nós devemos considerar como parte de nossos ideais, isto é, objetos de nossa mais alta aspiração, coisas que buscamos com fé, na dependência de Deus, mas também com muita garra. Que Deus nos ajude nessa luta!

 

Parque Imperatriz – Novembro de 2011

 

FONTES DE CONSULTA:

SHEDD, Russell P. – “Alegrai-vos no Senhor” – Uma Exposição de Filipenses.  1ª edição, 1984, reimpressão: Novembro de 1988. Editora Vida Nova.

 

Comentário Bíblico Broadman, volume 11, 2ª edição, JUERP, 1988, p. 260.

 

TAYLOR, W. C. – Introdução ao Estudo do Novo Testamento Grego – Gramática. 9ª edição, JUERP, 1990.

 

R. N. Champlin em o Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, volume 5.

 

TOZER, A. W. – “Erótico Versus Espiritual”, em “O Melhor de A. W. Tozer”, editora Mundo Cristão

 

Filipenses 4.4-9–parte 4/5–Paz que Vem de Deus


PAZ QUE VEM DE DEUS.

 

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:7 RC)

 

01. No versículo anterior lemos: “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças.”

02. Um dos resultados de fazermos conhecidas de Deus as nossas petições, é a Paz que vem de Deus.

03. Vejamos três coisas sobre essa paz prometida:

           

Ela vem de Deus

 

04. Isso significa que ela se origina em Deus e é uma qualidade espiritual que passamos a possuir por intermédio do Espírito Santo: “...o fruto do Espírito é: ...paz...” (Gálatas 5:22 RC).

05. Isso significa também que ela independe das circunstâncias.

06. Nós temos essa paz, mas ela pertence a Deus. Jesus mesmo disse: “Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo.” (João 14:27 BLH)

 

Ela excede o entendimento

 

07. Na letra de uma música antiga, cantada por Marcos Witt, o autor se expressa:

 

Bem no fundo da minha alma há uma doce quietude,

que se difunde invadindo o meu ser;

é uma calma infinita que só poderão

os amados de Deus compreender.

 

Paz, paz, quão doce paz, é aquela que o Pai me dá!

Eu lhe rogo que inundes prá sempre o meu ser

em suas ondas de amor celestial.

 

08. A paz que vem de Deus transcende o poder de raciocínio do homem.

09. Como entender, por exemplo, a presença da paz onde não há razões aparentes para a sua presença?

10. Veja o exemplo de Estêvão em Atos 7:55-60.

11. Veja também o de Paulo e Silas na prisão em Filipos, em Atos 16:20-25.

12. A paz que vem de Deus excede o entendimento justamente por não ser produto de circunstâncias favoráveis, e sim um dos aspectos do fruto do Espírito.

 

Ela guarda os nossos corações e os nossos sentimentos

 

13. Guarda contra o quê?

14. Guarda justamente contra os ataques externos que querem nos arrancar a paz do coração.

15. A nossa paz própria, dependente das circunstâncias, pode facilmente ser arrancada, mas a paz que vem de Deus não pode ser arrancada e ainda nos protege contra esse perigo que é justamente o da falta de paz, o que pode trazer sérios prejuízos à nossa vida física, social e espiritual.

16. A paz que vem de Deus é a sentinela de Deus que guarda o nosso homem interior.

17. Louvado seja Deus por tão grandioso presente!

 

Concluindo:

 

18. Quero encerrar com um soneto de Mário Barreto França com alguma modificações feitas por mim:

 

A Pergunta Oportuna

 

Encontrando um camponês em pleno trabalho,

Um jovem triste, a demonstrar canseira,

Pergunta: - “É essa a estrada da cachoeira?”

- “Sim!” – o camponês responde. Ele agradece e se afasta.

 

O camponês, entretanto, orando,

Com o olhar o segue. E, quando na primeira

Curva o nota, lhe indaga com voz branda:

- “Moço, a estrada da paz você conhece?”

 

O jovem para, atônito. Regressa;

E o seu desejo de morrer confessa

Ao lavrador que à crença em Deus o induz...

 

Que nós também, na senda do destino

Possamos ajudar um peregrino

A encontrar a paz e ser feliz nos braços de Jesus.

Filipenses 4.4-9–parte 3/5 – O Antídoto Contra a Ansiedade


O ANTÍDOTO CONTRA A ANSIEDADE

 

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças.” (RC)

 

“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.” (RA)

 

“Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido.” (BLH)

 

01. Um dos mandamentos menos observados pelos filhos de Deus é esse de não permitir que a ansiedade sobre coisa alguma encontre alojamento no coração.

02. O que é ansiedade?

a.    O Minidicionário de Silveira Bueno, editora FTD, traz uma boa definição: “Angústia; incerteza aflitiva”.

b.    O Dicionário Bíblico Almeida, em a Bíblia Online, diz: Perturbação de espírito causada por incerteza e por receio”

03. Temos que reconhecer que o assunto em questão é um assunto em que todos nós encontramos dificuldades, especialmente quando situações difíceis nos sobrevém.

04. Esta exortação que encontramos neste texto, o Espírito Santo a colocou através de Paulo que, até pelo fato de haver vivido momentos de extrema dificuldade e mantido a fé, tinha autoridade para gritar alto esta mensagem.

a.    Não estejais ansiosos,

b.    não estejais inquietos,

c.    não desfaleçam na fé,

d.    seja qual for a situação, diz Paulo...

05. Rendam a Deus todas as vossas causas...

06. Ele, Deus, pode tudo!

07. Você não pode, mas Ele pode!

08. Nas Palavras do Salmo 62.11: “O poder pertence a Deus!”

09. Você não pode, mas Deus pode!

10. Fazendo uso das palavras de Tozer:

 

Deus, o Senhor Onipotente, pode fazer qualquer coisa difícil com a mesma facilidade com que realiza as coisas mais simples, porque tem em Suas mãos todo o poder do universo. Todos os seus atos são feitos sem esforço. Ele não desgasta a Sua energia nem precisa recuperar forças, nem buscar fora de Si mesmo uma renovação de poder. Todo poder está plenamente contido dentro do Seu próprio ser infinito.

 

11. Nós não podemos, mas Deus pode!

12. O Deus a quem nós servimos pode e será sábio de nossa parte entregar a Ele todas as nossas causas.

13. Jesus também apregoou esta mesma mensagem:

 

“Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? {ao curso da sua vida; ou à estatura} E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?  Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?  Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas;  buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.  Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.” (Mateus 6:25-34 RA)

 

14. O antídoto para a ansiedade, diz Paulo e diz Jesus, é a fé;

a.    é com fé nos colocarmos diante do Senhor, e declarar-lhe (mesmo que ele já saiba), tudo aquilo que nos perturba, e deixar tudo isso ali aos seus pés.

b.    TUDO, pois, “nada há grande demais para o poder do Senhor, e nem pequeno demais para escapar à atenção de seu amor paternal”.

c.    Devemos fazer isso “com ações de graças”, isto é, nos lembrando, com gratidão em nossos corações, das bênçãos e das vitórias passadas, sabedores que a mesma esperança que nos enchia o peito no passado é boa para o futuro.

15. O antídoto para a ansiedade é deixar tudo nas mãos daquele que é o real dono de Todas as coisas, inclusive dono de mim mesmo, dono de meu filho...,

16. O antídoto é deixar tudo nas mãos de Deus e descansar no fato de saber que aquilo que vier a acontecer estará acontecendo com algo ou alguém que não é meu, mas de Deus, e, portanto, sob permissão e controle de Deus.

17. Não se trata de não fazer nada, mas de fazer o que nos é possível e descansar em Deus pela fé.

18. Pedro também diz: “Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês.” (1 Pedro 5:7 BLH)

19. Aos Romanos Paulo disse: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto.  Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” (Romanos 8:28-29 RC). A NVI, ao invés de : “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente...”, diz: “Sabemos que Deus age em todas as coisas...”.

20. Os versos subsequentes, do texto acima, dizem: “Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes, o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?” (Romanos 8:31-32 RC)

21. Esforcemo-nos por viver, amados irmãos, com fé e pela fé. Não deixemos que nada venha nos fazer demover de nossa firmeza.

22. Não posso dizer que é fácil, mas é assim que um filho de Deus deve viver. Nos tempos de refrigério ou nos tempos de aflições, a fé em Deus é o elemento essencial.

 

=======================

 

Naquele que é Senhor sobre tudo e sobre todos e a quem tudo pertence e de quem nada foge ao controle,

Walmir

Filipenses 4.4–9–parte 2/5–Moderação Notória


MODERAÇÃO NOTÓRIA

Filipenses 4.5:

“Seja a vossa eqüidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor.” (RC)

 

“Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor.” (RA)

 

1.    epieikhv (epieikes - ep-ee-i-kace) = Clemência, gentileza, graciosidade, complacência, calma, comedimento, prudência.

2.    Tudo isso se resume numa só palavra: MODERAÇÃO.

3.    O crente, ensina Paulo, precisa ser moderado em tudo, mas principalmente quando se trata da reinvindicação de direitos pessoais e aplicação da justiça (Reveja o significado da palavra original).

4.    Jesus contou certa vez uma parábola, a parábola do credor incompassivo, que pode muito bem ilustrar o que estou querendo dizer aqui:

 

“Por isso, o Reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos;  e, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos.  E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher, e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse.  Então, aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.  Então, o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida.  Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos que lhe devia cem dinheiros e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves.  Então, o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.  Ele, porém, não quis; antes, foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.” (Mateus 18:23-30 RC)

 

5.    Nesta parábola vemos alguém que foi além de moderado, tanto na reinvindicação de seus direitos pessoais quanto na aplicação da justiça; e também vemos alguém que, mesmo sendo beneficiado pela mais que moderação de alguém a quem ele devia uma grande soma de dinheiro, não foi nada moderado, aliás, foi extremamente severo na reinvindicação de seus direitos pessoais e na aplicação da justiça.

6.    Há outros versículos bíblicos que podem nos trazer luz sobre este assunto:

 

“Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo?” (Eclesiastes 7:16 RC)

 

“E ao servo do Senhor não convém contender, mas, sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor” (2 Timóteo 2:24 RC)

 

“que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda mansidão para com todos os homens.” (Tito 3:2 RC)

 

“com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor” (Efésios 4:2 RC)

 

“E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo também que o Senhor deles e vosso está no céu e que para com ele não há acepção de pessoas.” (Efésios 6:9 RC)

 

“suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.” (Colossenses 3:13 RC)

 

7.    Essa qualidade, moderação, irá evitar o endurecimento de nosso espírito.

8.    Com quais pessoas devemos ser moderados? Será que é só com os domésticos na fé? Não! Paulo diz que é com todos os homens: “Seja a vossa moderação notória, conhecida de todos os homens”.

9.    “Ninguém é tão mal-educado que não seja gentil com alguém, por algum motivo, em alguma ocasião; [mas] o crente deve sê-lo para com todos os homens e em todas as ocasiões” (Faucett – citado por R. N. Champlin em o N. T. Interp. V. por V., volume 5, página 62)

10. “Seu espírito doce e cordato servirá de boa propaganda de tua fé cristã” (Matthew Arnold - citado por R. N. Champlin em o N. T. Interp. V. por V., volume 5, página 62)

11. Mas, prestem bem atenção: ser moderado nesse sentido que falamos aqui não significa que devemos deixar de lado a reinvindicação de nossos direitos pessoais e a aplicação da justiça, e, sim, que não devemos ser extremamente severos nestas coisas.

12. “Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus.” (1 Coríntios 10:32 RC)

13. Amém!