sexta-feira, 28 de maio de 2010

SERVINDO AO DEUS VIVO E VERDADEIRO

SERVINDO AO DEUS VIVO E VERDADEIRO

 

"porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir ao Deus vivo e verdadeiro e esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura." (1 Ts 1:9-10 RC)

 

1.    A maior bênção que podemos receber na vida, bênção essa que está englobada a e engloba muitas outras, é a bênção de servir ao Deus Vivo e Verdadeiro.

2.    Servir significa "ser útil a", "prestar serviço de qualquer natureza".

3.    Sendo assim, todos nós servimos de alguma maneira, ainda que às vezes involuntariamente, ainda que por motivos nada nobres, egoístas até.

4.    No que tange à vida espiritual, também é assim. Servimos...

a.    a Deus

b.    ou ao inimigo.

5.    Agora veja bem o que temos no texto apresentado. Esse texto mostra pra nós que a conversão a Deus, para ser útil, servir a Ele, é uma bênção que devemos desejar. Quanto àqueles Colossenses convertidos diz Paulo:

a.    Antes eles serviam o que não era vivo e / ou verdadeiro;

b.    Após se converterem tornaram-se servos do Deus que é Vivo e Verdadeiro;

c.    Quando eles serviam o que não era vivo e / ou verdadeiro, o que os aguardava era a ira futura, o juízo vindouro de Deus;

d.    Mas, uma vez convertidos e servindo ao Deus Vivo e Verdadeiro, o que ou quem os aguarda é Jesus, que livra dessa ira futura.

6.    É por isso que eu disse logo no início que servir a Deus é a maior bênção que podemos receber na vida.

7.    Se você ainda não serve a Deus por intermédio de Jesus, se você ainda não se converteu a Cristo, você está perdendo a bênção e, pior, está ainda sob a ira de Deus. Veja o que diz João 3.36: "Aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece"

8.    Agora, uma coisa importante, relacionada a esse assunto, que não podemos deixar de observar é como estamos servindo a esse Deus que é Vivo e Verdadeiro e que nos dá a vida eterna livrando-nos da ira futura.

9.    Como você tem servido a Deus?

10. Adauto Lourenço em uma de suas palestras na II Conferências Fiel para Jovens, falando sobre a construção da Arca de Noé, enfatiza que aquilo que vamos fazer para Deus devemos fazê-lo com esmero. É para a glória de Deus... tem que ser o melhor possível, o melhor de nós. Não podemos servir seguindo a lei do mínimo esforço e do menor tempo.

11. Como você tem servido a Deus?

12. Como você tem trabalhado com os projetos de Deus na e para a sua vida?

13. Como devemos servir ao Senhor, a esse Deus Vivo e Verdadeiro que, em Seu Filho nos livra da ira futura?

14. Vejamos algumas idéias:

 

I. Devemos servir a Deus com diligência.

 

1.    Lemos assim no Salmo 119: "Bem-aventurados os que trilham caminhos retos e andam na lei do SENHOR. Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos e o buscam de todo o coração. E não praticam iniqüidade, mas andam em seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos." (Salmos 119:1-4 RC)

2.    Qual o significado da palavra diligente?

3.    Aplicado, esforçado, ativo, decidido, dinâmico, eficaz, zeloso... são algumas palavras que podem descrever o significado de diligente.

4.    Sendo assim, diligente em servir ao Senhor é aquele crente que se importa (na prática) com a causa divina, zela por ela e age decididamente em prol dela, ocupa-se com essa causa.

5.    Você faz isso?

6.    Toda e qualquer pessoa na igreja pode ocupar-se com a causa. Não há desculpas.

 

II. Devemos servir a Deus com integridade e fidelidade

 

1.    Encontro essa informação em Josué 24.14: "Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do rio e no Egito, e servi ao SENHOR." (RC).

2.    A versão RA usa as palavras integridade e verdade. O sentido é o mesmo.

3.    O sentido é ser inteiramente dedicado ao Senhor e servi-lo inteiramente de acordo com a vontade Dele, com muita firmeza, constância, estabilidade... retidão! É ser o que se deve ser segundo o padrão apresentado por Deus em Sua Palavra.

 

III. Devemos servir ao Senhor através de um viver digno e perfeito

 

1.    Veja o exemplo de Paulo no verso 9 de nosso texto inicial

2.    Veja o que diz o mesmo Paulo em Efésios 4.1

3.    Veja Também 2 Pedro 3.10-14

 

*      Imaculado – puro; inocente; não manchado.

*      Irrepreensível – que não pode ser censurado; inocente; correto.

*      Não somos imaculados como Deus o é, e nem irrepreensíveis como Deus é irrepreensível.

*      Entretanto, somos exortados a vivermos dessa forma.

*      O que Deus quer dizer com isso? R.: O mesmo que foi dito de Zacarias e Isabel (At. 1.5-6), Enoque, Noé e muitos outros: que mesmo situados em um mundo de impiedades e sendo pecadores nós podemos, pela graça de Deus, viver de um modo que O agrade.

 

4.    Deus não quer menos que isso de nós. Romanos 8.29 diz que fomos predestinados para sermos conformes à imagem de Jesus Cristo.

5.    É nosso dever viver a constante ambição de em tudo sermos agradáveis a Jesus, como nos mostra em palavras e atitudes o apóstolo Paulo.

 

IV. Devemos servir ao Senhor com alegria e liberalidade, constrangidos pelo amor de Cristo e não coagidos pela igreja ou o pastor.

 

1.    Veja o Salmo 100.2.

2.    Veja 2 Coríntios 5.14.

 

V. Devemos servir ao Senhor com humildade, ausência de orgulho, trazendo sempre em nossa mente a lembrança de que o que somos o somos em Cristo e por causa de Cristo.

 

1.    Veja Colossenses 3.12.

2.    Veja 1 Pedro 5.5.

 

Concluindo

 

1.    Tragamos sempre em mente que fomos salvos por Jesus; fomos, em Cristo, livres da ira futura e que somos servos do Deus Vivo e Verdadeiro e que, a esse Deus devemos servir

a.    com diligência.

b.    com integridade e fidelidade

c.    através de um viver digno e perfeito

d.    com alegria e liberalidade, constrangidos pelo amor de Cristo e não coagidos pela igreja ou o pastor.

e.    com humildade, ausência de orgulho, trazendo sempre em nossa mente a lembrança de que o que somos o somos em Cristo e por causa de Cristo.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves
 

quinta-feira, 20 de maio de 2010

CONDIÇÃO, OPORTUNIDADE, OPOSIÇÃO E ATITUDE

CONDIÇÃO, OPORTUNIDADE, OPOSIÇÃO E ATITUDE

 

1.    Leiamos, a princípio, os seguintes textos bíblicos:

 

"... Ouvi-te em tempo aceitável e socorri-te no dia da salvação; eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação" (2º. Coríntios 6:2 RC)

 

"... exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado" (Hebreus 3:13 RC)

 

"E aconteceu que, chegando ele perto de Jericó, estava um cego assentado junto do caminho, mendigando. E, ouvindo passar a multidão, perguntou que era aquilo. E disseram-lhe que Jesus, o Nazareno, passava. Então, clamou, dizendo: Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim! E os que iam passando repreendiam-no para que se calasse; mas ele clamava ainda mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Então, Jesus, parando, mandou que lho trouxessem; e, chegando ele, perguntou-lhe, dizendo: Que queres que te faça? E ele disse: Senhor, que eu veja. E Jesus lhe disse: Vê; a tua fé te salvou. E logo viu e seguia-o, glorificando a Deus. E todo o povo, vendo isso, dava louvores a Deus." (Lucas 18:35-43 RC)

 

2.    Olhando para estes textos, especialmente o do cego de Jericó, vamos pensar em 4 coisas:

a.    Em nossa condição diante de Deus, como pecadores;

b.    Na oportunidade que Jesus nos oferece de mudar essa condição;

c.    Nas oposições que sobrevém àquele que quer aproveitar a oportunidade e

d.    Na atitude diante de tais oposições.

3.    Vamos então à nossa primeira consideração:

 

I. Condição

 

1.    Cego e mendigo.

2.    Esta era a condição do homem sobre o qual acabamos de ler.

3.    Você pode se imaginar numa situação como esta?

4.    Este homem serve de figura da situação do homem sem Cristo, cuja condição espiritual é a de cego e mendigo.

a.    Cego – É cego porque seus olhos ainda não foram abertos para enxergar a sua situação a ponto de buscar a solução naquele que a tem – Jesus.

                                  i.    É interessante o que é dito da igreja de Laodicéia, em Apocalipse 3.17, diante da concepção errônea que ela fazia de si mesma. Àquela igreja, e isso se aplica ao homem em geral que não enxerga a sua real situação diante de Deus enquanto não se rende a Cristo, é dito, poderíamos dizer que de uma maneira verbalmente violenta, dada a gravidade da situação, que a sua real condição era de desgraça, miserabilidade, pobreza, cegueira e nudez – tudo isso, é certo, diante de Deus. Jesus aconselha aquela igreja a que Dele ela compre ouro provado no fogo para ser verdadeiramente rica, vestes brancas para fazer desaparecer a vergonha da nudez espiritual em que ela estava vivendo, e a ungir os olhos com colírio – um colírio divino, espiritual, vindo de Deus – para que ela pudesse de fato enxergar. Era uma igreja que estava vivendo uma situação de apostasia, afastamento de Deus, e não estava se dando conta disso. Assim também é o homem sem Cristo.

b.    Mendigo – É mendigo porque não tem nenhuma moeda que seja válida no céu, mesmo tendo muita que seja válida na terra.

                                  i.    A situação da igreja de Laodicéia é válida com exemplo também aqui. Aquela igreja se achava uma igreja rica e que de nada tinha falta, mas Jesus lhe revela a sua real situação diante dele: miserável e pobre.

5.    Amados, essa é, somos alertados pelas escrituras, a condição diante de Deus, do homem sem Cristo e, conseqüentemente, sem as bênçãos celestiais que só Cristo pode dar e oferece.

6.    Passemos à nossa segunda consideração:

                         

II. Oportunidade

 

1.    Pensemos agora na oportunidade que de repente aquele homem cego e mendigo percebeu estar passando diante dele.

2.    Era Jesus!

3.    Ele era cego, condição esta que o levou à condição de mendigo, e, ali bem diante dele estava passando aquele que por onde ia curava os enfermos de todas e quaisquer enfermidades, inclusive a cegueira.

4.    Ele não perdeu tempo! Começou a clamar: Jesus, filho de Davi, tem compaixão de mim!

5.    Creio que qualquer um de nós que estivesse na mesma situação que ele também faria a mesma coisa.

6.    Há oportunidades que não podemos deixar passar de forma alguma, e esta era para ele uma destas oportunidades.

7.    Bom, em nossa reflexão temos considerado o fato de que a situação daquele homem serve de figura da situação, diante de Deus, do homem sem Cristo. A situação em que ele se encontrava é, espiritualmente, a nossa situação se estamos sem Cristo. Entretanto, a oportunidade que ele teve é também a mesma que temos tido várias vezes no decorrer de nossa existência. Sempre que lemos ou ouvimos o evangelho, Jesus está a passar diante de nós oferecendo-nos a oportunidade de clamarmos a ele e sermos livres de nossa situação de miséria, de cegueira e mendicância espiritual. Agora mesmo quando estamos a tecer estas considerações, Jesus está a passar, através de sua Palavra, e se nós clamarmos a ele, ele nos ouvirá.

8.    Aquele mendigo cego não perdeu a oportunidade.

a.    E você?

b.    Vai deixá-la passar?

c.    Até quando?

d.    Um dia poderá ser tarde demais.

e.    Os outros textos lidos inicialmente dão-nos conta que hoje é o tempo propício para clamarmos a Jesus.

9.    Diz-se que as últimas palavras escritas no diário de Walter Scott foram: "Amanhã nós deveremos...",[1] mas não houve amanhã para ele. Ele morreu com a intenção de realizar alguns objetivos, mas estes não foram alcançados por ele...

10. A terceira consideração dessa noite é:

 

III. Oposição

 

1.    Voltemos ao texto e vejamos que aquele cego, quando começa a clamar a Jesus, sofre alguma oposição.

2.    E o interessante é que a oposição veio da parte dos próprios discípulos de Jesus, e a intenção até era boa.

3.    Imagine você passando, com um grande grupo de pessoas em volta, certamente falando alguma coisa a essas pessoas, e alguém começa a gritar feito um louco...

4.    É algo pra nós pensarmos, no sentido de que às vezes nós mesmos podemos estar sendo o empecilho a impedir alguém de vir a Cristo...

5.    E também é algo para nós pensarmos no sentido de que quando clamarmos a Jesus a oposição virá. Sempre tem algo ou alguém se colocando entre nós e Jesus como empecilho.

6.    Isso nos leva à nossa última consideração:

 

IV. Atitude diante da oportunidade e oposição

 

1.    Qual foi a atitude do cego diante da oposição?

2.    Ele cedeu a ela?

3.    Ela constitui-se de fato em um empecilho eficaz entre ele e Jesus?

4.    Não!!!

5.    A oportunidade era singular, e o cego não a perdeu de forma algum.

6.    Começou a clamar cada vez mais alto, sem se importar com aqueles que queriam impedi-lo.

7.    A exemplo daquele cego não podemos deixar que nenhum empecilho seja eficaz em calar o nosso clamor.

8.    O que tem impedido você?

a.    Talvez seja uma pessoa,

b.    talvez seja algo de que você goste muito e sabe que terá que deixar por não ser condizente com a vida cristã...

9.    Deixa-me contar uma história pra você:

 

Um jaburu estava caçando caramujos à beira de um lago quando viu uma belíssima ave descer das alturas. "Quem é você?", perguntou o jaburu. "Sou um cisne", respondeu a ave. "E de onde você está vindo?" "Estou vindo do céu", disse o cisne. "E como é o céu?", perguntou o jaburu. Aí, o cisne fez uma majestosa descrição do céu com suas ruas de ouro e os seus rios de cristal. O jaburu ouviu e depois indagou: "E lá existem caramujos?" "Não", replicou o cisne. "Então não me interessa", disse o jaburu. "O de que eu gosto mesmo é dos caramujos".[2]

 

10. Acredito que essa seja uma boa história para exemplificar o que muitos têm feito em relação à oportunidade que Cristo lhes oferece. Têm deixado passar por causa de coisas tão menores, tão insignificantes, tão passageiras...

11. Espero que você hoje pense bem e aproveite a oportunidade que Jesus está a lhe dar...

 

Conclusão

           

1.    Quero terminar contando uma outra história:

 

O vendedor ambulante bate à porta da casa e vai dizendo: "Minha senhora, tenho aqui linhas, agulhas, alfinetes, presilhas, zíperes, grampos, pentes, escovas..." A senhora responde: "Não preciso de nada disso já tenho tudo!" Ao que ele diz: "Então, que tal comprar esse livro de orações pra agradecer a Deus por não lhe faltar nada!..."[3]

 

2.    É isso aí! Se você já aproveitou a oportunidade, já recebeu a bênção que Jesus oferece, então viva a expressar, em palavras e ações, a sua gratidão pela bênção tão maravilhosa e tão grande que ele lhe deu.

3.    Mas se você ainda não recebeu essa bênção... é bom que você não deixe passar a oportunidade; essa pode ser a última que você está tendo.

 

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves


[1] Informação extraída do e-book de sermões e ilustrações do Pr. Walter Pacheco

[2] Ilustração extraída do e-book de sermões e ilustrações do Pr. Walter Pacheco.

[3] Ibid.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

MAIS ORAÇÕES PARA SE FAZER HOJE

MAIS ORAÇÕES PARA SE FAZER HOJE

 

1.    Os irmãos se lembram sobre o que pensamos na semana passada no culto de oração?

2.    Vamos relembrar: Olhando a oração de Moisés em Êxodo 33.12-23, pensamos em algumas partes dela como sendo uma oração para se fazer hoje. Essas partes são:

a.    Súplica a Deus por direção para o caminho;

b.    Súplica a Deus por Sua presença conosco no caminho;

c.    Súplica a Deus para que, no caminho, Ele manifeste sua glória e poder.

3.    Hoje quero ver brevemente com os irmãos mais algumas boas orações para fazermos hoje.

 

I.              Sonda-me!

 

1.    Esta é uma oração que foi feita por Davi, e nós a encontramos nos dois últimos versos do Salmo 139:

 

"Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. E vê se em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno." (Salmos 139:23-24 RC)

 

2.    O Pr. Paschoal Piragine, em seu pequeno livro intitulado "Orações que Deus Gostaria de Ouvir", inclui esta e faz o seguinte comentário:

 

"É uma oração de profunda sinceridade e entrega... É uma oração daqueles que querem ser aperfeiçoados e moldados por Deus. Com essa oração estamos dizendo: Senhor, abra a porta do meu coração, entra lá e examina as profundezas da minha alma. Analisa como é que eu sou. Peço-te que me proves diante do Teu padrão de qualidade. Examina, Senhor, absolutamente tudo o que achares dentro de mim, naqueles lugares mais profundos da minha alma. Compara, Senhor, tudo isso com o Teu padrão de qualidade. E não proves, Senhor, só as minhas ações. Prova também as intenções, os desejos, as inquietações e pensamentos. Senhor, se há algo em mim que não bate com o Teu padrão, transforma-me. Não me limpes apenas, e sim transforma, porque eu quero andar pelo caminho eterno".

3.    Você tem orado assim?

4.    Se você orar assim e Deus vier lhe sondar, o que você acha que Ele apontará como sendo caminho mau em sua vida?

5.    Mas lembre-se: não se trata de uma sondagem segundo o seu padrão de qualidade, mas segundo o Dele (Deus).

6.    Segundo o padrão de qualidade Dele, então, o que você acha que Ele vai apontar?

7.    Faça você mesmo uma sondagem antes de pedir que Deus sonde.

a.    Olhe para o seu coração,

b.    para as suas intenções,

c.    para os seus caminhos.

d.    Olhe para as coisas que você tem conquistado, que você tem adquirido ao longo da vida. Mas olhe tudo! Desde um copo até um carro! Abras as gavetas e olhe. Verifique se têm sido fruto de uma negociação honesta, aprovada por Deus

e.    Faça uma sondagem geral

8.    E você está disposto a abandonar esse caminho mau, ser transformado para andar nos caminhos eternos, renunciar, "jogar fora" o que for necessário?

9.    Se você está, então está apto para fazer esta oração.

10. Vejamos outra oração:

 

II.    Purifica-me

 

1.    Essa podemos encontrar no salmo 51.7:

 

"Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve." (Salmos 51:7 RC)

 

2.    Este Salmo está relacionado ao pecado de Davi, registrado em 2 Samuel 11, seguido da repreensão de Deus por intermédio do profeta Natã (2 Samuel 12) – Veja lá.

3.    É, portanto, uma oração de confissão e de pedido de perdão, de purificação.

4.    Trata-se também de um reconhecimento de que ele não podia redimir-se a si mesmo diante do Senhor e, portanto, clama para que o Senhor o redima.

5.    Espero que nenhum de nós tenha pecado ou venha a pecar à semelhança de Davi nessa ocasião. Entretanto, temos de reconhecer que todos somos pecadores e que, portanto, precisamos também orar como Davi,

a.    Reconhecendo e confessando nossos pecados,

b.    reconhecendo nossa incapacidade de nos purificarmos a nós mesmos e

c.    clamando, então, para que Deus nos lave com o sangue de Jesus.

6.    Purifica-me, Senhor! Se o Senhor me purificar, então ficarei mais alvo que a neve.

 

III.   Usa-me

 

1.    Em Isaías 6.8, diante da questão sobre quem poderia ser enviado a proclamar uma mensagem da parte de Deus, encontramos o profeta dizendo ao Senhor: "Eis-me aqui, envia-me a mim".

2.    Em outras palavras: "Usa-me"

3.    Senhor, usa a minha vida! Usa a minha boca, usa minhas mãos, usa meus pés, usa minha casa, usa meus bens... usa tudo o que sou e tudo o que tenho!

4.    Nas palavras do Pr. Paschoal Piragine:

 

"Usa-me, Senhor! É uma oração de entrega, é a oração da consagração, a oração da verdadeira fé. Por isso Tiago nos afirma que a fé sem as obras é morta, porquanto uma espiritualidade que não nos leve a servir a Deus e a entender como Ele pode nos usar para abençoar as pessoas ao nosso redor, levando a salvação e consolação é, no mínimo, uma fé hipócrita. Uma religiosidade que não seja capaz de nos fazer ser uma bênção concreta e prática é vazia de autenticidade e muito semelhante àquela espiritualidade condenada por Jesus nos escribas e fariseus do seu tempo."

 

5.    Precisamos fazer essa oração!

6.    Se quisermos que o Senhor nos use precisamos nos colocar à sua disposição.

7.    Se quisermos ser parceiros de Deus na grande obra da salvação e transformação de almas – e a vida do crente não terá sentido se ele não o for – precisamos fazer essa oração com sinceridade no coração.

 

Conclusão

 

1.    Sonda-me, ó Deus!

2.    Purifica-me!

3.    E usa-me!

4.    É tempo de nos prostrarmos diante do Senhor com orações como estas.

5.    É tempo de nos tornarmos, mais do que tudo e antes de tudo, mais do que e antes de nossos interesses pessoais, ajudantes na construção do Reino de Deus.

6.    Para isso precisamos nos colocar na presença do Senhor, para que Ele nos sonde, nos purifique e nos use.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves