segunda-feira, 10 de maio de 2010

COISAS QUE NÃO PODEM FALTAR

COISAS QUE NÃO PODEM FALTAR

 

– 4 coisas que não podem faltar na igreja de Cristo –

 

1.    É interessante como nós estamos constantemente preocupados com coisas que não podem faltar. Eu não havia me dado conta disso até parar para refletir nesse tema em relação à igreja. Se você digitar em um site de busca a frase "coisas que não podem faltar" o resultado será imenso. Eis alguns deles:

a.    40 coisas que não podem faltar na infância de uma criança.

b.    10 coisas que não podem faltar na vida de uma empregada doméstica.

c.    10 coisas que não podem faltar no seu armário (guarda-roupas).

d.    Coisas que não podem faltar no convívio sadio com o seu violão.

e.    Coisas que não podem faltar se você mora ou pretende morar sozinho (o microondas é a coisa principal).

2.    E um realmente interessante, encontrada no site www.explorebrasil.com.br diz respeito a dez coisas que não podem faltar, segundo o autor Rodrigo Bastos, se você vai acampar, fazer uma expedição, uma trilha curta ou simplesmente passear na mata.  Veja quais são estas coisas:

a.    Mapa e bússola. O GPS depende de sinal de satélite e não funciona em diversas situações, como numa expedição em cânions ou numa mata muito fechada, por exemplo.

b.    Fósforos. Fonte de luz e de calor. Os ideais São os modelos à prova d'água, que podem ser encontrados nas lojas especializadas.

c.    Lanterna. Mesmo para um passeio diurno, leve uma lanterna - se você se perder e escurecer...

d.    Comida extra. Leve sempre mais do que você acha que irá precisar.

e.    Kit de primeiros socorros, e claro, conhecimentos para utilizá-lo...

f.     Protetor solar. Pode ser creme protetor com fator alto ou então boné e roupas que escondam sua pele do sol forte.

g.    Capa de chuva e roupas para o frio, independentemente do clima previsto.

h.    Canivete multifunção.

i.      Água. Parece óbvio, mas é de fundamental importância. Além de sair com uma quantidade mínima de líquidos, leve também meios de tratar a água que encontrar no caminho, como iodo, Hidrosteril ou pastilhas de cloro.

j.      Sacos de lixo, como forma de respeito à natureza e conscientização social. Traga de volta tudo o que você levou.

3.    Cito estes exemplos, mas os resultados de minha pesquisa foram milhares. Isso mostra o quanto nós somos preocupados, ainda que não nos demos conta disso, com coisas que não podem faltar.

4.    Pois bem, na vida da igreja também há "coisas que não podem faltar". São muitas e variadas. Vamos pensar apenas em quatro delas, que são: a submissão ao senhorio de Cristo; o amor fraternal; a comunhão e a evangelização.

5.    Vamos à primeira:

 

I. Submissão ao Senhorio de Cristo.

 

1.    Dentre os muitos assuntos que estão bem claros na Bíblia, o da necessidade de nos submetermos ao senhorio de Cristo se destaca. Veja o que dizem alguns textos Bíblicos:

 

Colossenses 1:18, 19 – "Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as cousas ter a primazia, porque aprouve a Deus que nele residisse toda a plenitude."

 

Efésios 1:22 e 23a – "E pôs todas as cousas debaixo dos seus pés e, para ser o cabeça sobre todas as cousas, o deu à igreja, a qual é o seu corpo..."

 

Romanos 10:9 – "Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo."

 

II Coríntios 4:5 – "Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor, e a nós mesmos como vossos servos por amor de Jesus."

 

2.    Pedro, Paulo, e os demais apóstolos se autodenominaram servos de Cristo.

3.    Paulo chegou a afirmar que não era mais ele quem vivia, mas Cristo vivia nele, e, em Romanos 6, ele orienta os crentes a que se considerem mortos para o pecado e vivos para Deus, e que não apresentem seus membros ao pecado, mas a Deus.

4.    Em I Co. 6:19 ele diz que o nosso corpo é santuário do Espírito Santo e que não somos de nós mesmos.

5.    Jesus disse que as suas ovelhas o ouvem e o seguem.

6.    Mateus 7:21 ensina que aquele que se submete à vontade de Deus, esse é que é um verdadeiro salvo.

 

O Reverendo J. Alexander Clark, missionário escocês na África, relatou um episódio deveras interessante, ocorrido nos arredores da sede do seu posto central. Tarde da noite ele ouviu gritos lancinantes. Um nativo fora atacado por uma leoa, quando regressava para a sua distante aldeia. A leoa estraçalhara o seu braço e já o arrastava para o interior de um bosque à beira da estrada. O missionário saiu correndo em seu socorro, e, com intrepidez, enfrentou o felino, desfechando-lhe vários tiros de carabina. Em seguida, o Reverendo Clark levou o nativo para a enfermaria da missão e tratou, bondosamente, dos seus ferimentos, até a obtenção da alta. Depois de três meses, o nativo procurou o Reverendo Clark, mas, na oportunidade, acompanhado de suas seis esposas, filhos, gado, jumentos e cabras. Disse: - Sr. Missionário, toda a minha família e os meus bens agora lhe pertencem. De acordo com a tradição de minha tribo, quando um homem tem a sua vida redimida, passa a pertencer, com todos os seus familiares e pertences, ao remidor![1]

 

7.    Estamos nós dispostos a render-nos a Cristo, o nosso Remidor, nas condições irrestritas em que o fez aquele rústico silvícola?

8.    A submissão a Cristo é algo que não pode faltar na igreja.

9.    Você pode encontrar isso na vida de sua igreja?

10. E na sua vida?

11. A segunda coisa a considerarmos hoje que não pode faltar na igreja de é:

 

II. O Amor Fraternal

 

1.    Por que o amor fraternal não pode faltar na vida da igreja?

2.    Algumas razões são:

a.    A Bíblia, a Palavra de Deus, na voz e pena (caneta) do apóstolo Paulo, diz que sem ele as demais coisas nada valem – Veja 1 Coríntios 13:1-3

b.    A Bíblia, a Palavra de Deus, na voz e pena (caneta) de João diz que quem não ama a seu irmão não pode amar a Deus – Veja 1 João 4:8, 20 e 21

c.    A Bíblia, a Palavra de Deus, na voz do próprio Deus na pessoa do Filho encarnado – Jesus – e pela pena (caneta) de Mateus diz que devemos amar até mesmo aos nossos inimigos – Veja Mateus 5:44-46

d.    A Bíblia, a Palavra de Deus, na voz do próprio Deus na pessoa do Filho encarnado – Jesus – e pela pena (caneta) de João, diz que o amor é a evidência de que somos discípulos de Jesus – Veja João 13:35

3.    Na Bíblia Vida Nova, ao final, vem, dentre outros, um "Esboço de Doutrina Cristã". Nesse esboço, na seção V, encontramos o seguinte sobre o amor fraternal:

 

É notável a insistência do Novo Testamento a respeito do novo mandamento que o Senhor legou aos seus: "Assim como eu vos amei, que também vós vos ameis uns aos outros" (João 13:34). É esse o meio pelo qual todos hão de conhecê-los como discípulos de Jesus: não pela revista da E.B.D. que levam na mão, ou o distintivo que usam na lapela, porém vendo seu amor uns pelos outros (João 13:35). É "mentiroso" e "não pode amar a Deus", "aquele que não ama a seu irmão" (I João 4:20). "Não conhece a Deus" (4:8) e "até agora está nas trevas"(2:9).[2]

 

4.    Bom, creio que já está bastante claro que o amor fraternal não pode faltar de jeito nenhum na vida da igreja. Sem ele a igreja não é igreja; pode ser um clube social, mas não igreja. E, como a igreja não é paredes ou tijolos, mas gente, eu e você, então o amor fraternal deve estar presente em nossas vidas, na minha e na sua, ou não somos, de fato, pertencentes à igreja de Jesus.

5.    Vamos agora à terceira coisa que estamos considerando que não pode faltar na igreja.

 

III. A Comunhão

 

1.    O que vem a ser comunhão?

2.    O Dicionário Bíblico Almeida, em A Bíblia Online, da S.B.B. diz:

 

Associação com uma pessoa, envolvendo amizade com ela e incluindo participação nos seus sentimentos, nas suas experiências e na sua vivência. Relacionamento que envolve propósitos e atividades comuns; parceria.

 

3.    Darci Dusilek, em "A Nova Vida em Cristo" – 4, escreveu:

 

Na língua grega, idioma em que foi escrito o N.T., a palavra que é traduzida por comunhão é KOINONIA. Essa palavra expressa a idéia de participação, de ter algo em comum com alguém mais. Diz respeito às coisas que compartilhamos uns com os outros e às pessoas com as quais nos relacionamos. Um companheiro, por exemplo, é um KOINONÓS. Essa comunhão pode assumir duas formas básicas: 1) Quando você permite que uma outra pessoa participe daquilo que você tem ou faz; e, 2) Quando você participa daquilo que uma outra pessoa tem ou está fazendo. Na comunhão cristã ambas essas formas têm o seu lugar.

 

4.    Tozer, em "Homem: Habitação de Deus" diz falando sobre a comunhão dos santos diz que comunhão significa

 

co-participação, especialmente em três coisas: Vida – a vida de Deus na alma dos homens; Verdade – a verdade revelada na Palavra de Deus; e de uma Presença – a presença de Deus na pessoa de seu Filho. Mas os santos só comungam dessas coisas porque Deus decidiu partilhá-las com eles. A vida é a vida de Deus, bem como a verdade e a Presença. Nesse sentido então, comunhão é Deus partilhando conosco coisas maravilhosas que pertencem a Ele.

 

5.    Só observando o significado de comunhão já podemos chegar à conclusão de que ela é algo que não pode mesmo faltar na igreja. Mas creio que ainda podemos pensar em mais algumas razões para ela não poder faltar.

6.    Darci Dusilek assim se expressou sobre a comunhão em um de seus escritos:

 

"A comunhão é algo essencial à própria vida cristã! Devemos reconhecê-la como uma necessidade espiritual, pois Deus nos fez de tal maneira que a nossa comunhão com Ele seja alimentada pela nossa comunhão com os irmãos e irmãs em Cristo. E precisamos alimentá-la constantemente para que possamos aprofundar e enriquecer nossa comunhão com o próprio Deus."[3]

 

7.    Quando há comunhão entre os irmãos a graça de Deus se manifesta abençoando. Veja o Salmo 133.

8.    A Comunhão é resultado natural do amor fraterno.

9.    A Comunhão é a expressão de vida no Corpo de Cristo.

10. A Comunhão é necessária para que o mundo creia em Jesus como o Enviado de Deus (João 17:21).

11. A Comunhão é de vital importância para a Igreja. Jesus disse que uma casa dividida contra si mesma não pode subsistir. Por isso a comunhão é uma das características fundamentais da Igreja de Jesus, algo que não pode faltar.

12. A quarta e última coisa que quero pensar com os irmãos hoje, que não pode faltar na igreja é...

 

IV. A Evangelização

 

1.    Creio que nenhum de nós tem dúvida de que precisamos pregar o evangelho.

2.    Poderíamos até parar aqui, mas ainda quero ir só um pouco mais além.

3.    Vejam esses dois trechos da Palavra de Deus:

 

... a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. (1 Coríntios 1:18-21 RC)

 

João respondeu e disse: O homem não pode receber coisa alguma, se lhe não for dada do céu. (João 3:27 RC)

 

4.    O homem é uma criatura de Deus privilegiada. Deus lhe deu um intelecto que é capaz de apreender idéias e, assim, adquirir muitos conhecimentos.

5.    As provas disso estão aí, em abundância, diante de nossos olhos, e a cada dia somos surpreendidos com mais uma façanha da ciência.

6.    Todos nós somos capazes, em menor ou maior grau, de apreender idéias e adquirir conhecimentos.

7.    Mas há um tipo de conhecimento que o homem, por si só, apenas usando o intelecto, não é capaz de captar. Trata-se do conhecimento das verdades espirituais.

8.    Entendam bem que não estou falando de conhecimento sobre verdades espirituais, mas de conhecimento das verdades espirituais.

9.    Por esse motivo, e pelo fato de o bem estar eterno da alma humana depender das verdades espirituais, o homem está, ainda que não pense nisso e nem reconheça isso, como dizia Tozer, numa situação de desespero. Essa é a verdade, e a verdade permanece sendo a verdade, independente de se crer nela ou não. Porém o homem não precisa permanecer nessa situação; ela pode ser mudada; há esperança.

10. Paulo, aos coríntios, sobre a palavra da cruz, escreveu que muitos – "os que perecem" – não a entendem, e a consideram uma loucura, uma insensatez; mas outros – "nós, os que somos salvos" – a entendem e encontram nela um significado para as suas vidas; ela é o poder de Deus que opera o milagre da salvação. Em seguida ele cita o profeta Isaías, a quem Deus se revelou dizendo, dentre outras coisas, que a sabedoria humana, "a sabedoria dos sábios", diante d'Ele teria nenhum valor: "Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos inteligentes". Os questionamentos citados no versículo 20 pressupõem resposta óbvia, ou não têm resposta. Onde está o sábio que possa, por sua própria sabedoria humana, penetrar e entender as profundezas de Deus? Não existe tal sábio! O homem natural não pode compreender as coisas do Espírito. Ele não pode discerni-las porque elas não podem ser discernidas por uma simples apreensão de idéias pelo intelecto humano; elas só podem ser discernidas espiritualmente, e o homem que não nasceu de novo não é espiritual, antes, é carnal. E, sendo assim, ainda que não se sinta assim, e ainda que não aceite tal fato, o homem encontra-se, citando Tozer novamente, em desespero. Ele pode realizar grandes e inacreditáveis feitos, como tem realizado, mas nem milênios de experiência, e nem toda a sabedoria que adquiriu lhe deram a capacidade de conhecer a Deus no sentido que está sendo exposto aqui, e se o homem não conhece a Deus no sentido aqui exposto, ainda que brilhante, ainda que seja um grande conhecedor acerca de Deus, ainda que seja de uma moral elevada, de uma honestidade invejável e de um ética exemplar, ele está como estavam alguns efésios antes de se converterem a Cristo:

 

"... mortos em ofensas e pecados... [andando] segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que, agora, opera nos filhos da desobediência; entre os quais todos nós também, antes, andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também." (Efésios 2:1-3 RC)

 

11. Isso não é desesperador?

12. Com toda a sua "bagagem", com todo o seu "conhecimento" (até mesmo conhecimento sobre Deus), com toda a sua "religiosidade", com todo o seu/sua ... seja lá o que for, o homem está indo para o inferno. E o motivo está exatamente no fato de que tudo o que ele tem é dele, e não há espaço para o que seja de Deus. Sua situação, então, é desesperadora. Mas há esperança!

13. É verdade que o homem não pode conhecer a Deus por sua própria sabedoria (falo do conhecimento que pressupõe vida de comunhão com Ele). Mas não é verdade que ele jamais poderá vir a conhecer a Deus. Sim, isso poderá acontecer, mas será resultante não da apreensão de algumas idéias religiosas, e, sim, de uma

 

"visitação da sabedoria celeste, uma espécie de batismo do Espírito da verdade que sobrevém aos que temem a Deus" [4].

 

14. Talvez seja por isso que Jesus disse e o evangelista João registrou: "Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, o não trouxer..." (João 6:44 RC). Cabe dizer aqui, diante dessas palavras, que quando o homem receber uma centelha que seja da iluminação divina, ele deverá não "aceitar" a Cristo, mas sim, desesperar-se diante de Deus para que Ele o aceite e o leve a Cristo. Em Cantares 1.4 a esposa, anelante pelo seu esposo, diz: "Leva-me tu, correremos após ti. O rei me introduziu nas suas recâmaras; em ti nos regozijaremos e nos alegraremos...". Se a esposa de Cantares representa a igreja e o esposo representa Cristo, então temos aqui uma bela e reveladora figura. A revelação consiste do fato de que o homem não pode correr após Cristo se não for "levado", e não pode entrar em suas "recâmaras" se ali não for introduzido. E a beleza consiste do fato de que Cristo fez e está fazendo isso. A esperança do homem consiste então do fato de que Deus enviou seu Filho. O Cristo crucificado é a esperança do homem. O homem não pode receber coisa alguma se do céu não lhe for dado, e Deus, em Jesus, abriu as portas do céu e está derramando graça sobre graça sobre os homens.

15. A evangelização consiste de anunciar isso aos homens e essa é a razão de ela não poder faltar no "alforje" da igreja.

 

Conclusão

 

1.    Vamos nos lembrar das coisas que não podem faltar que vimos hoje?

a.    Submissão ao senhorio de Cristo;

b.    Amor fraternal;

c.    Comunhão;

d.    Evangelização.

2.    São coisas que não podem faltar, coisas que não podem ser esquecidas de jeito nenhum, coisas que devem sempre constar do "alforje" da igreja, e, sendo a igreja não as paredes de uma construção, mas pessoas, eu e você, então essas são coisas que devem sempre ser encontradas no meu e no seu "alforje".

3.    (Como ilustração final pode-se levar uma bolsa com coisas como celular, pente, espelho, batom, sabonete, escova de dente, creme dental, etc. Essa bolsa será esvaziada diante de todos para se ver o que ela leva, para então se dizer que no "alforje", na "bolsa" da igreja, na vida cristã, nada disso é necessário, pode ter, mas também pode faltar, mas não pode faltar de jeito nenhum a submissão ao senhorio de Cristo, o amor fraternal, a comunhão e a evangelização...)

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

 

FONTES:

 

1.    A Conquista Divina – A. W. Tozer

2.    Homem, Habitação de Deus – A. W. Tozer

3.    A Nova Vida em Cristo, 4 – Darcy Dusilek

4.    Manancial de Ilustrações – Moysés Marinho de Oliveira

5.    Esboço Doutrinário contido em A Bíblia Vida Nova



[1] KNIGHT, Walter B. – "Qual é o seu Proprietário?" – Ilustração inserida no livro Manancial de Ilustrações, de Moysés Marinho de Oliveira. 4ª ed. JUERP.

[2] Extraído da seção V do Esboço Doutrinário contido em A Bíblia Vida Nova, p. 342.

[3] DUSILEK, Darci – A Nova Vida em Cristo, 4: Como Desenvolver a Comunhão na Vida da Igreja. 1ª ed. Rio de Janeiro: Horizontal, 1999, 63 p. Citação extraída do estudo 2.

[4] TOZER, A. W. – A Conquista Divina, 2ª edição brasileira, São Paulo – SP, Editora Mundo Cristão, 1987

Nenhum comentário:

Postar um comentário