segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A VIDA ETERNA ESTÁ EM JESUS.

A VIDA ETERNA ESTÁ EM JESUS.

 

I João 5:11-12.

 

1.    Se há algo que deve ocupar o nosso pensamento todos os momentos de nossa vida terrena, este é sobre a eternidade.

2.    Preocupamo-nos muito com os assuntos de nossa vida atual e, muita das vezes, nem sequer lembramo-nos de nossa vida futura, a vida eterna.

3.    Elon Foster falava sobre uma paróquia nos Alpes franceses que fez com que, naquela localidade, fosse fixado, em todas as casas, um letreiro com os seguintes dizeres: "Deus, Momento, Eternidade!". E Foster comenta: "Sim, um Deus que te vê, um momento que foge de ti, uma eternidade que te aguarda; um Deus a quem serves tão mal, um momento do qual tiras tão pouco proveito, uma eternidade que arriscas de uma maneira tão insólita e perigosa"[1]

4.    Jesus, certa vez, contou uma parábola sobre um homem rico, dono de um campo que produzira com abundância, de forma que ele não tinha onde recolher os frutos. Então, aquele homem "... arrazoava consigo mesmo, dizendo: que farei? Pois não tenho onde recolher os meus frutos. E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então direi à minha alma: Tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come e bebe, e regala-te. Mas Deus lhe disse: louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?" (Lucas 12.17-20 RA)

5.    Precisamos pensar na eternidade!

6.    Há uma música muito antiga em que um trecho da letra diz: "Mais além... existe uma eternidade pra se viver. Onde você vai passá-la? Responda que eu quero saber"

7.    Voltando ao texto bíblico em questão, vamos pensar um pouquinho sobre este assunto. Vejamos o que temos no texto.

8.    Três coisas destacamos no texto. A primeira delas é:

 

I. Um testemunho.

 

1.    A primeira coisa que encontramos no texto é um testemunho.

2.    Mas, o que é um testemunho?

3.    Testemunho é uma "declaração ou alegação de uma testemunha em juízo; depoimento; prova; vestígio"[2].

4.    Sendo assim, este trecho do texto bíblico começa dizendo que há uma declaração, um depoimento.

5.    Esse depoimento não é tanto externo quanto interno. Notem que o versículo anterior informa que quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho.

6.    E o texto declara de forma bem objetiva que testemunho é este: "Deus nos deu a vida eterna".

7.    Muito bem; agora que já sabemos que testemunho é este, podemos citar pelo menos mais um versículo bíblico que mostrará que este testemunho, a declaração de que Deus nos deu a vida eterna trata-se mais de algo interno que externo. Vejamos: "O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus" (Romanos 8.16 RA)

8.    Você tem tido este testemunho que vem de dentro?

9.    Você tem sentido a presença do Espírito Santo de Deus testemunhando ao seu espírito humano que você é um filho de Deus?

10. Se atentarmos direitinho para esse testemunho revelado nesse trecho, descobriremos outra coisa muito importante: é Deus quem dá a vida eterna; nós não podemos comprá-la ou adquiri-la com nossos méritos pessoais, só podemos recebê-la das mãos do Pai. É pura graça, como mostra Efésios 2:8 e 9: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é Dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie" (RA)

11. A segunda coisa a se destacar é:

 

II. A localização da vida eterna.

 

1.    Mas antes ainda de pensarmos sobre a localização da vida eterna, convém-nos entender um pouquinho sobre o que a bíblia quer dizer quando usa o termo Vida Eterna.

2.    Vida eterna não é apenas existir para sempre.

3.    Se pensássemos em vida eterna apenas como um existir para sempre, poderíamos dizer que no inferno também há vida eterna.

4.    Quando a Bíblia fala de morte, em muitos casos, ela está falando de separação. Em linguagem espiritual, quem está vivo está reconciliado com Deus, e quem está morto está separado de Deus. Ter vida eterna, portanto, é viver para sempre ao lado de Deus, vida esta que é cheia de significado, e que se caracterizará por certo compartilhamento da plenitude de Deus.

5.    Se o indivíduo não possui vida eterna, não quer dizer que ele morrerá e tudo se findará para ele; não! Ele continuará vivo para sempre, só que num lugar cuja vida não pode ser chamada de vida, e sim de morte.

6.    Agora podemos falar da localização da vida eterna.

7.    O texto diz que a vida eterna está localizada em Jesus, e, com isso o Espírito Santo está nos informando que não adianta nós buscarmos essa vida em qualquer outro lugar. Ela está em Jesus!

8.    Jesus, certa vez, quando fazia um discurso para algumas pessoas que estavam junto dele, disse: "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo não quereis vir a mim para terdes vida" (João 8.39-40 RA)

9.    Mas Jesus não somente é a localização da vida eterna. Ele também é o caminho que leva a esta vida, é a verdade única que liberta para esta vida, e é a própria vida. Veja o que Jesus mesmo diz, em João 14:6 : "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim" (RA)

10. Em outra ocasião, depois de alguns judeus crerem nele, Jesus lhes diz algo muito importante; veja o diálogo de Jesus com eles: "Disse pois Jesus aos judeus que haviam crido nele: se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: somos descendência de Abraão e jamais fomos escravos de alguém; como dizes tu: sereis livres? Replicou-lhes Jesus: em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado. O escravo não fica para sempre na casa; o filho, sim, para sempre. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (João 8.31-36 RA)

11. Você tem procurado a vida eterna? Onde você a tem procurado? Ela está em Jesus!

12. Passemos então ao terceiro destaque:

 

III. Quem tem a vida eterna?

 

1.    Já vimos que há um testemunho: Deus nos deu a vida eterna; e vimos também que esta vida está localizada em seu Filho: Jesus. Agora chegamos a uma questão: Quem tem a vida eterna? 

2.    A resposta não poderia ser mais clara; o texto diz claramente que 'quem tem o Filho tem a vida', e, talvez para deixar mais claro ainda, o Espírito Santo orienta João a escrever também: 'aquele que não tem o filho de Deus não tem a vida'.

3.    Precisa de resposta mais clara que esta?

4.    Não! Essa clareza já é suficiente.

5.    Mas para aqueles que são mais exigentes, podemos dizer alguma coisa mais.

6.    João diz: "Quem tem o Filho...". Como fazer para ter o Filho?

7.    Para ter o Filho é preciso primeiro entregar-lhe a alma; é preciso recebê-lo como aquilo que ele representa, e isso significa que teremos um Salvador, um Advogado junto ao Pai, um Mediador, e tudo o mais que ele representar. Vejamos alguns trechos bíblicos:

 

João 1:12 – "A todos quantos o receberam, deu-lhe o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome"[3]

 

Lucas 2:11 e Atos 4:12 – "...hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor." – "E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos."[4]

 

I João 2:1 – "Filhinhos meus, estas cousas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo."[5]

 

I Timóteo 2:5-6 – "Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve prestar em tempos oportunos."[6]

 

8.    "Quem tem o Filho... tem a vida eterna", complementa João.

9.    Mas ele diz também que, aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida eterna, e isso significa que "os condenados terão 'certa forma de vida', mas não a "vida de Deus". Viverão para sempre, mas não sendo cheios de toda a plenitude de Deus"[7]. "Não sendo possuidores do tipo de vida que Deus possui, permanecerão na morte eterna (pois, em última análise, somente Deus "vive"), sem se importar que outro tipo de existência venham a ter..."[8] 

10. Quem tem a vida eterna? Somente que tem o Filho de Deus, aquele que já lhe entregou a própria vida.

 

Conclusão.

 

1.    "Que ninguém se engane neste ponto. Ou Cristo habita e há 'GLÓRIA'; ou não há Cristo residente e NEM HÁ GLÓRIA. O registro de Deus permanecerá de pé"[9]

2.    Deus nos deu a vida eterna, esta vida está em Seu Filho; quem tem o Filho de Deus tem também a vida eterna, mas o contrário também é verdadeiro, isto é, quem não o tem também não tem a vida eterna.

3.    Você já tem o Filho de Deus residente em você, e, conseqüentemente, todas a bênçãos que o acompanham?

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Porto Meira – Fevereiro de 2009



[1] FOSTER, Elom – citado por Moysés Marinho de Oliveira em "MANANCIAL DE ILUSTRAÇÕES", 4 ed., p. 91. Editora JUERP.

[2] Bueno, Silveira – "MINI DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA - edição atualizada. São Paulo, editora FTD, 1996

[3] Texto na versão Almeida Revista e Atualizada – Esse texto mostra que crer nele é recebê-lo, e recebê-lo como o que ele é. Muitos há que até recebem , de certa forma, a Jesus, mas não como o que ele de fato é, segundo a revelação da Palavra de Deus.

[4] Textos na versão Almeida Revista e Atualizada – Estes textos mostram que Jesus é o Salvador, e que não há outro.

[5] Texto na versão Almeida Revista e Atualizada – Este texto mostra Jesus com Advogado.

[6] Texto na versão Almeida Revista e Atualizada – Este texto mostra Jesus como o único Mediador e também como o preço do nosso resgate. O texto também alerta para o fato de que precisamos anunciar estas Boas Novas.

[7] CHAMPLIN, R. N. – "O NOVO TESTAMENTO INTERPRETADO VERSÍCULO POR VERSÍCULO", volume 6: Tiago - Apocalipse, p.297. Décima reimpressão.  São Paulo – SP, editora Candeia, 1998.

[8] Ibid.

[9] CLARKE, Adam, citado por R. N. CHAMPLIN ,  em   "O NOVO TESTAMENTO INTERPRETADO VERSÍCULO POR VERSÍCULO", p. 297 do volume 6, décima reimpressão. São Paulo – SP. Editora Candeia, 1998.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

NASCIDOS DE DEUS

NASCIDOS DE DEUS

I João 5.1-5

 

1.    No último Sermão desta série em I João fomos até o final do capítulo 3.

2.    Estamos agora iniciando no Capítulo 5, o que significa que pulamos todo o capítulo 4.

3.    Assim está sendo feito devido ao fato que já estudamos dentro desta carta acerca dos falsos profetas e também acerca do amor.

4.    Porém, algumas coisas é preciso destacar dentro do capítulo 4, e, para tanto, uma leitura atenta é o suficiente. (ler)

5.    Dentro do capítulo 5, logo nos primeiros 5 versículos, João fala sobre os nascidos de Deus, isto é, sobre aqueles que pertencem a Cristo Jesus.

6.    Somente duas coisas estaremos vendo dentro destes 5 versículos, sobre os nascidos de Deus, a saber:

a.    Todo o que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus;

b.    O que é nascido de Deus vence o mundo por causa da fé.  

7.    Vejamos então a primeira questão:

 

I. Todo o que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus

 

1.    João coloca essa verdade logo no primeiro versículo.

2.    Mas quem é aquele que "crê"?

3.    O que significa crer?

4.    Essa é uma pergunta importante, principalmente num país como o nosso, onde a figura de Jesus é muito popular, e a grande maioria crê que ele é o Cristo, não passando, porém, a sua crença, de uma mera aceitação de um credo[1] religioso.

5.    Mas será que o que está em foco no texto, quando João fala sobre crer, é a mera aceitação de um credo religioso?

6.    É certo que não!

7.    Assim diz Champlin[2], acertadamente, em seu comentário sobre esse texto:

 

"Está em foco aqui muito mais do que a mera aceitação de um credo, embora seja necessário que tenhamos 'opiniões corretas' acerca de Cristo. Antes está aqui em pauta o discernimento moral e a outorga da alma aos cuidados de Cristo. Assim, pois, a alma percebe quem é Cristo, bem como seu intuito de transformar-nos segundo a sua própria imagem; e então diz: "Quero ser semelhante a Cristo". E assim ela se entrega ao processo de transformação"[3]

 

8.    Essa verdade é perfeitamente comprovada pela Palavra de Deus.

9.    O próprio João diz, no versículo 4 desse mesmo capítulo de sua primeira carta, que todo o que é nascido de Deus vence o mundo pela fé.

10. Daí entendemos que o verdadeiro crente está preocupado em vencer o mundo e não viver conformado a ele.

11. Também em João 12.46 encontramos as seguintes palavras do próprio Jesus: "Eu vim como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas."

12. E outros textos também confirmam essa verdade:

 

"Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus." (João 3:18-21 RA)

 

"Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos." (Romanos 8:29 RA)

 

E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. (Gálatas 5:24 RA)

 

Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude, pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo,  por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento;  com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade;  com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor.  Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. (2 Pedro 1:3-8 RA)

 

13. Se nós cremos de verdade conforme o verdadeiro significado de crer, então somos nascidos de Deus, pois todo o que assim crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus.

14. Tendo visto a primeira questão, passemos à segunda:

 

II. O que é nascido de Deus vence o mundo por causa da fé

 

1.    Esta mensagem está no versículo 4.

2.    O pensamento teológico de João acerca do mundo em geral é metafísico, isto é, uma visão que transcende a natureza física das coisas.

3.    A vitória é, portanto, uma vitória metafísica, isto é, uma vitória sobre forças não necessariamente naturais, porém espirituais.

4.    Paulo, escrevendo aos Efésios, disse que nossa luta não é simplesmente contra carne e sangue, mas contra as forças espirituais da maldade.

5.    No entanto, o campo de batalha, de onde saímos vitoriosos pela fé, é a esfera de nossa vida diária.

6.    E a vitória é, segundo Hoon:[4]

a.    A vitória da alegria sobre a infelicidadeEstas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa. (1 João 1:4 RA)

b.    A vitória da comunhão sobre a solidãoSe, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. (1 João 1:7 RA)

c.    A vitória da honestidade sobre o orgulho moral e a auto-ilusãoSe dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. (1 João 1:6-10 RA)

d.    A vitória da retidão e da santidade sobre o pecadoFilhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro. (1 João 2:1-2 RA)

 

Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo.  Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama a seu irmão. (1 João 3:8-10 RA)

 

e.    A vitória da pureza sobre as concupiscências mundanasNão ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo.  Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente. (1 João 2:15-17 RA)

f.     A vitória da verdade sobre o erro, da confiança sobre o temor, a dúvida e o desencorajamento – E vós possuís unção que vem do Santo e todos tendes conhecimento. Não vos escrevi porque não saibais a verdade; antes, porque a sabeis, e porque mentira alguma jamais procede da verdade.  Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho. Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai.  Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai.  E esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna.  Isto que vos acabo de escrever é acerca dos que vos procuram enganar.  Quanto a vós outros, a unção que dele recebestes permanece em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é falsa, permanecei nele, como também ela vos ensinou. (1 João 2:20-27 RA)

g.    A vitória do amor sobre o ódioAmados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.  Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.  Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele.  Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é, em nós, aperfeiçoado. Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.  Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo.  No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.  Nós amamos porque ele nos amou primeiro.  Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.  Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão. (1 João 4:7-21 RA)

h.    A vitória da vida eterna sobre o tempo e a mortee a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada (1 João 1:2 RA)

 

Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente. (1 João 2:17 RA)

 

 E esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna. (1 João 2:25 RA)

 

E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho.  Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida.  Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus. (1 João 5:11-13 RA)

 

7.    A vitória é, então, uma grande vitória, e não é para menos, pois o objeto de nossa fé é o Onipresente, Onisciente, Onipotente e Soberano Senhor.

 

CONCLUSÃO

 

1.    Somos nascidos de Deus?

2.    Se cremos em Jesus de verdade, a resposta é sim!

3.    E se a resposta é sim, o Espírito de Deus nos mostra que não precisamos viver derrotados, porque devido a essa mesma fé que nos faz nascidos de Deus, Ele nos proporciona uma grande vitória.

4.    A vitória já é nossa, e o que precisamos fazer é só tomar posse dela pela fé!

5.    Que Deus nos abençoe em nossa caminhada de fé!

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves



[1] Fórmula doutrinária cristã

[2] Não concordo com tudo o que diz Champlin em seu comentário, e algumas coisas há que ele diz que cheiram a espiritismo; entretanto há muitas coisas corretas, e uma delas é a que cito aqui.

[3] CHAMPLIN, R. N. – O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Volume 6. Décima reimpressão. São Paulo – SP. Editora Candeia, 1998

[4] Ibid, citando Hoon