quinta-feira, 2 de setembro de 2010

NASCIDOS DE DEUS

NASCIDOS DE DEUS

I João 5.1-5

 

1.    No último Sermão desta série em I João fomos até o final do capítulo 3.

2.    Estamos agora iniciando no Capítulo 5, o que significa que pulamos todo o capítulo 4.

3.    Assim está sendo feito devido ao fato que já estudamos dentro desta carta acerca dos falsos profetas e também acerca do amor.

4.    Porém, algumas coisas é preciso destacar dentro do capítulo 4, e, para tanto, uma leitura atenta é o suficiente. (ler)

5.    Dentro do capítulo 5, logo nos primeiros 5 versículos, João fala sobre os nascidos de Deus, isto é, sobre aqueles que pertencem a Cristo Jesus.

6.    Somente duas coisas estaremos vendo dentro destes 5 versículos, sobre os nascidos de Deus, a saber:

a.    Todo o que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus;

b.    O que é nascido de Deus vence o mundo por causa da fé.  

7.    Vejamos então a primeira questão:

 

I. Todo o que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus

 

1.    João coloca essa verdade logo no primeiro versículo.

2.    Mas quem é aquele que "crê"?

3.    O que significa crer?

4.    Essa é uma pergunta importante, principalmente num país como o nosso, onde a figura de Jesus é muito popular, e a grande maioria crê que ele é o Cristo, não passando, porém, a sua crença, de uma mera aceitação de um credo[1] religioso.

5.    Mas será que o que está em foco no texto, quando João fala sobre crer, é a mera aceitação de um credo religioso?

6.    É certo que não!

7.    Assim diz Champlin[2], acertadamente, em seu comentário sobre esse texto:

 

"Está em foco aqui muito mais do que a mera aceitação de um credo, embora seja necessário que tenhamos 'opiniões corretas' acerca de Cristo. Antes está aqui em pauta o discernimento moral e a outorga da alma aos cuidados de Cristo. Assim, pois, a alma percebe quem é Cristo, bem como seu intuito de transformar-nos segundo a sua própria imagem; e então diz: "Quero ser semelhante a Cristo". E assim ela se entrega ao processo de transformação"[3]

 

8.    Essa verdade é perfeitamente comprovada pela Palavra de Deus.

9.    O próprio João diz, no versículo 4 desse mesmo capítulo de sua primeira carta, que todo o que é nascido de Deus vence o mundo pela fé.

10. Daí entendemos que o verdadeiro crente está preocupado em vencer o mundo e não viver conformado a ele.

11. Também em João 12.46 encontramos as seguintes palavras do próprio Jesus: "Eu vim como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas."

12. E outros textos também confirmam essa verdade:

 

"Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus." (João 3:18-21 RA)

 

"Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos." (Romanos 8:29 RA)

 

E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. (Gálatas 5:24 RA)

 

Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude, pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo,  por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento;  com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade;  com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor.  Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. (2 Pedro 1:3-8 RA)

 

13. Se nós cremos de verdade conforme o verdadeiro significado de crer, então somos nascidos de Deus, pois todo o que assim crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus.

14. Tendo visto a primeira questão, passemos à segunda:

 

II. O que é nascido de Deus vence o mundo por causa da fé

 

1.    Esta mensagem está no versículo 4.

2.    O pensamento teológico de João acerca do mundo em geral é metafísico, isto é, uma visão que transcende a natureza física das coisas.

3.    A vitória é, portanto, uma vitória metafísica, isto é, uma vitória sobre forças não necessariamente naturais, porém espirituais.

4.    Paulo, escrevendo aos Efésios, disse que nossa luta não é simplesmente contra carne e sangue, mas contra as forças espirituais da maldade.

5.    No entanto, o campo de batalha, de onde saímos vitoriosos pela fé, é a esfera de nossa vida diária.

6.    E a vitória é, segundo Hoon:[4]

a.    A vitória da alegria sobre a infelicidadeEstas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa. (1 João 1:4 RA)

b.    A vitória da comunhão sobre a solidãoSe, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. (1 João 1:7 RA)

c.    A vitória da honestidade sobre o orgulho moral e a auto-ilusãoSe dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. (1 João 1:6-10 RA)

d.    A vitória da retidão e da santidade sobre o pecadoFilhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro. (1 João 2:1-2 RA)

 

Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo.  Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama a seu irmão. (1 João 3:8-10 RA)

 

e.    A vitória da pureza sobre as concupiscências mundanasNão ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo.  Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente. (1 João 2:15-17 RA)

f.     A vitória da verdade sobre o erro, da confiança sobre o temor, a dúvida e o desencorajamento – E vós possuís unção que vem do Santo e todos tendes conhecimento. Não vos escrevi porque não saibais a verdade; antes, porque a sabeis, e porque mentira alguma jamais procede da verdade.  Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho. Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai.  Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai.  E esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna.  Isto que vos acabo de escrever é acerca dos que vos procuram enganar.  Quanto a vós outros, a unção que dele recebestes permanece em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é falsa, permanecei nele, como também ela vos ensinou. (1 João 2:20-27 RA)

g.    A vitória do amor sobre o ódioAmados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.  Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.  Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele.  Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é, em nós, aperfeiçoado. Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.  Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo.  No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.  Nós amamos porque ele nos amou primeiro.  Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.  Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão. (1 João 4:7-21 RA)

h.    A vitória da vida eterna sobre o tempo e a mortee a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada (1 João 1:2 RA)

 

Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente. (1 João 2:17 RA)

 

 E esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna. (1 João 2:25 RA)

 

E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho.  Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida.  Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus. (1 João 5:11-13 RA)

 

7.    A vitória é, então, uma grande vitória, e não é para menos, pois o objeto de nossa fé é o Onipresente, Onisciente, Onipotente e Soberano Senhor.

 

CONCLUSÃO

 

1.    Somos nascidos de Deus?

2.    Se cremos em Jesus de verdade, a resposta é sim!

3.    E se a resposta é sim, o Espírito de Deus nos mostra que não precisamos viver derrotados, porque devido a essa mesma fé que nos faz nascidos de Deus, Ele nos proporciona uma grande vitória.

4.    A vitória já é nossa, e o que precisamos fazer é só tomar posse dela pela fé!

5.    Que Deus nos abençoe em nossa caminhada de fé!

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves



[1] Fórmula doutrinária cristã

[2] Não concordo com tudo o que diz Champlin em seu comentário, e algumas coisas há que ele diz que cheiram a espiritismo; entretanto há muitas coisas corretas, e uma delas é a que cito aqui.

[3] CHAMPLIN, R. N. – O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Volume 6. Décima reimpressão. São Paulo – SP. Editora Candeia, 1998

[4] Ibid, citando Hoon

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário