segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A VIDA ETERNA ESTÁ EM JESUS.

A VIDA ETERNA ESTÁ EM JESUS.

 

I João 5:11-12.

 

1.    Se há algo que deve ocupar o nosso pensamento todos os momentos de nossa vida terrena, este é sobre a eternidade.

2.    Preocupamo-nos muito com os assuntos de nossa vida atual e, muita das vezes, nem sequer lembramo-nos de nossa vida futura, a vida eterna.

3.    Elon Foster falava sobre uma paróquia nos Alpes franceses que fez com que, naquela localidade, fosse fixado, em todas as casas, um letreiro com os seguintes dizeres: "Deus, Momento, Eternidade!". E Foster comenta: "Sim, um Deus que te vê, um momento que foge de ti, uma eternidade que te aguarda; um Deus a quem serves tão mal, um momento do qual tiras tão pouco proveito, uma eternidade que arriscas de uma maneira tão insólita e perigosa"[1]

4.    Jesus, certa vez, contou uma parábola sobre um homem rico, dono de um campo que produzira com abundância, de forma que ele não tinha onde recolher os frutos. Então, aquele homem "... arrazoava consigo mesmo, dizendo: que farei? Pois não tenho onde recolher os meus frutos. E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então direi à minha alma: Tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come e bebe, e regala-te. Mas Deus lhe disse: louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?" (Lucas 12.17-20 RA)

5.    Precisamos pensar na eternidade!

6.    Há uma música muito antiga em que um trecho da letra diz: "Mais além... existe uma eternidade pra se viver. Onde você vai passá-la? Responda que eu quero saber"

7.    Voltando ao texto bíblico em questão, vamos pensar um pouquinho sobre este assunto. Vejamos o que temos no texto.

8.    Três coisas destacamos no texto. A primeira delas é:

 

I. Um testemunho.

 

1.    A primeira coisa que encontramos no texto é um testemunho.

2.    Mas, o que é um testemunho?

3.    Testemunho é uma "declaração ou alegação de uma testemunha em juízo; depoimento; prova; vestígio"[2].

4.    Sendo assim, este trecho do texto bíblico começa dizendo que há uma declaração, um depoimento.

5.    Esse depoimento não é tanto externo quanto interno. Notem que o versículo anterior informa que quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho.

6.    E o texto declara de forma bem objetiva que testemunho é este: "Deus nos deu a vida eterna".

7.    Muito bem; agora que já sabemos que testemunho é este, podemos citar pelo menos mais um versículo bíblico que mostrará que este testemunho, a declaração de que Deus nos deu a vida eterna trata-se mais de algo interno que externo. Vejamos: "O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus" (Romanos 8.16 RA)

8.    Você tem tido este testemunho que vem de dentro?

9.    Você tem sentido a presença do Espírito Santo de Deus testemunhando ao seu espírito humano que você é um filho de Deus?

10. Se atentarmos direitinho para esse testemunho revelado nesse trecho, descobriremos outra coisa muito importante: é Deus quem dá a vida eterna; nós não podemos comprá-la ou adquiri-la com nossos méritos pessoais, só podemos recebê-la das mãos do Pai. É pura graça, como mostra Efésios 2:8 e 9: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é Dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie" (RA)

11. A segunda coisa a se destacar é:

 

II. A localização da vida eterna.

 

1.    Mas antes ainda de pensarmos sobre a localização da vida eterna, convém-nos entender um pouquinho sobre o que a bíblia quer dizer quando usa o termo Vida Eterna.

2.    Vida eterna não é apenas existir para sempre.

3.    Se pensássemos em vida eterna apenas como um existir para sempre, poderíamos dizer que no inferno também há vida eterna.

4.    Quando a Bíblia fala de morte, em muitos casos, ela está falando de separação. Em linguagem espiritual, quem está vivo está reconciliado com Deus, e quem está morto está separado de Deus. Ter vida eterna, portanto, é viver para sempre ao lado de Deus, vida esta que é cheia de significado, e que se caracterizará por certo compartilhamento da plenitude de Deus.

5.    Se o indivíduo não possui vida eterna, não quer dizer que ele morrerá e tudo se findará para ele; não! Ele continuará vivo para sempre, só que num lugar cuja vida não pode ser chamada de vida, e sim de morte.

6.    Agora podemos falar da localização da vida eterna.

7.    O texto diz que a vida eterna está localizada em Jesus, e, com isso o Espírito Santo está nos informando que não adianta nós buscarmos essa vida em qualquer outro lugar. Ela está em Jesus!

8.    Jesus, certa vez, quando fazia um discurso para algumas pessoas que estavam junto dele, disse: "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo não quereis vir a mim para terdes vida" (João 8.39-40 RA)

9.    Mas Jesus não somente é a localização da vida eterna. Ele também é o caminho que leva a esta vida, é a verdade única que liberta para esta vida, e é a própria vida. Veja o que Jesus mesmo diz, em João 14:6 : "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim" (RA)

10. Em outra ocasião, depois de alguns judeus crerem nele, Jesus lhes diz algo muito importante; veja o diálogo de Jesus com eles: "Disse pois Jesus aos judeus que haviam crido nele: se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: somos descendência de Abraão e jamais fomos escravos de alguém; como dizes tu: sereis livres? Replicou-lhes Jesus: em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado. O escravo não fica para sempre na casa; o filho, sim, para sempre. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (João 8.31-36 RA)

11. Você tem procurado a vida eterna? Onde você a tem procurado? Ela está em Jesus!

12. Passemos então ao terceiro destaque:

 

III. Quem tem a vida eterna?

 

1.    Já vimos que há um testemunho: Deus nos deu a vida eterna; e vimos também que esta vida está localizada em seu Filho: Jesus. Agora chegamos a uma questão: Quem tem a vida eterna? 

2.    A resposta não poderia ser mais clara; o texto diz claramente que 'quem tem o Filho tem a vida', e, talvez para deixar mais claro ainda, o Espírito Santo orienta João a escrever também: 'aquele que não tem o filho de Deus não tem a vida'.

3.    Precisa de resposta mais clara que esta?

4.    Não! Essa clareza já é suficiente.

5.    Mas para aqueles que são mais exigentes, podemos dizer alguma coisa mais.

6.    João diz: "Quem tem o Filho...". Como fazer para ter o Filho?

7.    Para ter o Filho é preciso primeiro entregar-lhe a alma; é preciso recebê-lo como aquilo que ele representa, e isso significa que teremos um Salvador, um Advogado junto ao Pai, um Mediador, e tudo o mais que ele representar. Vejamos alguns trechos bíblicos:

 

João 1:12 – "A todos quantos o receberam, deu-lhe o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome"[3]

 

Lucas 2:11 e Atos 4:12 – "...hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor." – "E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos."[4]

 

I João 2:1 – "Filhinhos meus, estas cousas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo."[5]

 

I Timóteo 2:5-6 – "Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve prestar em tempos oportunos."[6]

 

8.    "Quem tem o Filho... tem a vida eterna", complementa João.

9.    Mas ele diz também que, aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida eterna, e isso significa que "os condenados terão 'certa forma de vida', mas não a "vida de Deus". Viverão para sempre, mas não sendo cheios de toda a plenitude de Deus"[7]. "Não sendo possuidores do tipo de vida que Deus possui, permanecerão na morte eterna (pois, em última análise, somente Deus "vive"), sem se importar que outro tipo de existência venham a ter..."[8] 

10. Quem tem a vida eterna? Somente que tem o Filho de Deus, aquele que já lhe entregou a própria vida.

 

Conclusão.

 

1.    "Que ninguém se engane neste ponto. Ou Cristo habita e há 'GLÓRIA'; ou não há Cristo residente e NEM HÁ GLÓRIA. O registro de Deus permanecerá de pé"[9]

2.    Deus nos deu a vida eterna, esta vida está em Seu Filho; quem tem o Filho de Deus tem também a vida eterna, mas o contrário também é verdadeiro, isto é, quem não o tem também não tem a vida eterna.

3.    Você já tem o Filho de Deus residente em você, e, conseqüentemente, todas a bênçãos que o acompanham?

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Porto Meira – Fevereiro de 2009



[1] FOSTER, Elom – citado por Moysés Marinho de Oliveira em "MANANCIAL DE ILUSTRAÇÕES", 4 ed., p. 91. Editora JUERP.

[2] Bueno, Silveira – "MINI DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA - edição atualizada. São Paulo, editora FTD, 1996

[3] Texto na versão Almeida Revista e Atualizada – Esse texto mostra que crer nele é recebê-lo, e recebê-lo como o que ele é. Muitos há que até recebem , de certa forma, a Jesus, mas não como o que ele de fato é, segundo a revelação da Palavra de Deus.

[4] Textos na versão Almeida Revista e Atualizada – Estes textos mostram que Jesus é o Salvador, e que não há outro.

[5] Texto na versão Almeida Revista e Atualizada – Este texto mostra Jesus com Advogado.

[6] Texto na versão Almeida Revista e Atualizada – Este texto mostra Jesus como o único Mediador e também como o preço do nosso resgate. O texto também alerta para o fato de que precisamos anunciar estas Boas Novas.

[7] CHAMPLIN, R. N. – "O NOVO TESTAMENTO INTERPRETADO VERSÍCULO POR VERSÍCULO", volume 6: Tiago - Apocalipse, p.297. Décima reimpressão.  São Paulo – SP, editora Candeia, 1998.

[8] Ibid.

[9] CLARKE, Adam, citado por R. N. CHAMPLIN ,  em   "O NOVO TESTAMENTO INTERPRETADO VERSÍCULO POR VERSÍCULO", p. 297 do volume 6, décima reimpressão. São Paulo – SP. Editora Candeia, 1998.

Nenhum comentário:

Postar um comentário