sexta-feira, 27 de maio de 2011

ISTO É O EVANGELHO

ISTO É O EVANGELHO

Fonte: Esboço de Georg Brinke

pentateuco 01Martinho Lutero disse sobre a lei de Moisés x o evangelho: “A lei descobre a doença, o evangelho dá o remédio”
Jesus nos orienta: “Ide e pregai o evangelho”.
O Novo Testamento como um todo fala sobre o evangelho, e, vez por outra, damos uma definição teológica sobre o evangelho.
Mas, de forma bem prática, o que podemos dizer sobre o evangelho?
Bom, de forma bem prática, e biblicamente embasados, podemos dizer o seguinte:
Você, sem Cristo, está julgado e condenado, mas pode abrir o coração para Cristo e ser salvo pela Graça – isto é o evangelho. (Veja João 3.18 junto com Efésios 2.8-9)
Você, sem Cristo, está morto EM seus delitos e pecados, mas pode abrir o coração para Cristo e morrer PARA o pecado – isto é o evangelho. (Veja Efésios 2.1 junto com Romanos 6.11)
Você, sem Cristo, não é um verdadeiro filho de Deus, mas pode abrir o coração para Cristo e se tornar um verdadeiro filho de Deus – isto é o evangelho. (Veja João 8.44 junto com 1 João 3.8-10 e João 1.12)
Você, sem Cristo, está sob o juízo divino, mas pode abrir o coração para Cristo e ter acesso à Graça de Deus – isto é o evangelho. (Veja João 3.36 junto com Romanos 5.2)
Você, sem Cristo, caminha para o juízo, mas pode abrir o coração para Cristo e estar perto de Deus – isto é o evangelho. (Veja Hebreus 9.27 junto com Romanos 5.2)
Você, sem Cristo, será lançado no lago de fogo, mas pode abrir o coração para Cristo e viver na expectativa da glória do Senhor – isto é o evangelho. (Veja Apocalipse 21.18 junto com Filipenses 3.20-21)
===================================
Você gostaria de entregar sua vida a Jesus e ser salvo? Faça isso! Diga a Ele, em uma oração particular, com suas próprias palavras, do seu arrependimento de viver sem Ele até aqui, de seus pecados e de seu desejo que Ele te salve e seja o Senhor de sua vida.
Em Cristo, que breve vem para buscar a Sua igreja,
Pr. Walmir Vigo Gonçalves

A LÍNGUA

A LÍNGUA
(Editorial do boletim da Igreja Batista no Parque Imperatriz – 29/05/2011)
A língua é, segundo definição encontrada no dicionário Michaelis, além de outras coisas, um órgão oblongo, achatado, musculoso e móvel da cavidade bucal e que é o órgão principal da deglutição, do gosto e, no ser humano, da articulação das palavras. No nosso caso aqui o que interessa a respeito da língua é o fato de ela ser o órgão que nos permite articular as palavras, ou, em dizer simples: falar.
Quando pensamos na língua humana como sendo o órgão que o capacita a falar e nas muitas "falas" que ouvimos por aí, não podemos deixar de pensar que há gente cuja língua deve ser preservada, mas outras há cuja língua deveria ser amputada. A língua pode ser uma bênção, mas também uma maldição; pode ser um instrumento abençoador, mas também um instrumento portador de infortúnio e desventura. Veja a seguinte e interessante história:
Há mais de dois mil anos existiu um rico mercador grego que tinha um escravo chamado Esopo. Um escravo corcunda, feio, mas de sabedoria única no mundo. Certa vez, para provar as qualidades de seu escravo, o mercador ordenou:
- Toma, Esopo. Aqui está esta sacola de moedas. Corre ao mercado. Compra lá o que houver de melhor para um banquete. A melhor comida do mundo!
Pouco tempo depois, Esopo voltou do mercado e colocou sobre a mesa um prato coberto por fino pano de linho. O mercador levantou o paninho e ficou surpreso:
- Ah!! Língua? Nada como a boa língua que os pastores gregos sabem tão bem preparar. Mas por que escolheste exatamente a língua como a melhor comida do mundo?
E O escravo de olhos baixos, explicou sua escolha:
- O que há de melhor do que a língua, senhor? A língua é que nos une a todos, quando falamos. Sem a língua não poderíamos nos entender. A língua é a chave das ciências, o órgão da verdade e da razão. Graças à língua é que se constroem as cidades, graças à língua podemos dizer o nosso amor. A língua é o órgão do carinho, da ternura, do amor, da compreensão. É a língua que torna eterno os versos dos grandes poetas, as idéias dos grandes escritores. Com a língua se ensina, se persuade, se instrui, se ora, se explica, se canta, se descreve, se elogia, se demonstra, se afirma. Com a língua dizemos "mãe", "querida" e "Deus". Com a língua dizemos "sim". Com a língua dizemos "eu te amo"! O que pode haver de melhor do que a língua, senhor?
O mercador levantou-se entusiasmado:
- Muito bem, Esopo! Realmente tu me trouxeste o que há de melhor. Toma agora esta outra sacola de moedas. Vai de novo ao mercado e traz o que houver de pior, pois quero ver a tua sabedoria.
Mais uma vez, depois de algum tempo, o escravo Esopo voltou do mercado trazendo um prato coberto por um pano. O mercador recebeu-o com um sorriso:
- Hum... já sei o que há de melhor. Vejamos agora o que há de pior...
O mercador descobriu o prato e ficou indignado:
- O quê?! Língua? Língua outra vez? Língua? Não disseste que a língua era o que havia de melhor? Queres ser açoitado?
Esopo encarou o mercador e respondeu:
- A língua, senhor, é o que há de pior no mundo. É a fonte de todas as intrigas, o início de todos os processos, a mãe de todas as discussões. É a língua que separa a humanidade, que divide os povos. É a língua que usam os maus políticos quando querem nos enganar com suas falsas promessas. É a língua que usam os vigaristas quando querem trapacear. A língua é o órgão da mentira, da discórdia, dos desentendimentos, das guerras, da exploração. É a língua que mente, que esconde, que engana, que explora, que blasfema, que insulta, que se acovarda, que mendiga, que xinga, que bajula, que destrói, que calunia, que vende, que seduz, que corrompe. Com a língua dizemos "morre", "canalha" e "demônio". Com a língua dizemos "não". Com a língua dizemos "eu te odeio"! Aí está, senhor, porque a língua é a pior e a melhor de todas as coisas!
Em provérbios 15.4 lemos que "Uma língua saudável é árvore de vida, mas a perversidade nela quebranta o espírito".
Reflita: sua língua é saudável, ou há perversidade nela? Sua língua é do tipo que deve ser preservada ou do tipo que melhor fora se fosse amputada?
Cuidado com a língua; cuidado com aquilo que você anda falando por aí. Que aquilo que a sua língua articula seja qual uma deliciosa refeição a trazer refrigério para a alma das pessoas e não infortúnio. Caso contrário... melhor que ela seja amputada.
Pr. Walmir Vigo Gonçalves

quarta-feira, 4 de maio de 2011

MÃE: A VERDADEIRA GRANDE HEROÍNA

MÃE: A VERDADEIRA GRANDE HEROÍNA

 

Diz-se que um dos mais famosos sermões de Peter Marshall, na década de 40, foi dedicado às mães, tendo como título "Guardas das Fontes". Ele começa contando que em certa cidade, situada no sopé de uma cadeia de montanhas, um estranho habitante das florestas tomou para si a responsabilidade de ser o guarda das fontes. Assim, percorria os montes, e toda vez que encontrava uma fonte tratava de limpá-la das folhas caídas, do lodo e do barro. E tão dedicado e caprichoso era em seu trabalho que a água, ao descer borbulhante através da areia fina, corria para baixo, fresca, pura e limpa. Certo dia, porém, a Câmara Municipal, julgando aquele trabalho inútil e o salário pago ao guarda um desperdício, decidiu construir um reservatório de concreto e dispensar o guarda das fontes. Terminado, o reservatório logo se encheu de água, mas esta já não parecia a mesma. Estava poluída e, de imediato, uma epidemia ameaçava a vida da população. A Câmara reuniu-se novamente. E todos os vereadores reconheceram o erro de terem demitido o guarda das fontes, que foi imediatamente convidado a voltar a realizar seu trabalho de vital importância para a cidade. Aplicando a sugestiva figura às mães, afirma o famoso pregador que "nunca houve uma época em se sentisse maior necessidade de Guardas das Fontes, ou que houvesse mais fontes poluídas, necessitadas de purificação", referindo-se à sua época.

Guardas das fontes! É exatamente isso que as mães, aquelas que o são de verdade, são! Guardas das fontes! Cada ser humano que nasce é uma pequena fonte que, no decorrer da vida, vai jorrar na sociedade coisas boas ou ruins, "água" pura e cristalina ou "água" poluída. As mães verdadeiras são aquelas que trabalham nessas pequenas fontes no intuito de fazer com que delas só jorrem boas coisas. É uma luta, um trabalho descomunal, por causa do trabalho em si e por causa dos adversários que ela tem que enfrentar e que se multiplicam a cada dia. Dentre os adversários estão:

à a natureza humana decaída da própria criança, como ser humano que é, que pende para o mal;

à os indivíduos maléficos, instrumentos do "capeta", que labutam na intenção de desviar as nossas crianças para o caminho do mal,

à a desigualdade social;

à e, para citar só mais um exemplo, a atitude passiva de outros que poderiam ajudar, incluindo muitos pais, mas que acham que tal responsabilidade é apenas da mãe (ou às vezes nem acham, mas se acovardam e não ajudam).

            Querida mãe, neste dia, que é o seu dia, quero lhe parabenizar e lhe dizer com sinceridade que você é a maior heroína da sociedade brasileira. Talvez você, a exemplo de muitas outras, porque os adversários são descomunais, nem tenha conseguido fazer com que da "fonte" da qual você cuidou "água limpa" viesse a jorrar, mas se você tentou, se você lutou contra os adversários, então você é uma grande heroína. E quem sabe se você ainda não verá o seu trabalho frutificando?

Quando trabalhei por um tempo com menores vítimas dos adversários do trabalho das mães, uma das coisas que pude perceber é que no âmago do ser daqueles pequenos, o trabalho de suas mães estava impresso, e impresso de uma maneira tal que nada pode apagar. Alguma coisa, alguma sujeira, alguma obra maléfica estava cobrindo esse trabalho, mas ele ainda estava lá, impresso, indelevelmente marcado em suas almas. Algum dia esse trabalho pode se sobrepor a toda essa sujeira e o fruto aparecer da forma como foi desejado, a "água" jorrar pura e cristalina. Muitos exemplos já poderiam ser citados, mas me abstenho de citá-los aqui. E a grande heroína, a grande operária, a grande agente dessa frutificação, desse jorrar de "água" pura e cristalina, humanamente falando, ainda que não reconhecida, é você, mãe.

Parabéns pelo seu dia! Parabéns pela sua vida de dedicação e trabalho! Parabéns por você não desistir nunca da fonte que lhe foi confiada! Nós sabemos que mesmo quando você diz que desistiu, você não desistiu de fato. Então, mais uma vez, e agora com letras maiúsculas: PARABÉNS!

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves