quarta-feira, 27 de julho de 2011

SE VOCÊ (REALMENTE) ACHOU O LIVRO


biblia-aberta_3283_1024x768

SE VOCÊ (REALMENTE) ACHOU O LIVRO


Escrito a partir de um estudo de Michael D. O'Neal, Pastor da Gospel Light Baptist Church - Albany, Geórgia

Os capítulos 34 e 35 de 2 Crônicas relatam o reinado de Josias sobre o povo de Israel no passado distante. Foi um reinado abençoado por Deus, caracterizado por um grande avivamento, um grande retorno a Deus por parte do povo. Uma das razões foi que o Livro da Lei, a Bíblia de então, foi encontrado, lido e obedecido.

A palavra de Deus amados, quando lida e obedecida, produz grandes mudanças. O rei agarrou-se ao Livro, a Bíblia, e ela transformou o seu pensar. Transformou sua vida. Transformou tudo ao seu redor, transformou seu reino.

E você... “já achou” o Livro de Deus – a Bíblia? Se você o achou, se REALMENTE o achou:

EXAMINE-O DIARIAMENTE - Atos 17:11 diz sobre os bereanos: “Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”.

Lucas 4:4 relata as palavras de Jesus: “Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus”.

ESTOQUE-O BEM FUNDO NO SEU CORAÇÃO – O salmista, no Salmo 119:11 diz: “Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti”. A Palavra de Deus aplicada, armazenada no coração vai poderosamente propulsionar as suas defesas, vai lhe servir de proteção contra as astutas ciladas do Diabo.

ESTUDE-O DILIGENTEMENTE - 2 Timóteo 2:15 diz: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. Ocupe-se em meditar (ruminar) nas páginas do livro de Deus.

ESCUTE E EXECUTE OS SEUS DECRETOS – Jesus disse, e o evangelista Mateus registrou: “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha. E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.” (Mateus 7:24-27 RC)

ERGA-SE, FIRME-SE SOBRE ELE COM DETERMINAÇÃO - Atos 24:14: “Mas confesso-te isto que, conforme aquele caminho que chamam seita, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na lei e nos profetas”.

ESTENDA-O ÀQUELES QUE ESTÃO EM TREVAS – Temos que pregar a Palavra de Deus. Vários textos mostram isso.

EXIBA-O PELAS SUAS AÇÕES - 2 Coríntios 3:2: “Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens”.

As pessoas devem reconhecer O AUTOR do livro,

a) ao observar como ele tem afetado tuas ações.

b) ao observar como ele tem afetado tuas atitudes.

c) ao observar como ele tem afetado tua aparência.

prwalmir@hotmail.com

terça-feira, 26 de julho de 2011

O PROPÓSITO DO CASAMENTO

 

O PROPÓSITO DO CASAMENTO

Por Paul Washer

E um vídeo de poucos minutos com John Piper, Don Carson e Tim Keller; também sobre casamento.



quinta-feira, 21 de julho de 2011

PEZINHO PRA FRENTE, PEZINHO PRÁ TRAS

PEZINHO PRA FRENTE, PEZINHO PRÁ TRAS

Ouça enquanto lê - Música: “Compromisso” – Grupo Logos

Pezinho...Quem nunca ouviu esse refrão? “Pezinho pra frente, pezinho pra trás” é um refrão muito conhecido que, ao que me consta, surgiu em um quadro de um determinado programa humorístico. Mas infelizmente, muitas vezes e em muitos casos, em nossa vida cristã, o mesmo refrão, se usado, não é mal aplicado. Não são poucos de nós e não são poucas as ocasiões em que, após caminharmos alguns passos pra frente em nossa vida cristã, retrocedemos esses mesmos passos (quando não mais do que esses). Já conheci alguns e já ouvi falar de muitos outros que conseguiram chegar bem alto na escalada cristã e se permitiram “despencar” lá de cima, chegando até ao fundo.

Aos Gálatas Paulo teve que repreender: “Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho... Ó insensatos gálatas! quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi já representado como crucificado? Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé? Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?” (Gálatas 3:1-3)

Aos Coríntios Paulo exortou: “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia.” (1 Coríntios 10:12 RC)

Jesus disse que há necessidade de estarmos vigilantes. Temos que vigiar e orar porque, ainda que o espírito esteja fortalecido, a carne é fraca.

Pedro assim se expressou: “Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pd. 5.8 RC)

A vida cristã de muita gente é parecida com a de alguém que luta com uma dieta para emagrecer: um ciclo vicioso de perda e ganho de peso. No caso do cristão, um ciclo vicioso de ascensão e queda, de passos pra frente e passos pra trás.

Como está a SUA vida cristã atualmente? Você está ascendendo ou despencando? Você está dando passos para frente ou para trás? Ou será que você está fazendo as duas coisas: um passo pra frente e outro pra trás? Alguém pode responder que está “parado”. Mas parado, amados, na vida cristã, ninguém fica. Quando não se está indo adiante, ainda que bem devagarzinho, automaticamente se está “indo” para trás.

Que Deus nos ajude para que desse refrão faça parte de nossa vida apenas a primeira parte.

No Senhor,

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

prwalmir@hotmail.com

Humor

 

HUMOR: Humildade é o segredo

Extraído de:

http://www.internautascristaos.com.br/humor/1175-o-segredo-da-humildade

O conteúdo do site Internautas Cristãos está licenciado sob uma Licença Creative Commons

Caso você vá usar esta imagem, acesse o link acima (em vermelho) e leia a licença.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

IMPORTA ESTAR PREPARADO

IMPORTA ESTAR PREPARADO

MÚSICA: “O QUE SERÁ?”

01. Conta-se que

um filósofo realizou uma viagem, mas para chegar ao seu destino devia cruzar um rio grande e caudaloso, numa velha barca. Durante o trajeto ele começou a falar com o barqueiro, e lhe perguntou:

- Amigo, você conhece geografia?

- Não, não senhor - respondeu o barqueiro, nunca fui à escola.

- Se você não conhece geografia, você perdeu 1/4 de sua vida, replicou o filósofo. Então, você sabe gramática?

- Não, senhor, como lhe disse, nunca fui à escola.

- Lamento dizer, falou o filósofo. Então o senhor acaba de perder mais 1/4 de sua vida.

Andaram mais um pouco e o filósofo voltou a perguntar:

- Amigo, você ao menos sabe matemática?

- Não, senhor, também não sei matemática. Só sei mesmo é contar dinheiro.

- É lamentável falou o filósofo, pois o senhor com isso já perdeu 3/4 de sua vida.

Distraído com a conversa, o barqueiro descuidou e a barca bateu numa grande pedra que havia no meio do rio. A velha barca se rompeu e começou a afundar lentamente. Então o barqueiro perguntou ao filósofo:

- Amigo, você sabe nadar?

- Não, não sei, disse o filósofo.

- Então você vai perder toda sua vida, porque esta barca vai afundar.

02. Não importa quanto conhecimento tenhamos, quantos bens possuamos, ou o quanto saibamos de teologia. Se não sabemos “nadar” na hora de cruzar o rio da eternidade, estamos perdidos. “Saber nadar”, nesse caso, significa ter Jesus como seu Salvador pessoal.

03. Em Lucas 12.16-21 encontramos Jesus contando uma parábola:

“... a herdade de um homem rico tinha produzido com abundância. E arrazoava ele entre si, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos. E disse: Farei isto: derribarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; e direi à minha alma: alma tens em depósito muitos bens, para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma, e o que tens preparado para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros e não é rico para com Deus.” (RC)

04. Alguém conta de uma lenda judaica que dizia que

naquela noite de destruição no Egito, uma criança, o primogênito de uma família tinha ouvido dizer que à meia-noite o anjo destruidor chegaria trazendo a morte a todas as casas que não tivessem a mancha vermelha do sangue do Cordeiro. Lá pelas onze da noite, a criança se virava na cama de um lado para o outro sem poder dormir. Então o pai lhe disse:

- Filho, durma tranqüilo, não tem perigo.

- Não consigo, pai. Você tem certeza que manchou a porta com o sangue do Cordeiro?

- Sim, filho. Eu pedi ao meu melhor amigo que manchasse a porta e ele me prometeu que o faria.

O filho se levantou e disse:

- Pai, você confiou essa tarefa a outra pessoa, mesmo sendo seu melhor amigo? Não foi você pessoalmente que manchou a porta?

- Não, filho. Mas eu confio nele, ele nunca falhou.

- Pai, por favor, vamos lá fora, eu quero conferir.

Foram lá e quando chegaram, a porta não tinha mancha de sangue. Eram cinco para meia-noite. O pai correu desesperado para dentro da casa, tomou uma bacia, pegou o sangue e manchou a porta. Enquanto o sangue ainda escorria pela porta, os relógios da cidade deram as doze badaladas e o anjo destruidor apareceu. Suas asas começaram a bater na escuridão da noite e dentro da casa, abraçado a seu pai, o filho dizia com lágrimas:

- Mais cinco minutos pai, e eu estaria morto.

05. Em Romanos 14.12 lemos que cada um dará conta de si mesmo a Deus, e em Atos 17.30 e 31 está escrito que

“Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, em todo lugar, que se arrependam, porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do varão que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dos mortos”

06. Deus tem determinado um dia e nesse dia cada um terá que dar conta de si mesmo. Quando será esse dia?

07. O dia e a hora ninguém o sabe, disse Jesus, e continuou dizendo que

“como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem. Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor... estai vós apercebidos também, porque o Filho do Homem há de vir à hora em que não penseis... O Reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo. E cinco delas eram prudentes, e cinco, loucas. As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo. Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas. E, tardando o esposo, tosquenejaram todas e adormeceram. Mas, à meia-noite, ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo! Saí-lhe ao encontro! Então, todas aquelas virgens se levantaram e prepararam as suas lâmpadas. E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam. Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós; ide, antes, aos que o vendem e comprai-o para vós. E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta. E, depois, chegaram também as outras virgens, dizendo: Senhor, senhor, abre-nos a porta! E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço. Vigiai, pois, porque não sabeis o Dia nem a hora em que o Filho do Homem há de vir.” (Mateus 24:37-25:13 RC)

08. Quando será não sabemos e também não importa; importa é estar preparado!

a. Você está preparado?

b. Você tem Jesus como seu salvador?

c. Você já tem o sangue de Jesus aspergido em seu coração?

09. Pense nisso!

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

prwalmir@hotmail.com

terça-feira, 19 de julho de 2011

JESUS QUER SER O DONO DE SUA VIDA

JESUS QUER SER O DONO DE SUA VIDA


Dê stop no rádio e ouça aqui a música "A Paz do Céu"


 


Em Apocalipse 3.20 encontramos Jesus dizendo em carta endereçada à igreja de Laodicéia: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”.
Esse texto, além de outras verdades, me faz pensar em quatro figuras que dizem respeito a Jesus em relação ao homem em geral. Trata-se das figuras do desconhecido, do conhecido, do hóspede e do dono.
Com respeito ao desconhecido, o que vem a ser? Ora, desconhecido é algo ou alguém sobre o que ou sobre quem ainda não tomamos conhecimento. Pensando no texto em questão, Jesus se apresenta como um desconhecido no sentido de ser alguém que está do lado de fora do coração cuja porta está fechada para ele. Ora, se alguém bate à porta da minha casa, ou toca a campainha, ou bate palmas à porta da minha casa, pode até ser que eu conheça a pessoa que está fazendo isso, mas até que eu abra a porta e olhe para ela, ela será para mim uma desconhecida.
Já o conhecido é algo ou alguém sobre o que ou sobre quem nós já temos conhecimento, já sabemos o que ou quem é, e, no caso do texto em questão, alguém que a gente visualiza e reconhece quando se abre a porta. Em se tratando de Jesus, alguém que a gente reconhece quando abre a porta do coração.
Raciocinando assim, somos levados a pensar que há muita gente que desconhece Jesus apesar de conhece-lo. Conhece-o por saber de quem se trata, mas desconhece-o por ter ainda para ele fechada aporta do coração. Sentem “algo” a lhes falar, mas não sabem que é Jesus porque a porta do coração ainda está fechada para ele; sentem que “há algo faltando”, mas não sabem que esse “algo” é Jesus porque a porta do coração ainda está fechada para ele; sentem um grande vazio na alma, mas não conseguem saber o que ou quem pode preencher esse vazio, não sabem que o vazio é ocasionado pela falta de Deus na vida porque ainda não abriram o coração para Jesus.
Pensemos agora na figura do hóspede. O que vem a ser um hóspede? Uma boa definição de hóspede é: “pessoa que vive durante algum tempo em casa de outro”. O hóspede não é o dono e nem fica para sempre na casa, e, consequentemente, não tem direito a fazer nenhuma modificação na casa. Já pensou alguém hospedado em sua casa, vai ficar por três meses, e resolve quebrar uma parede, pintar a casa de vermelho...? Pensando no texto inicial, há muitos que até dão certa abertura na vida para Jesus, mas o recebem apenas como hóspede. Ele está ali, mas não é o dono, ele está ali, mas é só temporariamente, ele está ali, mas não se lhe permite fazer nenhuma mudança, nenhuma transformação.
E o dono? Bem, o dono é o dono! O dono é o chefe! O dono fica o quanto de tempo quiser e faz as modificações que quiser. E o dono, quando se for, leva a casa, ou, no caso puramente humano, leva o valor da casa consigo.
Pois bem, Jesus não quer ser um desconhecido na sua vida; e também ele não quer ser apenas um conhecido ou até mesmo um hóspede. O que Jesus quer é ser o dono da sua vida. Só assim ele poderá transforma-lo, fazer as mudanças necessárias para que você possa ser levado por ele para onde ele quer que você esteja, e esse lugar é ao lado dele na eternidade. Mas para isso você precisará abrir o seu coração para ele, convida-lo a entrar e entregar-lhe a “escritura” e as chaves.
Imagine-se morando em um lugar em que daqui há mais algum tempo tudo vai desmoronar. Aí alguém chega e lhe diz que quer levar você para outro local, mas que para isso você precisará entregar a ele o atual local em que vive. Daí você começa a pensar em quão bela é a sua casa, o quão acostumado você já está com aquele ambiente, quanto coisa de que você gosta muito e que faz nesse lugar... O que você faz? Aceita a troca ou fica ali mesmo, ainda que saiba que tudo daí a algum tempo irá desabar?...
Na graça,
Pr. Walmir Vigo Gonçalves
Xícara de café

sábado, 9 de julho de 2011

O PODER DO AMOR

O PODER DO AMORPartedocorpo007

O amor é uma virtude muito poderosa, a mais poderosa de todas. Paulo, em 1 Coríntios 13, diz que sem ele, ainda que a pessoa possua uma série de outras qualidades (dons), ela nada seria.

Platão, em “Banquete”, diz, sobre o amor, que ele supre bondade e bane a maldade; que ele oferece amizade e perdoa a inimizade; que ele é a alegria do bondoso e a maravilha do sábio; que em cada palavra, trabalho, desejo, temor, ele é o piloto, o camarada, o ajudador, o melhor e mais brilhante orientador, em cujos passos deve seguir todo homem.

Alguns provérbios italianos dizem sobre o poder do amor:

“O amor governa sem a lei”

“O amor governa o seu reino sem a espada”

“O amor é o senhor de todas as artes”

Li em determinado lugar uma belíssima história sobre o poder do amor:

“Um homem contou a história de que ele foi, certa vez, conselheiro em um acampamento de igreja que abrigava meninos pequenos. Um dos meninos que estava no acampamento tinha sido vítima de paralisia cerebral, e os outros meninos se divertiam com ele, imitando os seus gestos descontrolados e, de maneira geral, tornando a vida dele uma miséria. Um dos meninos deveria fazer um breve sermão na última noite do acampamento, e os colegas resolveram que o candidato certo para o trabalho era o menino com paralisia cerebral. Eles se divertiriam enquanto ele lutasse por expressar-se. Portanto, o pobre menino seria a “diversão”, o “espetáculo” daquela noite. Os risos já se tinham espalhado por toda a jovem audiência quando o menino subiu ao púlpito. Ele conseguiu gaguejar o seu sermão bem simples dizendo que tinha três coisas para compartilhar com os outros: 1) A Primeira é que ele sabia que Deus o amava; 2) A Segunda era que ele sabia que Deus amava a todos eles; 3) Portanto, a Terceira coisa, segundo ele assegurou aos outros meninos, era que ele próprio os amava. Toda a audiência prorrompeu em lágrimas e vidas foram transformadas naquela noite. Por quê? É porque o amor estava presente... E nos anos que se passaram, vários dos meninos que tinham estado naquele acampamento confessaram que, pela primeira vez, naquela noite, sentiram a presença de Jesus, e muitos se consagraram ao serviço cristão.”

“Limites de pedra não podem conter o amor, e o que o amor pode fazer, isso o amor ousa tentar” (Shakespeare, em “Romeu e Julieta”)

Amados, amemo-nos incondicionalmente uns aos outros com amor fraterno. Lembremo-nos do que Jesus disse: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.” (João 13:35 RA)

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Walmir

O QUE VIRAM EM TUA CASA?

 

O QUE VIRAM EM TUA CASA?

Casa_082

1. Em 2 Reis 20:12-19 temos uma história interessante da qual podemos tirar uma preciosa lição. Leia em sua bíblia esse texto.

2. Ezequias, depois que Israel se dividiu em dois (Israel e Judá), foi o 13o rei em Judá. Tinha 25 anos quando começou a reinar, e reinou por 29 anos, de 715 a 686 a.C. Na época de seu reinado Isaías era profeta em Judá. Foi um excelente rei. Em 2 Reis 18.5 está escrito sobre ele:

“No SENHOR, Deus de Israel, confiou, de maneira que, depois dele, não houve seu semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele” (RC)

3. Dentre os seus feitos:

“fez o que era reto aos olhos do SENHOR, conforme tudo o que fizera Davi, seu pai. Este tirou os altos, e quebrou as estátuas, e deitou abaixo os bosques, e fez em pedaços a serpente de metal que Moisés fizera, porquanto até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã. No SENHOR, Deus de Israel, confiou, de maneira que, depois dele, não houve seu semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele. Porque se chegou ao SENHOR, não se apartou de após ele e guardou os mandamentos que o SENHOR tinha dado a Moisés. Assim, foi o SENHOR com ele; para onde quer que saía, se conduzia com prudência; e se revoltou contra o rei da Assíria e não o serviu.” (2 Reis 18:3-7 RC)

4. Na época de Ezequias, Senaqueribe, rei da Assíria, por duas vezes tentou invadir Judá, mas sem sucesso, pois Ezequias levou o assunto ao Senhor.

5. Ezequias é mais conhecido, no entanto, pelo fato de Deus ter-lhe prolongado a vida por mais quinze anos (veja 2 Reis 20.1-11)

6. Vemos, então, que Ezequias era um homem extraordinário, aprovado e abençoado por Deus.

7. Porém, em determinado momento de sua vida, cometeu uma insensatez, a que está narrada no texto que pedi que você lesse no início. A insensatez de Ezequias foi mostrar aos mensageiros babilônios apenas o que de material havia em seu reino, perdendo assim uma grande oportunidade de glorificar a Deus. Glorificou a si mesmo ao invés de glorificar a Deus.

8. Ezequias, o rei modelo, caiu no mundanismo.

9. Os bens materiais, que da benigna mão de Deus recebera, lhe valiam mais que a glorificação do Senhor. Só o que satisfazia o seu orgulho carnal é que foi mostrado. A bondade, graça e misericórdia de Deus haviam sido esquecidas.

10. Que diferença daquela senhora idosa que morava no pátio da igreja, a quem o prefeito da cidade solicitou que lhe mostrasse o templo que estava sendo construído. Essa senhora mostrou-lhe o templo, como lhe fora solicitado, mas não se esqueceu de mostrar também ao prefeito a glória de Deus em Sua Palavra.

11. Que diferença do apóstolo Paulo, que confessou em nada ter a sua vida por preciosa, contanto que cumprisse a carreira que Deus lhe propusera.

12. Que diferença de Jesus, que, embora sendo Deus, não usou isto para a sua própria vantagem enquanto homem; antes, esvaziou-se, humilhou-se a si mesmo e fez-se servo de todos.

13. Mas não vamos apedrejar Ezequias por causa de seu erro. Apesar de tudo ele foi um grande rei nas mãos de Deus. Tomemos esse erro de Ezequias apenas como referência de algo a ser evitado.

14. Perguntemo-nos: “O que vêem as pessoas quando vão à nossa casa? O que vêem as pessoas quando olham para a nossa vida?”

15. Em 2 Coríntios 4.5-7 Paulo diz:

“Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos, por amor de Jesus. Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. Temos, porém, esse tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós”. (RC).

16. Esse texto mostra o que as pessoas precisam ver em nós e como nos devemos comportar:

a. As pessoas devem ver em nós Jesus. Precisamos apresentar as boas novas de Jesus, a Glória de Deus e não a nossa.

b. Devemos nos comportar como o que de fato somos: vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e a Ele seja dada a glória.

17. Nos versos 16 a 18 o Profeta Isaías apresenta a Ezequias quais seriam as conseqüências de sua insensatez.

18. Ezequias nem confessou o seu pecado para ver se Deus mudava o castigo. Satisfez-se em desfrutar a paz pelo resto de seus dias.

19. E o que Isaías predisse se cumpriu nos dias em que Nabucodonosor reinou sobre a Babilônia. Veja Daniel 1.1-2 e 5.2-3.

20. O pecado traz conseqüências. Principalmente quando não o confessamos.

21. O que as pessoas têm visto em sua casa? O que as pessoas têm visto em sua vida? O que os teus filhos têm visto em tua vida?

Pr. Walmir

sexta-feira, 1 de julho de 2011

O CRENTE–ÁUDIO

O CRENTE

MENSAGEM BÍBLICA EM ÁUDIO E TEXTO

DOWNLOAD

 

O CRENTE

Objetivo: Mostrar que o verdadeiro crente, por ser cidadão do céu, deve apresentar-se, em muitos aspectos, diferente daqueles que pertencem ao mundo.

Texto Bíblico: Romanos 12

Introdução.

01. Conta-se que certa vez um missionário pregava a um certo grupo de mulheres indianas. Num dado momento, uma delas levantou-se e saiu. Pouco tempo depois ela voltou e continuou a ouvir a pregação. Após o culto o missionário perguntou-lhe qual a razão de haver saído e voltado. E ela lhe respondeu: - “Fui perguntar ao seu criado se o senhor realmente praticava no seu lar os preceitos que estava recomendando do púlpito. Como a resposta foi afirmativa, não tive dúvida em voltar para ouvir falar mais acerca dos ensinos de Jesus”.

02. Já uma outra história nos diz de um jovem budista que estava trabalhando em uma pesquisa sobre as doutrinas básicas do cristianismo, e, particularmente, sobre a vida de Cristo. Em meio a essa pesquisa o jovem declarou a um seu colega de universidade, cristão: “O seu Cristo é deveras sublime, admirável, maravilhoso, mas, lamentavelmente, muitos dos que proclamam professar o seu credo não procuram ser semelhantes a ele”.

03. Qual a razão disso? A razão está no fato de existirem crentes e “crentes”.

04. Qual o significado da palavra crente? Alguns dicionários definem crente como alguém religioso, alguém que é adepto de determinado seguimento religioso. Mas nós sabemos que nem todas as pessoas que são adeptas de algum seguimento religioso são crentes no verdadeiro sentido da palavra.

05. O verdadeiro crente, biblicamente falando, é aquele indivíduo que, arrependido de seus pecados, recebeu a Cristo, pela fé, como seu único e suficiente Salvador, e deixou de viver para si mesmo e passou a viver pra Ele.

06. Esse crente, verdadeiro, é, como mostra Paulo em Filipenses 3.20, um cidadão celestial, e, como tal, deve apresentar-se, em muitos aspectos, diferente daqueles que pertencem ao mundo.

07. O texto que lemos mostra-nos isso de forma clara. Estudemos três pontos dentro do mesmo.

1) O crente deve ser diferente do mundo (vs. 1-2)

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.(Romanos 12:1-2 RC)

01. Dizer que o crente não deve conformar-se com esse mundo equivale a dizer que ele deve ser diferente do mundo.

02. Como, em que sentido o crente deve ser diferente do mundo?

03. Ser diferente do mundo não significa observar o que o mundo faz, da maneira como faz, os motivos pelos quais faz, e fazer diferente. Seria algo muito complicado isso.

04. Ser diferente do mundo significa que, nas palavras de John Murray: “estamos planejando nossas vidas por aquelas condições requeridas pelos interesses e pelas esperanças da era vindoura”. E se assim agimos, naturalmente seremos diferentes em muitas coisas.

05. O crente deve ser diferente

a. na maneira de lidar com as pessoas,

b. na maneira de se vestir,

c. na maneira de lidar com os seus negócios,

d. nas suas conversas,

e. na maneira de servir como empregado,

f. na maneira de agir para com os seus empregados,

g. na maneira de agir diante dos atos de violência, desonestidade e outros cometidos contra ele;

h. o crente não aprova e não participa de muitas festividades, como o carnaval, por exemplo;

i. o crente não freqüenta boates, salões de bailes ou locais semelhantes;

j. o crente evita a prática sexual antes do casamento;

k. o crente procura ser fiel ao seu cônjuge;

l. o crente não vive uma vida mentirosa;

m. enfim, há uma infinidade de coisas em que o crente se comporta diferentemente do mundo em geral.

06. Mas, não há muita gente no mundo que age semelhantemente? Onde está a diferença então?

a. A diferença está na motivação.

b. A diferença está em o que leva uns e outros a agirem da maneira que agem.

c. O crente age como age por amor a Cristo.

d. O crente não age de acordo com a orientação da Palavra de Deus porque o pastor ou a igreja mandou, o crente age assim porque ele ama a Cristo.

2) O crente deve estar cônscio de que, junto com os outros crentes, forma um só corpo – o de Cristo (vs. 3-5)

“Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros”.(Romanos 12:3-5 RC)

01. Analisemos alguns princípios básicos, princípios estes propostos por R. N. Champlin em O N. T. Interp. Vers. Por Vers.: (Obs. o fato de eu citar Champlin ou qualquer outro autor não significa que ele seja correto em tudo o que escreve – com respeito a Champlin, apesar de ser uma boa fonte de consulta, há alguns de seus escritos que diferem da fé evangélico em geral, incluindo a minha fé, mas o que coloco nesse texto é algo muito bom e de acordo com o que cremos)

a) Existem muitos membros, o que importa em multiplicidade. Cada um deles exerce a sua respectiva função; e cada uma dessas funções é importante para a vida coletiva da igreja, onde nenhum membro individual funciona com exclusividade. Por conseguinte, há uma importância decisiva em cada um, embora tal importância não deva ser exagerada; pois o exagero da importância individual é uma falsidade, inclinando os indivíduos ao orgulho pessoal. Nenhum membro de igreja tem o direito de mostrar-se orgulhoso, porquanto depende de todos os outros...

b) Considerados juntamente, todos os membros de uma igreja constituem uma unidade, unidade essa em torno da pessoa de Cristo. Aqueles que estão verdadeiramente vinculados em tal unidade, dificilmente podem mostrar-se espiritualmente altivos, porquanto o orgulho da unidade consiste na combinação de todos, tendo como centro o Senhor Jesus Cristo, que é o “cabeça” do corpo, ou, conforme outras considerações, que é a “alma” da igreja. Conforme qualquer desse ponto de vista, a igreja é o seu corpo ou veículo de ação; mas o próprio Cristo é a vida e a glória do organismo espiritual.

c) Cada crente individual é membro uns dos outros. Cada qual está vinculado aos demais na condição de membro. Isso porque possuem uma “vida em comum”, um propósito comum, e todos eles, juntamente, embora representem muitas funções, têm uma função em comum. Cada membro precisa de todos os outros membros. Cada qual é indispensável para os demais.

d) Existe uma unidade essencial, mas não da espécie em que a individualidade, a importância do crente individual, se perde. Essa individualidade é perfeitamente preservada, mas não às expensas dos outros crentes individuais, e certamente não às expensas da unidade do corpo. Aquele que enfatiza a sua importância de maneira exagerada destrói tanto a “unidade” quanto a “importância” do organismo inteiro. Desta forma, não está agindo como autêntico [membro] espiritual no corpo, mas ter-se-á tornado uma força destruidora que enferma e debilita o corpo.

e) O vocábulo aqui traduzido por “corpo” expressa uma “vida”, isto é, a vida em Cristo. Por conseguinte, não existem membros autênticos que não tenham sido regenerados pelo Espírito Santo. ... [Se tal regeneração não se manifesta na vida de um indivíduo, pode se duvidar, com toda razão, se o tal realmente faz parte do corpo de Cristo].

f) O valor de cada membro é retido, mas somente até onde ele está relacionado aos outros membros, porque todos são valiosos, em vista de formarem o corpo de Cristo. Nenhum membro, isoladamente considerado, pode representar o corpo de Cristo, motivo também pelo qual nenhum deles tem o direito de tentar destacar-se acima dos demais, preocupando-se com sua própria promoção e importância. Se assim o fizer, menos se preocupará com Cristo e com a exaltação da pessoa de Cristo.

3) O crente deve entregar-se por completo nas mãos do Senhor, inclusive no que respeita à sua defesa diante de outros que se lhe apresentam como inimigos (vs. 17-21)

“A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas perante todos os homens. Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens. Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor. Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem”.(Romanos 12:17-21 RC)

01. Façamos algumas considerações da mensagem desse texto:

a. O crente não deve tornar mal por mal – Isto é, o crente jamais deve entregar-se à retaliação vingativa.

b. O crente deve procurar as coisas honestas perante todos os homens – Isto é, o crente deve viver de forma honrosa perante os homens, em tudo.

c. O crente deve, se possível, no que depender dele, ter paz com todos os homens – Isto é, o crente deve fazer tudo quanto está ao seu alcance para preservar a harmonia tanto com a comunidade fora da igreja como com os indivíduos em particular. Mas nem sempre isso é possível, especialmente quando a manutenção dessa harmonia exigir o ferir os padrões de Deus para as nossas vidas. Um exemplo: Imaginemos que você conheça uma família onde todos professam fanaticamente uma religião que você sabe não estar de acordo com a Palavra de Deus. Você se dá bem com essa família. É amigo de longa data dessa família. Mas, inesperadamente, alguém dessa família se interessa pelo evangelho e lhe procura. Você o traz na igreja e começa a ministrar, em sua casa, um estudo bíblico para ele. Os demais membros da família, ao descobrirem, naturalmente, ficam furiosos, e a harmonia é quebrada. A única possibilidade de retornar à harmonia anterior é abandonar e desfazer (se possível) todo o seu trabalho de evangelização dessa pessoa. Nesse caso é preferível abrir mão da harmonia.

02. Mas a principal consideração que eu gostaria de fazer é a de que o crente deve entregar-se por completo nas mãos do Senhor, inclusive no que respeita à sua defesa diante de outros que se lhe apresentam como inimigos.

“Não leve a cabo sua própria vingança. Deponha as armas. Tire do seu revólver todos os projéteis letais, coloque sua faca vingadora na bainha. Deixe que Deus seja seu defensor”. (Charles Swindoll)

03. O crente deve entregar o juízo a Deus. Isso não significa desejar que o nosso ofensor seja castigado por Deus de alguma maneira. Veja o que diz os versículos 14 e 20: “abençoai aos que vos perseguem; abençoai e não amaldiçoeis”. / “Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça”.(Romanos 12:20 RC)

04. Veja essa história:

Durante a guerra do Kosovo, em 1999, três americanos foram capturados e ficaram reféns por mais de um mês. Após intensas negociações, ocorreu um avanço nestas mesmas negociações e os prisioneiros puderam sair em liberdade. Roy Lloyd fazia parte da delegação que conseguiu a sua libertação. Ele declarou: "Cada um dos três soldados era muito religioso. Um deles, Christopher Stone, não sairia até que lhe fosse permitido ir ter com o soldado que serviu de seu guarda e orasse por ele. Aqui estava um jovem que sabia algo sobre os princípios de Jesus. Ele poderia ter ficado ressentido com as circunstâncias e odiado os seus captores. Ele poderia ter desenvolvido um profundo espírito de vingança. Ele poderia ter carregado uma profunda raiva fruto dessa situação. Mas seguindo o mandamento de Jesus (Mateus 5:44) e o exemplo de Paulo e Silas em Filipos (Atos 16:25-34), ele perdoou ao seu captor e atendeu às suas necessidades. Num mundo onde é comum a retaliação, os crentes são chamados a serem diferentes. Devemos orar pelos que nos perseguem, perdoar-lhes e fazer-lhes bem”.

Conclusão

01. Esse é o crente: alguém diferente do mundo nas práticas, mas principalmente na motivação que o leva a determinada prática; alguém consciente de que é UM membro do corpo de Cristo e que deve viver em harmonia com os demai para que o corpo seja saudável e alguém que se entrega nas mãos do Senhor inclusive no que respeita à sua defesa pessoal diante dos que lhe ofendem.

02. Você pode enxergar essas coisas em sua vida? Você é crente de verdade?

Pr. Walmir Vigo Gonçalves