sábado, 9 de julho de 2011

O QUE VIRAM EM TUA CASA?

 

O QUE VIRAM EM TUA CASA?

Casa_082

1. Em 2 Reis 20:12-19 temos uma história interessante da qual podemos tirar uma preciosa lição. Leia em sua bíblia esse texto.

2. Ezequias, depois que Israel se dividiu em dois (Israel e Judá), foi o 13o rei em Judá. Tinha 25 anos quando começou a reinar, e reinou por 29 anos, de 715 a 686 a.C. Na época de seu reinado Isaías era profeta em Judá. Foi um excelente rei. Em 2 Reis 18.5 está escrito sobre ele:

“No SENHOR, Deus de Israel, confiou, de maneira que, depois dele, não houve seu semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele” (RC)

3. Dentre os seus feitos:

“fez o que era reto aos olhos do SENHOR, conforme tudo o que fizera Davi, seu pai. Este tirou os altos, e quebrou as estátuas, e deitou abaixo os bosques, e fez em pedaços a serpente de metal que Moisés fizera, porquanto até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã. No SENHOR, Deus de Israel, confiou, de maneira que, depois dele, não houve seu semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele. Porque se chegou ao SENHOR, não se apartou de após ele e guardou os mandamentos que o SENHOR tinha dado a Moisés. Assim, foi o SENHOR com ele; para onde quer que saía, se conduzia com prudência; e se revoltou contra o rei da Assíria e não o serviu.” (2 Reis 18:3-7 RC)

4. Na época de Ezequias, Senaqueribe, rei da Assíria, por duas vezes tentou invadir Judá, mas sem sucesso, pois Ezequias levou o assunto ao Senhor.

5. Ezequias é mais conhecido, no entanto, pelo fato de Deus ter-lhe prolongado a vida por mais quinze anos (veja 2 Reis 20.1-11)

6. Vemos, então, que Ezequias era um homem extraordinário, aprovado e abençoado por Deus.

7. Porém, em determinado momento de sua vida, cometeu uma insensatez, a que está narrada no texto que pedi que você lesse no início. A insensatez de Ezequias foi mostrar aos mensageiros babilônios apenas o que de material havia em seu reino, perdendo assim uma grande oportunidade de glorificar a Deus. Glorificou a si mesmo ao invés de glorificar a Deus.

8. Ezequias, o rei modelo, caiu no mundanismo.

9. Os bens materiais, que da benigna mão de Deus recebera, lhe valiam mais que a glorificação do Senhor. Só o que satisfazia o seu orgulho carnal é que foi mostrado. A bondade, graça e misericórdia de Deus haviam sido esquecidas.

10. Que diferença daquela senhora idosa que morava no pátio da igreja, a quem o prefeito da cidade solicitou que lhe mostrasse o templo que estava sendo construído. Essa senhora mostrou-lhe o templo, como lhe fora solicitado, mas não se esqueceu de mostrar também ao prefeito a glória de Deus em Sua Palavra.

11. Que diferença do apóstolo Paulo, que confessou em nada ter a sua vida por preciosa, contanto que cumprisse a carreira que Deus lhe propusera.

12. Que diferença de Jesus, que, embora sendo Deus, não usou isto para a sua própria vantagem enquanto homem; antes, esvaziou-se, humilhou-se a si mesmo e fez-se servo de todos.

13. Mas não vamos apedrejar Ezequias por causa de seu erro. Apesar de tudo ele foi um grande rei nas mãos de Deus. Tomemos esse erro de Ezequias apenas como referência de algo a ser evitado.

14. Perguntemo-nos: “O que vêem as pessoas quando vão à nossa casa? O que vêem as pessoas quando olham para a nossa vida?”

15. Em 2 Coríntios 4.5-7 Paulo diz:

“Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos, por amor de Jesus. Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. Temos, porém, esse tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós”. (RC).

16. Esse texto mostra o que as pessoas precisam ver em nós e como nos devemos comportar:

a. As pessoas devem ver em nós Jesus. Precisamos apresentar as boas novas de Jesus, a Glória de Deus e não a nossa.

b. Devemos nos comportar como o que de fato somos: vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e a Ele seja dada a glória.

17. Nos versos 16 a 18 o Profeta Isaías apresenta a Ezequias quais seriam as conseqüências de sua insensatez.

18. Ezequias nem confessou o seu pecado para ver se Deus mudava o castigo. Satisfez-se em desfrutar a paz pelo resto de seus dias.

19. E o que Isaías predisse se cumpriu nos dias em que Nabucodonosor reinou sobre a Babilônia. Veja Daniel 1.1-2 e 5.2-3.

20. O pecado traz conseqüências. Principalmente quando não o confessamos.

21. O que as pessoas têm visto em sua casa? O que as pessoas têm visto em sua vida? O que os teus filhos têm visto em tua vida?

Pr. Walmir

Nenhum comentário:

Postar um comentário