terça-feira, 19 de julho de 2011

JESUS QUER SER O DONO DE SUA VIDA

JESUS QUER SER O DONO DE SUA VIDA


Dê stop no rádio e ouça aqui a música "A Paz do Céu"


 


Em Apocalipse 3.20 encontramos Jesus dizendo em carta endereçada à igreja de Laodicéia: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”.
Esse texto, além de outras verdades, me faz pensar em quatro figuras que dizem respeito a Jesus em relação ao homem em geral. Trata-se das figuras do desconhecido, do conhecido, do hóspede e do dono.
Com respeito ao desconhecido, o que vem a ser? Ora, desconhecido é algo ou alguém sobre o que ou sobre quem ainda não tomamos conhecimento. Pensando no texto em questão, Jesus se apresenta como um desconhecido no sentido de ser alguém que está do lado de fora do coração cuja porta está fechada para ele. Ora, se alguém bate à porta da minha casa, ou toca a campainha, ou bate palmas à porta da minha casa, pode até ser que eu conheça a pessoa que está fazendo isso, mas até que eu abra a porta e olhe para ela, ela será para mim uma desconhecida.
Já o conhecido é algo ou alguém sobre o que ou sobre quem nós já temos conhecimento, já sabemos o que ou quem é, e, no caso do texto em questão, alguém que a gente visualiza e reconhece quando se abre a porta. Em se tratando de Jesus, alguém que a gente reconhece quando abre a porta do coração.
Raciocinando assim, somos levados a pensar que há muita gente que desconhece Jesus apesar de conhece-lo. Conhece-o por saber de quem se trata, mas desconhece-o por ter ainda para ele fechada aporta do coração. Sentem “algo” a lhes falar, mas não sabem que é Jesus porque a porta do coração ainda está fechada para ele; sentem que “há algo faltando”, mas não sabem que esse “algo” é Jesus porque a porta do coração ainda está fechada para ele; sentem um grande vazio na alma, mas não conseguem saber o que ou quem pode preencher esse vazio, não sabem que o vazio é ocasionado pela falta de Deus na vida porque ainda não abriram o coração para Jesus.
Pensemos agora na figura do hóspede. O que vem a ser um hóspede? Uma boa definição de hóspede é: “pessoa que vive durante algum tempo em casa de outro”. O hóspede não é o dono e nem fica para sempre na casa, e, consequentemente, não tem direito a fazer nenhuma modificação na casa. Já pensou alguém hospedado em sua casa, vai ficar por três meses, e resolve quebrar uma parede, pintar a casa de vermelho...? Pensando no texto inicial, há muitos que até dão certa abertura na vida para Jesus, mas o recebem apenas como hóspede. Ele está ali, mas não é o dono, ele está ali, mas é só temporariamente, ele está ali, mas não se lhe permite fazer nenhuma mudança, nenhuma transformação.
E o dono? Bem, o dono é o dono! O dono é o chefe! O dono fica o quanto de tempo quiser e faz as modificações que quiser. E o dono, quando se for, leva a casa, ou, no caso puramente humano, leva o valor da casa consigo.
Pois bem, Jesus não quer ser um desconhecido na sua vida; e também ele não quer ser apenas um conhecido ou até mesmo um hóspede. O que Jesus quer é ser o dono da sua vida. Só assim ele poderá transforma-lo, fazer as mudanças necessárias para que você possa ser levado por ele para onde ele quer que você esteja, e esse lugar é ao lado dele na eternidade. Mas para isso você precisará abrir o seu coração para ele, convida-lo a entrar e entregar-lhe a “escritura” e as chaves.
Imagine-se morando em um lugar em que daqui há mais algum tempo tudo vai desmoronar. Aí alguém chega e lhe diz que quer levar você para outro local, mas que para isso você precisará entregar a ele o atual local em que vive. Daí você começa a pensar em quão bela é a sua casa, o quão acostumado você já está com aquele ambiente, quanto coisa de que você gosta muito e que faz nesse lugar... O que você faz? Aceita a troca ou fica ali mesmo, ainda que saiba que tudo daí a algum tempo irá desabar?...
Na graça,
Pr. Walmir Vigo Gonçalves
Xícara de café

Nenhum comentário:

Postar um comentário