segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

O que é a igreja? Você é parte dela?



 

O QUE É A IGREJA?

VOCÊ É PARTE DELA?

 


01.       Ao se tratar de um tema como esse, creio que um bom texto para lermos logo de início é Mateus 16.13-18:

 

“E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do Homem? E eles disseram: Uns, João Batista; outros, Elias, e outros, Jeremias ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”

 

02.       Mas há outros textos cuja leitura se faz importante também. Cito três que nos mostram que Cristo morreu pela igreja, para resgatar a igreja. É certo que Cristo morreu por todos; é certo que sua morte é suficiente e pode ser vicária para todos; mas é certo também que ela só tem valor real para a igreja. É certo que Cristo veio para buscar e salvar o perdido e que esse perdido, enquanto nessa situação, de modo algum faz parte da igreja, ainda que seu nome esteja no rol de uma igreja local, mas é certo também que, a partir do momento em que ele se converte é automaticamente inserido no Corpo de Cristo, que é a igreja.

03.       Vamos aos textos:

 

Atos 20:28: Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.

 

Efésios 5:23: ... o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.

 

Efésios 5:25: Vós, maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela...

 

04.       Cristo morreu pela igreja!

05.       Cristo derramou seu próprio sangue para resgatar a igreja!

a.   Mas o que é a igreja?

b.   O que é essa igreja sobre a qual lemos nas Escrituras e que tem tanto valor para Deus?

c.   Será que a sua concepção de igreja está correta?

d.   Será que você não tem vivido enganado acerca do que é a igreja?

e.   E mais: será que você realmente faz parte da igreja como ela é concebida biblicamente?

06.       É importante entendermos bem essas coisas, meus queridos, para que tenhamos um referencial correto para nos analisarmos a nós mesmos e não corrermos o risco de permanecermos em uma situação de autoengano até ser tarde demais.


 

PRIMEIRAMENTE PENSEMOS SOBRE O QUE É A IGREJA.

 


07.       Henry Clarence Thiessen, em “Palestras em Teologia Sistemática”, à página 290 (terceira impressão da primeira edição em português), ao falar sobre a igreja, começa dizendo o que ela não é. Dentre o que ele diz não ser a igreja, destaco uma afirmação apenas, por se encaixar mais ao nosso contexto. Ele diz que a igreja não é uma denominação.

08.       É muito importante dizer isso hoje! É muito importante enfatizar que não encontramos em lugar nenhum da bíblia base para afirmar que a igreja seja uma denominação, ou, dizendo de forma talvez mais fácil de se entender, uma denominação, seja ela qual for, não tem base bíblica para dizer que ELA é a igreja, seja essa denominação

a.   Católica,

b.   Episcopal,

c.   Anglicana,

d.   Presbiteriana,

e.   Assembleiana,

f.     Cristã do Brasil...

g.   ... ou mesmo batista.

09.       É muito importante dizer isso aqui, hoje, porque:

a.   Há denominações que dizem de si mesmas: “aqui está a igreja verdadeira”;

b.   E também para demonstrar que aqui nós não pensamos assim.

10.       Bem, então, se a igreja não é uma denominação, o que ela é?

11.       Continuando no raciocínio de Thiessen, igreja é a totalidade das pessoas que foram verdadeiramente regeneradas por Cristo, e, localmente falando, igreja é um grupo de pessoas verdadeiramente regeneradas por Cristo e que se reúnem em qualquer lugar.

a.   Em nosso caso aqui hoje esse lugar é o templo.

b.   Mas poderia ser, por exemplo, uma casa...

                                 i.    Há poucos dias participei, em um grupo de discussão virtual, de uma questão acerca de se levar ou não a ceia do Senhor na casa de um irmão impossibilitado de vir à igreja, e minha opinião foi de que a Ceia do Senhor é para a igreja reunida e, pelo menos para nós batistas, que cremos na Ceia como um memorial apenas, muito importante, mas apenas memorial, não faz sentido celebrarmos aqui e depois o pastor ou o diácono levar particularmente para determinado irmão impossibilitado. Mas disse também que faz sentido marcarmos um dia para a igreja, especialmente a nossa que é pequena, se reunir na casa de tal irmão para culto e celebração da ceia, todos juntos – aí está a igreja reunida, numa casa.

12.       John MacArthur Jr. Diz algumas coisas interessantes sobre a igreja, dentre elas,

a.   A igreja é a assembléia mais preciosa sobre a Terra, uma vez que Cristo a adquiriu com o seu próprio sangue (Atos 20.28).

 

“Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.” (RC)

 

b.   A igreja é a esfera da comunhão espiritual (Hebreus 10.22-25)

 

“cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo o coração purificado da má consciência e o corpo lavado com água limpa, retenhamos firmes a confissão da nossa esperança, porque fiel é o que prometeu. E consideremo-nos uns aos outros, para [nos] estimularmos à caridade e às boas obras, não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns; antes, admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele Dia.” (RC)

 

c.   A igreja é o lugar principal de edificação e crescimento espirituais (Ef. 4.11-16)

 

“E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em caridade, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, do qual todo o corpo, bem ajustado e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.” (RC)

 

d.   A igreja é a plataforma de lançamento para a evangelização do mundo (Mc. 16.15)

 

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” (RC)

 

e.   A igreja é o ambiente em que se desenvolve e amadurece uma liderança espiritual forte (2 Timóteo 2.2)

 

“E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.” (RC)

 

13.       O Pr. Orivaldo Pimentel Lopes Júnior, na lição 1 da revista Compromisso (JUERP) do quarto trimestre de 2001, diz, acerca da igreja, que ela é um ajuntamento, um chamamento e um revestimento.

a.   Pensemos primeiro sobre o ajuntamento.

                                 i.    O mais antigo sentido da palavra Igreja é “ajuntamento, assembléia ou reunião”.

                                ii.    A palavra hebraica do A.T. que tem esse significado de ajuntamento foi traduzida para o grego como ekklesia, que, literalmente, significa “igreja”.

                               iii.    Mas sabemos que nem todo ajuntamento, tanto no passado quanto no presente, era, ou é, um ajuntamento de pessoas que pertençam a Deus.

                              iv.    Portanto, para um ajuntamento ser considerado “igreja” no sentido como conhecemos hoje, é preciso algo mais.

                               v.    Os dois discípulos no caminho de Emaús, que, apesar de serem apenas dois, eram um ajuntamento, mostram-nos esse “algo mais” necessário. Eles nos mostram que um ajuntamento, para ser igreja em seu sentido espiritual, precisa ser um ajuntamento em torno da Palavra de Deus. A conversa deles girava em torno da Palavra de Deus. Eles conversavam sobre a paixão e a morte de Jesus e tentavam entender o sentido bíblico-teológico daqueles acontecimentos. Eles não estavam compreendendo muito bem, mas Jesus chegou e clareou-lhes a mente.

                              vi.    Uma igreja é, então, um ajuntamento de pessoas refletindo sobre a Palavra de Deus à luz de Cristo.

b.   Em segundo lugar, seguindo o raciocínio de Orivaldo, a igreja é também, além de ser um ajuntamento de pessoas em torno da Palavra de Deus, um chamamento.

                                 i.    Ela é um ajuntamento, mas um ajuntamento ocorrido por causa de uma chamada.

                                ii.    A palavra grega ekklesia, segundo estudiosos, vem do verbo kaleo, que quer dizer “chamar”.

                               iii.    Uma igreja é, portanto, um ajuntamento de pessoas que foram chamadas por Jesus.

                              iv.    Aqueles discípulos do caminho de Emáus (Lucas 24) foram chamados por Jesus para formar a sua Igreja. No texto eles são repreendidos por Jesus porque eles estavam custando a entender e a crer nos acontecimentos recentes. Eles não se rebelam, antes, ouvem a repreensão e, depois que os seus olhos são abertos para reconhecerem a Jesus, eles confessam que os seus corações “ardiam” enquanto o ouviam falar.

                               v.    Eles estavam sendo atraídos pela força sagrada de Jesus.

                              vi.    Primeiro eles foram chamados para serem discípulos, aqueles com quem a Igreja se iniciaria, e depois eles foram “atraídos” por Cristo.

                             vii.    A Igreja é, portanto, um ajuntamento de pessoas que foram chamadas por Cristo e que deram ouvidos a esse chamado fazendo uma adesão intelectual e existencial a Jesus, o Cristo.

c.   Terceiro, ainda dentro do raciocínio de Orivaldo, a igreja é um revestimento.

                                 i.    É preciso que haja um ajuntamento de pessoas chamadas, mas essas pessoas precisam ser revestidas.

                                ii.    Mas revestidas de quê?

                               iii.    Revestidas do poder do Espírito Santo!

                              iv.    Nos versos 36 a 49 de Lucas 24 vemos os discípulos como um grupo de pessoas chamadas,

                               v.    já eram um ajuntamento de pessoas chamadas,

                              vi.    mas faltava, uma vez que Jesus ainda não havia “ido” para que o Espírito Santo “viesse”, o revestimento do poder do Espírito Santo.

                             vii.    Por isso é que Jesus lhes dá a orientação, no v. 49, para que ficassem em Jerusalém, sem nada fazer, até que Jesus cumprisse a promessa que lhes fizera acerca do envio do Espírito Santo e fossem eles, então, revestido com poder.

                           viii.    Vários dias depois, na festa do Pentecostes, aquele ajuntamento, reunido conforme o chamamento de Jesus, recebeu o revestimento, e assim a igreja nasceu.

14.       Aí está, meu querido, o que é a igreja.

15.       Mas resta ainda a questão:


 

VOCÊ É PARTE DELA?

 


16.       Note bem:

a.   não estou perguntando se você já foi batizado e se seu nome está no rol de membros de uma igreja local,

b.   não estou perguntando se você é professor, instrumentista, cantor, ministro, diácono ou mesmo pastor em uma igreja local.

c.   Estou perguntando se você é parte integrante desta igreja conforme concebida pelo Novo Testamento,

d.   estou perguntando se você é parte deste ajuntamento de pessoas chamadas por Jesus e revestidas pelo Espírito Santo,

e.   estou perguntando se você já foi verdadeiramente lavado e purificado pelo sangue regenerador de Jesus Cristo e, portanto, não apenas ESTÁ, mas É parte da igreja.

17.       Deixe-me dizer uma coisa pra você, preste bem atenção: nesta igreja verdadeira, pela qual Jesus veio e morreu, e pela qual Jesus voltará e à qual ele irá levar para junto de si, não se entra pela janela e nem pela porta dos fundos; nesta igreja verdadeira só se entra pela porta da frente.

18.       Na igreja instituição visível você até pode conseguir entrar sem ser convertido de fato,

19.       Mas na igreja organismo vivo, corpo de Cristo, só entra quem de fato se rende a Jesus pela fé.

20.       Em João 10.9 Jesus diz: “Eu sou a Porta. Se alguém entrar por mim será salvo...”

a.   Isso significa, conforme já dizia Spurgeon, que ninguém é parte da igreja de Cristo simplesmente por ter nascido em lar cristão.

                                 i.    Obviamente é um grande privilégio ter os pais cristãos.

                                ii.    Isso pode ser uma grande vantagem, se os pais cristãos forem boas testemunhas dentro do seu lar.

                               iii.    Entretanto, o exemplo mais consagrado, a formação mais espiritual não pode garantir a conversão e, sem conversão, você pode apostar nisso, você não pode ser de Cristo.

                              iv.    Nem seu pai ou sua mãe podem ser a porta para a igreja de Cristo, só o próprio Cristo.

                               v.    Ele disse: “Eu sou a porta”.

                              vi.    Se você tem Cristo, você está em Sua igreja.

                             vii.    Se você se prender à Cristo, você será membro dessa comunidade, dos seus eleitos e redimidos.

                           viii.    Nunca, entretanto, por batismo ou por direito de nascença

b.   “Eu sou a Porta. Se alguém entrar por mim será salvo...”, disse Jesus. Isso significa, também conforme já dizia Spurgeon, e conforme já deixei subentendido anteriormente, que ninguém se torna parte da igreja organismo vivo, corpo de cristo, simplesmente pelo fato de ter sido admitido na igreja instituição visível. Conforme Spurgeon disse em tempos idos:

 

                                  i.    Não deve tentar entrar em uma igreja visível quem não faz parte da igreja verdadeira.

                                 ii.    Ele não tem o direito de juntar-se à organização externa se não se agregou primeiro à organização “secreta”, através de uma fé viva em cristo.

                                iii.    Quem dá a volta pela porta e pula o muro, entrando na igreja exterior sem ser crente em Cristo, longe de ser salvo, Cristo vai dizer-lhe: “Você é ladrão e salteador, porque você subiu por outro lugar, sem passar pela porta”.

                               iv.    Eu creio que agimos corretamente ao submetermos a admissão de membros à voz de toda a igreja; creio que agimos certo ao examinarmos os candidatos, para ver se é possível crer em sua profissão de fé e se sabem o que estão fazendo.

                                v.    Porém nossa avaliação – ela não é mais profunda que a pele.

                               vi.    Não podemos sondar o coração, e o melhor juízo de muitos homens cristãos, por mais honestos e merecedores de grande respeito que sejam, é uma base muito pobre para alguém se apoiar.

                              vii.    Se você não tem Cristo, seus certificados da igreja são papéis para o lixo... porque a única maneira de entrar na igreja real, vital, viva de Cristo é voltando-se para Cristo que, ele mesmo, é a porta.

 

c.   “Eu sou a Porta. Se alguém entrar por mim será salvo...”, disse Jesus. Isso significa que a única, preste bem atenção: A ÚNICA maneira de se entrar para essa igreja pela qual Jesus voltará e à qual irá levar para estar com Ele onde Ele estiver... A ÚNICA maneira, A ÚNICA porta é Ele mesmo, o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.


 

CONCLUINDO

 


21.       O que é a igreja?

a.   Mais, muito mais que uma instituição visível, a igreja verdadeira é um organismo vivo, o Corpo de Cristo.

22.       Você é parte dela?

a.   Se você entrou pela “porta da frente” – Cristo – então você pode dizer que sim.

b.   Porém, se você entrou por alguma “janela” ou pela “porta dos fundos”, se você “pulou o muro”, então não; você pode vir a fazer quando se converter a Cristo, mas ainda não.

23.       Duas histórias interessantes , das quais desconheço o autor, para encerrarmos:

 

Sentadas em roda no varandão da casa, as crianças começaram a brincar de "faz de conta". Lá fora caía uma chuvinha gelada e fina. Deixa estar que muitas vezes, as verdades dos adultos não passam de "faz de conta", enquanto "faz de conta" das crianças, não raro exprimem grandes verdades. O mestre deu a primeira deixa "se eu fosse um sapato", e apontou para o Zezinho. " Se eu fosse um sapato", diz o menorzinho da roda, filho da cozinheira, "eu queria ser o sapato do Pelé. Eu era um sapato de rico, só andava de avião, vivia no luxo...". "Ah, eu, se eu fosse um sapato... deixa ver...", vacila o Ronaldo, leva o dedo indicador à face - "Já sei! Eu era o sapato do presidente do mundo!"" "por que", pergunta a roda. "Ora, eu tinha milhões de soldados e ministros para fazerem tudo o que eu mandasse. Era só apertar um botão e apareciam correndo; ninguém botava guerra contra mim!" O mestre aponta para o terceiro da roda, um menino franzino, de óculos e feições finas, que parecia não estar muito ligado na brincadeira. "Se eu fosse um sapato, eu queria ser o sapato do astronauta que pisou na lua primeiro. Eu seria o sapato mais famoso da história; seria visto pelo mundo inteiro na televisão", completou Eduardo. Ao seu lado estava Cristina, de nove anos, moreninha de olhos grandes. O desafio era difícil. Quem poderia vencer a riqueza, o poder ou a fama? "Se eu fosse um sapato, diz Cristina, eu queria ser a sandália de Jesus". "Por que?", fazem todos. "O sapato do Pelé, quando ele morrer, vai para o pé de um pobre e depois vai para a lata de lixo; o sapato do presidente vai com ele no caixão para debaixo da terra; o sapato do astronauta, quando ele morrer, vai para um museu; mas seu fosse a sandália de Jesus, quando Jesus subiu para o céu, eu ia junto com Ele."

 

A sandália de Jesus! Pertencer a Jesus tal qual a sandália que calçou os seus pés: eis a suprema riqueza, o poder mais alto, a glória inexcedível.

 

--------------------------------------------------------------------

 

Albertus Pieters em seu livro "Divino Senhor e Salvador," fala de um cristão que não tinha muita instrução, mas que tinha uma profunda certeza de sua salvação. Todo mundo o chamava "Velho Pete". Um dia, enquanto conversava com Dr. Pieters, ele disse, "Se Deus me levasse para bem perto da entrada do inferno e me dissesse: 'é para aqui que você vai, Pete. Esse é o seu lugar', eu diria para Ele: 'Está certo, Senhor, eu venho para cá, mas se tiver que entrar no inferno, Seu Filho querido, Jesus Cristo, deverá entrar comigo! Eu e Ele agora somos um e não podemos mais ser separados."


Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Parque Imperatriz – Dezembro de 2011

prwalmir@hotmail.com

www.prwalmir.blogspot.com

www.igrejabatistanoparqueimperatriz.blogspot.com


 

FONTES DE CONSULTAS:

 

Palestras em Teologia Sistemática de Henry Clarence Thiessen

 

Estudo de John MacArthur Jr. Sobre a igreja.

 

Lição 1 da revista Compromisso (JUERP) do quarto trimestre de 2001 – lição escrita pelo Pr. Orivaldo Pimentel Lopes Júnior

 

Sermão do do Pr. Charles Haddon Spurgeon, extraído de: Spurgeon´s Sermons em www.PalavraPrudente.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário