terça-feira, 23 de agosto de 2011

AMAS-ME?


AMAS-ME?

Sermão em áudio e texto.

Fonte de Consulta (texto): Sermão de Charles Spurgeon traduzido para o Espanhol.

Sermão 1281 disponível em www.spurgeon.com.mx


Áudio:

Para download do áudio: http://www.4shared.com/audio/fvbEZt8X/AMAS-ME.html


Texto:

“E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.” (João 21:15-17 RC)


Introdução

1. É interessante o fato de que Jesus estava para enviar Pedro para a grande missão de apascentar as suas ovelhas e, a pergunta que lhe faz é esta: “Amas-me?”.

a. Jesus não convocou um concílio para examinar se Pedro estava por dentro da teologia, das doutrinas, dos seus ensinamentos...

b. Apesar de um concílio ser importante e muito recomendável, especialmente nos dias atuais, a questão mais importante, não só para aqueles que vão ingressar na tarefa de apascentar ovelhas, mas para todos os crentes é se estes amam ao Senhor ou não.

2. E é também interessante o fato de que Jesus faz esta pergunta três vezes. Spurgeon faz um belo comentário sobre isso:

“O Senhor fez esta pergunta três vezes como que para enfatizar que o amor a ele tem uma importância de primeira ordem, de segunda ordem e de terceira ordem. Em primeiro, segundo e terceiro lugar deve vir o amor a Jesus, e só depois tudo o mais. Jesus queria deixar isso muito bem “cravado” na mente de Pedro, e por isso ele o “acerta com três golpes”, um atrás do outro”.

3. Certa vez um escriba perguntou a Jesus qual o primeiro mandamento. Jesus lhe respondeu:

“O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças: este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.” (Marcos 12:29-31 DO)

4. Vemos então a importância de amar Jesus.

5. Agora vamos imaginar uma situação hipotética. Imagine Jesus aproximando-se de você, chamando-o à parte e lhe perguntando, assim como perguntou a Pedro, se você o ama.

a. Pr. Walmir, você me ama?

b. Lazeti, você me ama?

c. ...

6. Qual seria a sua resposta?

7. Você, diante daquele cujos olhos tudo vê, inclusive se o que você está dizendo com os lábios reflete o que está no seu coração, responderia o quê?

8. Acredito que muitos de nós, se não todos, não nos agüentaríamos em nossas pernas e cairíamos de joelhos tendo de confessar o quão pouco amamos a Cristo, se é que o amamos em alguma quantia.

9. Lembro-me, enquanto penso nisso, de um acontecimento no ministério terreno de Jesus narrado em Marcos 9.17-27:

“E um da multidão, respondendo, disse: Mestre, trouxe-te o meu filho, que tem um espírito mudo; e este, onde quer que o apanha, despedaça-o, e ele espuma, e range os dentes, e vai-se secando; e eu disse aos teus discípulos que o expulsassem, e não puderam. E ele, respondendo-lhes, disse: Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei ainda? Trazei-mo. E trouxeram-lho; e, quando ele o viu, logo o espírito o agitou com violência; e, caindo o endemoninhado por terra, revolvia-se, espumando. E perguntou ao pai dele: Quanto tempo há que lhe sucede isto? E ele disse-lhe: Desde a infância. E muitas vezes o tem lançado no fogo e na água, para o destruir; mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos. E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê. E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade. E Jesus, vendo que a multidão concorria, repreendeu o espírito imundo, dizendo-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: sai dele e não entres mais nele. E ele, clamando e agitando-o com violência, saiu; e ficou o menino como morto, de tal maneira que muitos diziam que estava morto. Mas Jesus, tomando-o pela mão, o ergueu, e ele se levantou”.

10. “Ajuda a minha incredulidade”.

11. Creio que em relação ao amor, muito de nós, se não todos, cairíamos de joelhos perante Jesus e afirmaríamos amá-lo, ao mesmo tempo que clamaríamos para que ele nos ajudasse a amá-lo mais, reconhecendo assim a pequenez do nosso amor.

12. Isso se Jesus viesse nos perguntar! ...

13. Mas... quem sabe ele não está a perguntar isso a você hoje?

14. O amor a Cristo, amados, é algo de vital importância para quem deseja ter um relacionamento com ele, e, tendo feito essa breve introdução, a partir daqui quero pensar com vocês em quatro questões sobre este assunto.

15. Vamos lá...


PRIMEIRA QUESTÃO:

Há possibilidade de que o amor a Cristo não exista no coração de uma pessoa mesmo ela fazendo parte do rol de membros de uma igreja cristã.

1. Não estou fazendo uma afirmação com respeito a ninguém aqui, mas há possibilidade e isso ninguém pode negar.

2. E uma prova disso é Jesus ter dirigido essa pergunta a ninguém menos do que Pedro, alguém que fazia parte de seu círculo íntimo de discípulos, um dos mais dedicados discípulos.

3. Qualquer um que observasse por um pouco de tempo a Pedro veria que ele era um sincero seguidor de Jesus, apesar de suas falhas. Aquilo que ele externava demonstrava ser ele uma pessoa que seguia a Cristo. Entretanto, Jesus achou conveniente fazer a ele essa pergunta.

a. Sabemos que em Cristo nenhum crente é maior que o outro. Aliás, se há alguém que é grande no reino de Deus, esse é aquele que serve a todos. Entretanto, em um certo sentido Pedro seria comissionado por Jesus para ser alguém que ocuparia um lugar de destaque, que teria um elevado ofício na obra de Deus. E Jesus achou conveniente fazer a ele essa pergunta perscrutadora.

b. Pedro foi alguém que desfrutou de grandes privilégios ao lado de Jesus. Ele, Tiago e João testemunharam milagres de Jesus que não foram testemunhados por nenhum outro olho humano. Somente os três viram, por exemplo, a transfiguração de Jesus. Entretanto a ele Jesus achou necessário perguntar a Pedro se ele o amava.

c. Pedro era um homem abnegado. Deixou tudo para seguir a Jesus. Mas Jesus achou necessário perguntar a ele se o amava.

4. Seria muito fácil, amados, dizermos de alguém que não faz parte da igreja, não se envolve com ela, que este alguém não tem amor por Cristo.

a. Mas dizer que é possível que alguém se envolva com a igreja sem, entretanto, amar a Cristo?

b. Será isso possível?

c. É possível!

d. E cabe a cada um tomar para si essa pergunta de Jesus e pesar o próprio coração.

5. Pedro ficou durante três anos aprendendo ao pés de Jesus. E ele aprendeu muito. Quem não aprenderia de tão grande Professor? Mas depois de ter completado os seus “estudos”, Jesus, antes de enviá-lo a desenvolver a missão de apóstolo, considerou que era necessário lhe perguntar: “Você me ama?”. E isso Jesus fez enfaticamente.

6. Escute bem o que eu vou dizer agora:

a. você pode ler a bíblia de forma tal que a conheça intimamente capa a capa;

b. você pode digerir doutrina após doutrina;

c. você pode ser capaz de dar respostas a grandes problemas teológicos e de explicar os textos mais difíceis;

d. você pode ser capaz de responder às perguntas mais difíceis;

e. você pode ser um sujeito de quem ninguém seja capaz de duvidar se é crente de fato ou não,

f. e ainda assim pode acontecer de, de alguma forma, Jesus, através do Espírito Santo, lhe desviar a atenção de tudo isso e colocar no seu coração a pergunta: “Você ama a Cristo?”

7. Se isso acontecer com você, qual será a sua resposta?

a. Jesus não lhe pergunta se você é crente professo; ele pergunta se você o ama. Qual a sua resposta?

b. Jesus não lhe pergunta se você é membro de igreja; ele pergunta se você o ama. Qual a sua resposta?

c. Jesus não lhe pergunta se você freqüenta assiduamente a igreja; ele pergunta se você o ama. Qual a sua resposta?

8. Jesus pergunta se você o ama! Qual é a sua resposta?


SEGUNDA QUESTÃO:

Se não há amor por Cristo em seu coração, toda a profissão de fé que você fez no passado não tem nenhum valor

1. Há quanto tempo você tem professado ser crente em Jesus?

a. Um ano?

b. Dois?

c. Dez?

d. Cinqüenta?

2. Mas você ama a Cristo?

3. Se você não ama a Cristo, sua profissão de fé não tem valor.

a. Não importa se ela vem sendo dada por já algumas dezenas de anos.

b. Ela não tem valor!

4. Tem muita gente na igreja que professa ter fé em Jesus, porém não ama a Jesus.

5. Tem muita gente que ouve o evangelho dia após dia, ano após ano, porém o evangelho nunca se constituiu em boas novas, de fato, para elas.

6. Há muita gente na igreja para quem as palavras da bíblia não passam de um monte de letras mortas, porque o Cristo da Bíblia não reina, de fato, em seus corações.

7. Tem muita gente na igreja que tem escutado muitas súplicas ardentes, mas seus ouvidos têm estado surdos para as mesmas.

8. A profissão de fé dessa gente não tem valor diante de Deus porque não há amor por Cristo em seus corações.

9. Quando você se batizou você, nesse ato, estava professando sua fé em Jesus;

10. Todas as vezes que você participa da ceia do Senhor você está, através desse ato, professando sua fé em Jesus;

11. E você professa fé em Jesus de diversas outras maneiras, mas nada disso tem valor se não há amor por Cristo em seu coração.

12. Veja o que disse Spurgeon sobre isso:

“Não é possível que um homem seja um crente de verdade e não amar a Cristo. Sua primeira verdadeira esperança do céu te chegou, se alguma vez te chegou, por meio de Jesus Cristo... O primeiro sinal de conforto que alguma vez entrou em meu coração surgiu das feridas do Redentor. Nunca nutri nenhuma esperança de ser salvo até que olhei para o Cristo crucificado, em meio a agonias e sangue. E devido ao fato de que a nossa mais firme esperança está ligada, não a nenhuma doutrina ou a algum pregador, senão a Jesus, estou seguro de que assim que acabamos de receber a nossa primeira esperança, devemos amar a Jesus, de quem ela vem”

13. Vejamos alguns textos esclarecedores:

a. Mateus 10:37: “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim”Não devemos só amar a Jesus, devemos amá-lo acima de todas as coisas.

b. João 14:21: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele”Só quem ama a Jesus é amado pelo Pai e é amado pelo Filho, e so a este Jesus se manifesta.

c. João 14:23: “Jesus respondeu e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”Só que ama a Jesus será amado pelo Pai e será feito morada de Deus.

d. 1 João 4:20 e 4.8: “Se alguém diz: Eu amo a Deus e aborrece a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?” / “Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor”Quem não ama ao próximo não é capaz de amar a Deus, e não conhece a Deus.

14. E se não há amor por Cristo em seu coração, toda a profissão de fé que você fez no passado não tem nenhum valor

a. 1 Coríntios 16:22 diz: “Se alguém não ama o Senhor Jesus Cristo, seja anátema”


TERCEIRA QUESTÃO:

Se você não ama a Cristo e permanecer assim até o fim não haverá lugar diante de Deus para você na eternidade.

1. Os textos que acabamos de ler cabem bem como confirmação dessa afirmativa.

2. Voltaire, ateu convicto, foi convidado certa vez por Frederico o Grande, rei da Prússia. Na hora dos brindes, ele ergueu sua taça e disse, zombando: "Troco meu lugar no céu por um marco prussiano". Um silêncio constrangedor dominou o ambiente por alguns instantes, até que outro convidado à mesa do rei voltou-se para Voltaire e respondeu: "Meu senhor, na Prússia temos uma lei: quem tem algo para vender deve provar que o objeto à venda realmente lhe pertence. O senhor pode comprovar que possui um lugar no céu?"

3. Voltaire não tinha um lugar no céu. Ele era ateu; ele não amava a Cristo.

4. Mas a questão aqui não é Voltaire; a questão aqui sou eu e é você.

a. Você ama a Cristo?

b. Você já testou o seu coração para ver se você o ama de fato?

5. Como fazer esse teste?

6. A. W. Tozer, em “A Prova Final do Amor”, baseado em João 14.21a e 24a, no ajuda nessa questão. Diz ele:

A questão mais séria que cada um de nós tem de enfrentar é se, de fato, amamos ao Senhor ou não. E essa é uma questão que ninguém pode responder por outros; cada um tem de responder por si mesmo, cada um tem que testar a si mesmo. A Bíblia nos ajuda dando orientações sobre como testar os nossos corações para sabermos se amamos de fato ao Senhor ou não. Quais são essas orientações? São as que encontramos nos versículos 21 e 24 de João 14. Nesses versículos encontramos o Senhor dizendo aos seus discípulos que o amor e a obediência estão unidos de uma forma tal que não há como separá-los, e que guardar as suas palavras prova que o amamos, enquanto que falhar nisso ou recusar-se a isso é prova de que não o amamos... O crente não pode estar certo da realidade e intensidade de seu amor por Cristo enquanto não se defrontar face a face com os seus mandamentos, tendo de decidir sobre o que fazer com eles. Então saberá: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama... Quem não me ama não guarda as minhas palavras...”(Jo14:21a e 24a)

9. A Parábola do rico e Lázaro nos mostra que

a. A morte vem para todos igualmente e não marca hora;

b. A morte não é o fim. Há vida após a morte. Há dois destinos em um dos quais iremos viver eternamente.

c. Pessoas que partem para a eternidade sem Deus descobrem tarde demais o quanto vale uma alma e o quão terrível é se encontrar perdido para todo o sempre; e descobrem que, assim como Esaú trocou o seu direito de primogenitura por um simples prato de lentilha, eles também trocaram a sua felicidade eterna por algo que pode ser comparado a esse prato de lentilhas.

10. Não deixe para amanhã! Reconheça hoje que você é um pecador perdido. Faça hoje um compromisso de vida com Cristo, faça hoje o compromisso com Cristo de amá-lo e buscar crescer a cada dia nesse amor. Amanhã pode ser tarde demais.


E A QUARTA E ÚLTIMA QUESTÃO É:

Partindo do pressuposto de que você ama a Cristo de verdade, então faça algo para ele, algo que demonstre esse amor

1. O que foi que Jesus disse a Pedro depois que este afirmou amá-lo? ..

a. Jesus disse: “apascenta as minhas ovelhas”

2. Pode ser que façamos um monte de coisa e ainda assim não haja amor por Cristo em nosso coração.

3. Pode ser que a motivação seja alguma outra que não o amor.

4. Entretanto, uma vez que amamos a Cristo de verdade, a maneira de demonstrarmos isso é através de atos externos.

5. Esses atos são necessários.

6. Se não os há, isso pode ser uma prova que não amamos de fato a Jesus.

7. Pode ser que você não seja chamado para “apascentar” as ovelhas, ser “o apascentador”, aquele que é o principal responsável por supri-las daquilo que é necessário às suas almas, mas ...

a. ... você pode colaborar com aqueles que foram chamados a apascentar;

i. você pode colaborar se deixando apascentar, não sendo duro de coração ao ser confrontado com a Palavra de Deus – Tem crente que dá até medo de falar com ele se o assunto girar em torno de algo que seja um erro que ele está a cometer...

ii. se você já é um pouco mais maduro, um pouco mais “experimentado” na vida cristã, você pode ajudar não complicando a vida do “apascentador” – você pode fazer isso, por exemplo, sendo diligente em observar por si mesmo o que a Bíblia diz e “se consertar, disciplinar-se a si mesmo”, tendo a ela, a Bíblia, como espelho, como referência, e não o seu “achismo”.

1. S… se disciplinou – errou na questão sexual, procurou por si mesma o pastor, submeteu-se à disciplina da igreja e não houve nenhuma outra dificuldade, como “disse-me-disse”, por exemplo.

2. Vários irmãos se disciplinam resolvendo biblicamente e por si mesmos as suas diferenças, preservando assim a unidade em meio à diversidade...

3. F… não se disciplinou, não se disciplina, recebe bem a palavra do líder responsável por sua igreja mas não a aplica de verdade a si mesma, e tornou-se, por isso, uma “fonte geradora de dificuldades”...

b. ... você pode colaborar sendo um “co-apascentador”

c. ... você pode colaborar orando;

d. ... você pode colaborar ajudando na evangelização;

e. ... você pode colaborar ofertando;

f. ... você pode colaborar se envolvendo em algum ministério;

g. Enfim, há uma diversidade enorme de maneiras pelas quais você pode colaborar; uma diversidade enorme de coisas a fazer; e estas coisas não têm que ser necessariamente e somente para a / ou através da / ou representando a igreja; o mais importante é que você esteja fazendo PARA CRISTO.

8. Dois “porém” para encerrar essa questão:

a. PRIMEIRO PORÉM – o fato de eu ter apresentado uma lista exemplo de coisas que se pode fazer não significa que você vá fazer opção por UMA. NÃO!!! Você deve fazer tudo quanto você puder. Se você ama a Cristo faça TUDO quanto você puder para ele.

b. SEGUNDO PORÉM – o fato de eu dizer que estas coisas a fazer “não têm que ser necessariamente e somente para a / ou através da / ou representando a igreja; o mais importante é que você esteja fazendo PARA CRISTO”, não significa que você NÃO deva fazer através da igreja da qual você faz parte e representando esta igreja. É natural e desejável que você “faça” através da e representado a “sua” igreja, ciente entretanto de que o faz PARA CRISTO e não simplesmente PARA A IGREJA.

Concluindo

1. Vamos relembrar o que vimos?

a. PRIMEIRA QUESTÃO: Há possibilidade de que o amor a Cristo não exista no coração de uma pessoa mesmo ela fazendo parte do rol de membros de uma igreja cristã.

b. SEGUNDA QUESTÃO: Se não há amor por Cristo em seu coração, toda a profissão de fé que você fez no passado não tem nenhum valor.

c. TERCEIRA QUESTÃO: Se você não ama a Cristo e permanecer assim até o fim não haverá lugar diante de Deus para você na eternidade.

d. QUARTA QUESTÃO: Partindo do pressuposto de que você ama a Cristo de verdade, então faça algo para ele, algo que demonstre esse amor.

2. Você ama a Cristo?... Você ama a Cristo?... Você ama a Cristo?... 


prwalmir@hotmail.com

logomarca parque imperatrz 2

Um comentário:

  1. Caro Pr., belíssimo sermão!
    Receba meu abraço.
    Pr. Cleber Montes Moreira
    Itaperuna-RJ.

    ResponderExcluir