quarta-feira, 9 de setembro de 2009

EU SOU DEVEDOR

1.    Muita coisa há em comum entre as pessoas hoje em dia.

2.    Uma dessas coisas é que, em geral, ricas ou pobres, elas estão endividadas.

3.    Estejam estas dívidas sob ou fora de controle, em geral, todos as temos.

4.    Eu tenho dívidas!

5.    Eu estou devendo em pelo menos um estabelecimento comercial aqui de nossa cidade, ainda que não vencida, mas mesmo assim dívida, compromisso.

6.    E você, tem dívidas?

7.    O apóstolo Paulo certa vez declarou-se um endividado. Quer ver? Então leia o versículo abaixo:

 

"Eu sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes." (Romanos 1:14 RC)

 

8.    Mas leia também estes outros versos:

 

"E assim, quanto está em mim, estou pronto para também vos anunciar o evangelho, a vós que estais em Roma.  Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego.  Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé." (Romanos 1:15-17 RC)

 

9.    Paulo era um devedor! Uma dívida diferente, é claro, mas uma grande dívida: a dívida da pregação do evangelho para todas as pessoas!

10. Todos os crentes, de todas as épocas, tiveram, têm e terão essa mesma dívida que Paulo tinha.

11. Nesse contexto, podemos dizer que os crentes são grandes devedores, e que têm essa dívida em cada lugar do mundo inteiro onde haja pessoas que ainda não conhecem a Jesus como Salvador e Senhor.

12. Como os crentes podem saldar essa dívida?

13. Há duas coisas imprescindíveis para isso:

 

I.  NÃO TER VERGONHA DO EVANGELHO DE CRISTO.

 

1.    Paulo enfatizou que não se envergonhava do Evangelho de Cristo.

2.    Por que será que ele enfatizou isso?

3.    Informações históricas:

 

"Na Capital da Grécia – Atenas – ou na capital do império romano – Roma – o evangelho era ridicularizado como fanatismo religioso, não sendo tomado a sério, especialmente no que dizia respeito à doutrina da ressurreição. Para os gregos o evangelho representava uma insensatez, enquanto que para os judeus servia de pedra de tropeço, visto que expunha algumas idéias que o antigo judaísmo simplesmente não queria aceitar, sobretudo o conceito do Messias que o apresenta como o "Servo Sofredor"[1]

 

4.    Os crentes poderiam ficar envergonhados por pregar aquilo que para os filósofos gregos e os sofisticados políticos romanos era uma "insensatez", mas Paulo enfatiza que ele não se envergonhava, porque apesar de ser considerado ridículo por aquelas pessoas, o evangelho de Cristo era (e é), e Paulo enfatiza isso, o poder de Deus para a salvação de todo o que crer, seja quem for: judeu, grego, bárbaro, sábio ou ignorante.

5.    E Paulo pregava! Preso ou livre, para o povo comum ou para as maiores autoridades e filósofos, ele pregava! Era um autêntico "fanático"! Não se envergonhava!

6.    Ilustração verídica: No centro de Foz, uma cidade composta de mais de setenta etnias, repleta de muçulmanos, budistas e outros há um rapaz que destemidamente usa um cartaz nos semáforos para falar de Jesus.

7.    Será que hoje existem pessoas que zombam do evangelho e das pessoas que o pregam, considerando tanto ele (o evangelho), como elas (as pessoas que o pregam) ridículos? Você seria capaz de se lembrar de um exemplo?

8.    E qual tem sido a nossa atitude? Temos tido ousadia ou temos ficado calados por vergonha ou timidez?

9.    Teríamos nós coragem de fazer como o rapaz do cartaz no centro de Foz?

10. Teríamos nós coragem de pregar nos ônibus ou em praça pública, como o centro da cidade por exemplo?

11. Cremos de verdade que o Evangelho de Cristo é o poder de Deus para a salvação daquele que crê?

12. Para se saldar essa dívida é imprescindível que não tenhamos vergonha do evangelho.

13. Em segundo lugar, é preciso ser...

 

II. SER UM BOM DESPENSEIRO DA MULTIFORME GRAÇA DE DEUS.

 

"Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus." (1 Pedro 4:10 RC)

 

1.    A graça de Deus é "poikilos", isto é, multiforme, diversificada, de muitas espécies, porque se manifesta de muitos modos em nossa vida.

2.    A palavra "graça" indica tudo aquilo que de Deus recebemos sem merecer, sendo a salvação uma dessas coisas.

3.    O texto diz que temos que ser bons "despenseiros" da graça multiforme de Deus, e isso significa que nós temos que compartilhar. A mensagem da salvação é uma graça que precisamos compartilhar.

4.    Precisamos compartilhar porque, sem essa graça, as pessoas irão para o inferno.

5.    Precisamos compartilhar porque Deus nos manda compartilhar.

6.    Se assim fizermos, estaremos sendo bons "despenseiros".

 

CONCLUSÕES

 

1.    Temos uma dívida grande: devemos às pessoas a mensagem do evangelho de Cristo.

2.    Se não tivermos vergonha do evangelho e formos bons despenseiros, poderemos saldar a nossa dívida.

3.    Onde não podemos chegar pessoalmente, chegaremos através do sustento da obra missionária.

4.    Somos conclamados hoje, pela Palavra de Deus, a batalharmos firmes na obra da evangelização.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Porto Meira – Setembro de 2009



[1] CHAMPLIN, R. N. – "O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo", volume 3 – Atos – Romanos. Décima reimpressão, São Paulo, Editora Candeia, 1998.

 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário