terça-feira, 17 de agosto de 2010

OS ANTICRISTOS

OS ANTICRISTOS

 

"18 Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora. 19  Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós. 20  E vós tendes a unção do Santo e sabeis tudo. 21  Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade. 22  Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho. 23  Qualquer que nega o Filho também não tem o Pai; e aquele que confessa o Filho tem também o Pai. 24  Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai. 25  E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna. 26  Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam." (1 João 2:18-26 RC)

 

1.    Já destacamos para os irmãos, no primeiro sermão desta série, que, dentre outras coisas, João escreveu esta epístola para combater a heresia do gnosticismo.

2.    Porém, embora João se preocupasse em refutar o ensinamento gnóstico, bem como suas práticas, somente duas vezes, aqui e em 4:1-6, ele os enfrenta diretamente, chamando-os de anticristos, falsos mestres.

3.    A igreja na época de João enfrentava um perigo duplo:

a.    "Primeiramente, havia elementos "de dentro", os mestres falsos que ainda tinham algum respeito por Cristo, imaginando ser ele um dos "aeons", que tinha contato particular com este mundo. Eles esperavam fazer uma mescla de idéias, incorporando certos aspectos do judaísmo e do cristianismo com elementos das religiões misteriosas dos gregos, tendo assim criado o gnosticismo, conforme atualmente o conhecemos. E acreditavam que a essa mistura se poderia dar o nome de cristianismo; portanto, se tinham identificado com a comunidade cristã, como se realmente pertencessem a ela. A ênfase sobre as "regras de comunhão", no primeiro capítulo desta epístola – a aceitação do Filho, conforme ele é retratado na revelação cristã, bem como as exigências morais do evangelho – sem dúvida alguma foram formuladas contra aqueles elementos "de dentro", os quais, na realidade, não eram autênticos discípulos de Cristo, porquanto tinham degradado sua pessoa e obra.

b.    Em segundo lugar, haviam os elementos "de fora". Em I João 2:18 e ss., em contraste com o primeiro capítulo, são descritos aqueles elementos perniciosos "de fora". Antes tinham tido comunhão com a igreja; mas, por razões de incompatibilidade de idéias e práticas, se tinham retirado da comunidade cristã."[1] João chama a estes últimos de ANTICRISTOS.

4.    Notem que João, no texto que lemos, diz: "Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora."

5.    Ele fala sobre O ANTICRISTO, que viria (virá), e ANTICRISTOS, que já se faziam presentes.

6.    Vamos estudar um pouquinho sobre estes personagens, que fazem parte também da nossa realidade como a igreja de hoje.

7.    Primeiro vejamos sobre o Anticristo

 

I. O Anticristo

 

1.    João começa, ao escrever, taxando de anticristos aqueles que estavam enganando os irmãos a quem ele se dirigia (v.26), lembrando-lhes que eles não estavam ignorantes acerca do fato de que um anticristo haveria de aparecer para se opor a Cristo.

2.    Este é chamado de O ANTICRISTO devido ao fato de que sua oposição a Cristo será singular, e ele negará tanto o Pai quanto o Filho (v.22).

3.    Paulo, em II Tessalonicenses 2:3-4 o apresenta como o homem do pecado e filho da perdição, aquele que se levantará e fará oposição a Deus, e que se assentará como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus: "Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus."

4.    E Apocalipse 13:1-8 o apresenta como uma besta que agirá no poder do "dragão", à qual será permitido proferir grandes blasfêmias contra Deus e fazer guerra aos santos e vencê-los. Será adorada por muitos cujos nomes não estão inscritos no livro da vida: "E eu pus-me sobre a areia do mar e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e, sobre os chifres, dez diademas, e, sobre as cabeças, um nome de blasfêmia. E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés, como os de urso, e a sua boca, como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio.  E vi uma de suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta. E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela?  E foi-lhe dada uma boca para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para continuar por quarenta e dois meses. E abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu. E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda tribo, e língua, e nação. E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo."

5.    Veja algumas características do anticristo, alistadas por Champlin:

a.    O anticristo negará tanto ao Pai quanto ao Filho (I João 2:22);

b.    Ele negará o significado e a importância da encarnação de Cristo (I João 4:3 e II João 7);

c.    O anticristo promoverá um espírito anticristão no mundo, que já existia na época dos apóstolos, mas que foi mera prefiguração do tempo muito mais crítico que prevalecerá quando o anticristo estiver em ação;

d.    Uma das principais características do anticristo será a capacidade de seduzir e enganar;

e.    O anticristo será um indivíduo caracterizado pela incorporação da mais profunda maldade em sua própria pessoa. Também será homem dotado de sabedoria humana consumada, um verdadeiro gênio, embora um gênio do mal;

f.     O anticristo será o mais convincente e inchado de todos os "egos-maníacos" que já existiram. Ele se auto-proclamará Deus;

g.    O anticristo será um operador de milagres, sendo que muitos desses, talvez não passarão de realizações científicas. Mas todos os seus milagres, científicos e genuínos, terão o objetivo de enganar e perverter, ao invés de iluminar e beneficiar. Os homens que tiverem rejeitado a verdade se juntarão em torno dele, e grande será o número de blasfemadores que exaltarão o anticristo e que zombarão dos crentes, de Cristo e de Deus Pai. Mas Deus confirmará estes no erro por terem rejeitado voluntariamente a verdade, e eles sofrerão a perdição eterna (II Tessalonicenses 2);

h.    O anticristo será uma espécie de imitação da encarnação, porquanto satanás estará com ele, habitando nele; e assim será ele a personificação da mais elevada forma de maldade possível. Sua inteligência será astronômica, mas inteiramente perversa e destruidora tal como se dá no caso de satanás (ver II Ts. 2:9 e Ap. 13:2-5);

i.      O anticristo aplicará sanções econômicas, exigindo certa marca identificadora para quem quiser comprar ou vender;

j.      O próprio anticristo terá uma forma de identificação numérica, a saber: 666. Quando o anticristo aparecer tornar-se-á claro o significado desse número, embora talvez ninguém consiga decifrá-lo até então.[2]

6.    Esse é O ANTICRISTO, "... o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda, [cujo]... aparecimento... é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos" (2 Ts 2:8-10 RA)

7.    Vejamos agora sobre os anticristos:

 

II. Os anticristos.

 

1.    Depois de João fazer-lhes lembrar que eles não eram ignorantes quanto à vinda do anticristo, diz que muitos anticristos já se têm levantado. Ele estava se referindo aos falsos mestres gnósticos, classificando-lhes como arautos do anticristo, e, portanto, anticristos também, ainda que não à altura do "homem da iniqüidade".

2.    Os gnósticos eram anticristos porque eles negavam o verdadeiro Cristo do cristianismo, reputando-o como um mero "aeon" angelical. Negavam que ele fosse o "Verbo" de Deus. Negavam a sua encarnação real, dizendo que um "aeon" teria meramente "possuído" o corpo de Jesus de Nazaré por algum tempo. E muitas outras coisas.

3.    Hoje em dia também existem os anticristos, e existem aos milhares.

4.    Vou citar dois exemplos, e com isso não estou dizendo que estas pessoas sejam diabólicas, maléficas, malignas, etc., no sentido social; o que estou dizendo é que elas podem biblicamente serem classificadas como anticristos porque descrêem de Cristo como ele é apresentado nas escrituras, e ensinam assim.

5.    Vamos a estes exemplos:

a.    Os "Testemunhas de Jeová" – Eles negam abertamente a divindade de Cristo, e são, por isso, anticristos, e são hábeis na arte de seduzir e enganar as pessoas.

b.    A denominada "Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias", mais conhecida popularmente como a igreja dos Mórmons, é outro grupo de anticristos que estão espalhados por aí. Veja algumas razões para essa afirmação:

                                  i.    A Bíblia ensina que Jesus é Deus eterno, e os Mórmons ensinam que ele é um ser criado, irmão de Lúcifer;

                                ii.    A Bíblia ensina que Ele é Deus, um com o Pai e o Espírito Santo, que existe um só Deus que se manifesta de forma triúna, sendo Jesus a Segunda Pessoa da Trindade, e os Mórmons ensinam que ele é "um dentre muitos deuses", e de menor importância ainda na cosmologia Mórmon mais ampla;

                               iii.    A Bíblia ensina que a sua encarnação se deu de uma virgem, e que foi obra do Espírito Santo, e os Mórmons ensinam que Jesus nasceu através de um ato sexual físico entre o Deus e Maria.[3]

6.    Pessoas que assim ensinam são anticristos, os mesmos acerca dos quais a Bíblia nos alerta, que são ardilosos na arte de enganar. (muitos porque vivem um auto-engano)

7.    Há muitos outros anticristos dessa espécie, que negam a Cristo, vivendo entre nós.

8.    Mas também são anticristos aqueles que dizem ser o Cristo.

9.    Quanto a estes, parece até um absurdo que alguém creia neles e os siga, porém, isso acontece, e no Brasil nós temos visto boquiabertos acontecimentos dessa natureza.

10. Coisas como essas, que parecem absurdas, acontecem porque são realizadas "segundo a eficácia de satanás".

 

Concluindo

 

1.    Não há como evitar o surgimento do anticristo e de anticristos.

2.    Eles são previstos pela Palavra de Deus.

3.    Não nos resta outra coisa a fazer, como crentes em Jesus, senão firmarmo-nos na Verdade revelada na Palavra de Deus, orar por nós mesmos e pelas pessoas que são assediadas por tais anticristos, e combatê-los veementemente, na intenção de livrar o maior número possível de pessoas de seus enganos.

4.    Não podemos também ter medo de dar "nome aos bois".

5.    Assim como João ousadamente combateu as heresias gnósticas, taxando-as de anticristãs, e anticristos aos que as seguiam a pregavam, nós também precisamos fazê-lo com ousadia e sabedoria no Espírito.

6.    Também, se não nos achamos preparados para confrontá-los, é bom que não os recebamos em nossas casas. Talvez você possa e deva recebê-los como amigos ou parente, se forem seus amigos ou parentes, e com amor, porém não como instrutores, porque ele não irão lhe instruir na verdade e sim no engano.

7.    Se alguém quiser discutir isso, discuta não comigo, mas com João:

 

"Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo. Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganhado; antes, recebamos o inteiro galardão. Todo aquele que prevarica e não persevera na doutrina de Cristo não tem a Deus; quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto o Pai como o Filho. Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis..." (2 João 1:7-11 RC)

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves



[1] CHAMPLIN, R. N. – O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. Décima reimpressão, São Paulo – SP. Editora Candeia, 1998. Comentário extraído da página 245 do sexto volume

[2] Ibid., volume 5, p. 241, 242.

[3] ANKERBERG, John e WELDON, John - Os Fatos Sobre os Mórmons. Tradução de Neyd Siqueira. Por Alegre – RS, Obra Missionária Chamada Da Meia-Noite, 1998.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário