quarta-feira, 10 de março de 2010

MISSÕES


MISSÕES


Estamos em tempo de campanha de Missões Mundiais, e a seguinte história, contada originalmente pelo falecido Pr. Oswald Smith e depois recontada por muitos outros servos de Deus, cabe bem aqui como reflexão. A história diz respeito a um Cristão na China, o João Chinês. Vamos à história:



João Chinês estava ao lado de um ateu que lhe perguntou: Qual será a primeira coisa que você fará quando chegar ao céu? Ele respondeu: Vou percorrer as ruas de ouro até encontrar o Salvador Jesus e me prostrarei perante Ele para adorá-Lo pela minha salvação. Ótimo, disse o ateu, zombando. E então, João Chinês, o que fará em seguida? Ah! Percorrerei as ruas do céu até encontrar o missionário que veio ao meu país trazendo o evangelho. Tomarei sua mão e lhe agradecerei pelo seu papel em minha salvação. E o que fará em seguida, João Chinês? Inquiriu o ateu. Então continuarei até encontrar o homem ou a mulher que tornou possível ao missionário vir à China, sustentando-o com orações e dinheiro e também agradecerei pelo seu trabalho e pela sua contribuição na minha salvação.



Talvez a maioria de nós só possa fazer missões de forma direta, anunciando nós mesmos o evangelho, no lugar em que estamos vivendo, mas todos podemos e devemos ser como esse último homem a quem João Chinês queria encontrar para agradecer. Todos podemos contribuir sustentando os missionários com orações e ofertas para que eles possam ir e pregar aonde nós não podemos.



A um homem chamado J. Price é atribuída a seguinte narrativa seguida por uma reflexão:



Num acampamento missionário em Mindanau, nas Filipinas, fui escala­do para uma missão evangelística, pela primeira vez em minha vida. Foi com um profundo sentimento de alegria e gratidão que ajudei uma pessoa a apro­ximar-se de Deus. Voltando ao acampamento, um sentimen-to de tristeza invadiu-me a alma e empanou a alegria que eu sentira, por-que lembrei-me que alguns dos meus familiares na Ilha de Luzón estavam também esperando por alguém que lhes trouxesse as Boas Novas da salvação. Só então compreendi que não podemos ser verdadeiros seguido-res de Cristo e ter gozo completo, a menos que fale­mos a outros a respeito dEle. Nós, que somos membros da Igreja, não podemos encher-nos do amor de Deus e sentir a alegria da sua presença, sem reconhecer que temos a res­ponsabilidade de anunciar Cristo àqueles que ainda não o conhecem. Como André, não podemos contentar-nos em apenas conhecer Cristo. Quando Ele vive em nós, procuramos apresentá-lo também a ou-tros. Assim a Igreja está sempre em atividade na sua missão mundial de levar aos outros o conhecimento de Deus e da sua obra de salvação."



Que Deus nos abençoe e à Junta de Missões Mundiais da Convenção Batista Brasileira, bem como todas as igrejas Batistas filiadas à CBB, nessa tarefa de levantar os recursos necessários para mais um ano de trabalho.


Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário