terça-feira, 30 de março de 2010

DEUS E O DINHEIRO

DEUS E O DINHEIRO

 

Texto Básico: 1 Crônicas 29.10-20

 

Lição 1, de autoria do Rev. Arival Dias Casimiro, da Revista Educação Cristã volume IV - SOCEP – Adaptada para ser estudada pela Igreja Batista no Porto Meira

 

=========================================================

Objetivo: Conscientizar de que os bens que possuímos pertencem a Deus.

=========================================================

 

INTRODUÇÃO

 

1.    Quem é o Criador de todas as coisas?

2.    Deus é o Criador de todas as coisas, e, por isso mesmo, Ele tem direito absoluto sobre tudo. Veja os seguintes versículos:

 

"Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. Porque ele a fundou sobre os mares e a firmou sobre os rios." (Salmos 24:1-2 RC) / "Depois disto, o SENHOR respondeu a Jó de um redemoinho e disse: ... Onde estavas tu quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência.  Quem lhe pôs as medidas, se tu o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel?  Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina...?" (Jó 38:1, 4-6 RC) / "Quem primeiro me deu, para que eu haja de retribuir-lhe? Pois o que está debaixo de todos os céus é meu." (Jó 41:11 RC)

 

3.    A relação do homem com as coisas criadas é apenas de mordomia, isto é, de administração:

 

"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou.  E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.  E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda erva que dá semente e que está sobre a face de toda a terra e toda árvore em que há fruto de árvore que dá semente; ser-vos-ão para mantimento." (Gênesis 1:26-29 RC)

 

4.    "Mordomo" é a tradução do grego "Ecônomo", que significa, literalmente, "aquele que é responsável pela direção ou administração da casa". É aquela pessoa a quem é entregue os bens, para que ele cuide e desenvolva.

5.    No nosso texto inicial encontramos Davi reconhecendo a posição sua e de seu povo, bem como a posição de Deus em relação aos bens que eles haviam ofertado. Davi diz no versículo 14: "... tudo vem de Ti, e da Tua mão to damos".

6.    Quem é o Deus de Davi? O que pertence ao Deus de Davi? Quem é Davi e o seu povo? E o que é a NOSSA oferta? É sobre essas questões que estaremos tratando no presente estudo.

7.    Vamos a elas:

 

I. QUEM É O DEUS DE DAVI?

 

"Pelo que Davi louvou ao SENHOR perante os olhos de toda a congregação e disse: Bendito és tu, SENHOR, Deus de nosso pai Israel, de eternidade em eternidade" (1 Crônicas 29:10 RC)

 

1.    "SENHOR" é a tradução do hebraico JAVÉ, que também pode ser traduzido, como na BLH, por "ETERNO".

2.    Na ocasião da teofania[1] da sarça ardente Deus se revelou como o "EU SOU":

 

"E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós." (Êxodo 3:14 RC)

 

3.    Essa revelação que Deus faz de Si mesmo, por si só, demonstra alguns atributos de Deus que são revelados pelas Escrituras como um todo[2]:

a.    Ele tem vida independente, em contraste com a vida de todos os seres criados, que é derivada ou dependente. Usando uma linguagem filosófico-teológica, Ele é a "causa não causada", isto é, Ele é a origem de tudo, mas Ele mesmo não se origina de nada, Ele é auto-existente.

b.    Ele é o Poder Supremo e Imutável. Ele não pode perder sequer uma mínima fração de qualquer de suas características, e nem pode aperfeiçoá-las, pois em tudo o que Ele é o é já o é em perfeição infinita. 

4.    Esse é o Deus de Davi, o qual é também o nosso Deus. Ele é o Senhor Eterno, Criador e Senhor de tudo e de todos.

5.    No próximo ponto veremos mais algumas características de Deus, reveladas por Davi no nosso texto Base. Vamos então a ele:

 

II. O QUE PERTENCE A DEUS?

 

"Tua é, SENHOR, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, SENHOR, o reino, e tu te exaltaste sobre todos como chefe." (1 Crônicas 29:11 RC)

 

1.    Na primeira frase desse versículo Davi atribui a Deus alguns valores pessoais:

 

a.    MAGNIFICÊNCIA – Magnificência é o mesmo que grandeza. Ao Senhor pertence a grandeza. Ele é o único Deus verdadeiro, sabemos disso, mas os israelitas sempre faziam comparações entre a pequenez dos deuses dos outros povos e a grandeza do seu Deus:

 

"O teu caminho, ó Deus, está no santuário. Que deus é tão grande como o nosso Deus?" (Salmos 77:13 RC) / "Agora sei que o SENHOR é maior que todos os deuses; porque na coisa em que se ensoberbeceram, os sobrepujou". (Êxodo 18:11 RC)

 

Também a grandeza de Deus em seus atos era constantemente comentada:

 

"E hoje sabereis que falo, não com vossos filhos, que o não sabem e não viram a instrução do SENHOR, vosso Deus, a sua grandeza, a sua mão forte, e o seu braço estendido;" (Deuteronômio 11:2 RC) / "Esqueceram-se de Deus, seu Salvador, que fizera grandes coisas no Egito" (Salmos 106:21 RC)

          

b.    PODER – Sugere a capacidade inerente de Deus para realizar qualquer atividade material ou espiritual.

 

c.    HONRA – Significa o reconhecimento da obra de outra pessoa, dando-lhe a posição e as honras que merece. Deus é merecedor de toda a honra pela posição e obra que executa.

 

"Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus seja honra e glória para todo o sempre. Amém!" (1 Timóteo 1:17 RC)

 

d.    VITÓRIA – Davi estava reconhecendo que todas as vitórias de Israel pertenciam a Deus.

 

e.    MAJESTADE – Elevação, superioridade. Deus, como Rei Supremo, exerce o Seu governo envolto em majestade e glória.

 

"O SENHOR reina; está vestido de majestade; o SENHOR se revestiu e cingiu de fortaleza; o mundo também está firmado e não poderá vacilar." (Salmos 93:1 RC) / "Glória e majestade estão ante a sua face; força e formosura, no seu santuário" (Salmo 96:6 RC)

 

2.    Por possuir esses valores pessoais, atribuem-se a Deus, agora, valores globais:

 

a.    "...TEU É TUDO QUANTO HÁ NOS CÉUS E NA TERRA..." – Toda propriedade pertence a Deus por direito de criação, mas também por direito de preservação e redenção:

 

"E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou."

(Gênesis 1:27 RC) / "E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Varões atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos;  porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais não o conhecendo é o que eu vos anuncio.  O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens.  Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas;  e de um só fez toda a geração dos homens para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados e os limites da sua habitação,  para que buscassem ao Senhor, se, porventura, tateando, o pudessem achar, ainda que não está longe de cada um de nós;  porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração." (Atos 17:22-28 RC) / "E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação" (Apocalipse 5:9 RC)

 

b.    "...TEU É, SENHOR, O REINO, E TU TE EXALTASTE SOBRE TODOS COMO CHEFE" – Deus é TODO-PODEROSO, que tem em Suas mãos o domínio universal e que conhece o fim desde o princípio e os meios que utilizará para alcançar esse fim. Tudo, sem exceção está sob o Seu controle e Sua vontade é a razão fundamental de tudo o que acontece.

 

"E todos os moradores da terra são reputados em nada; e, segundo a sua vontade, ele opera com o exército do céu e os moradores da terra; não há quem possa estorvar a sua mão e lhe diga: Que fazes?" (Daniel 4:35 RC) / "Ah! Senhor JEOVÁ! Eis que tu fizeste os céus e a terra com o teu grande poder e com o teu braço estendido; não te é maravilhosa demais coisa alguma." (Jer. 32:17 RC) / "E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra." (Mateus 28:18 RC) / "Mas o nosso Deus está nos céus e faz tudo o que lhe apraz." (Salmos 115:3 RC) / "Tudo o que o SENHOR quis, ele o fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos." (Salmos 135:6 RC) / "Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura, a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?" (Romanos 9:20 RC)

 

3.    E a conclusão óbvia a que chega Davi é que, se tudo pertence a Deus, tudo o que o homem é e possui procede de Deus: 

 

"E riquezas e glória vêm de diante de ti, e tu dominas sobre tudo, e na tua mão há força e poder; e na tua mão está o engrandecer e dar força a tudo.  Agora, pois, ó Deus nosso, graças te damos e louvamos o nome da tua glória.  Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, que tivéssemos poder para tão voluntariamente dar semelhantes coisas? Porque tudo vem de ti, e da tua mão to damos." (1 Crônicas 29:12-14 RC)

 

4.    A terceira questão é:

 

III. QUEM É DAVI E QUEM É O SEU POVO?

 

"Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, que tivéssemos poder para tão voluntariamente dar semelhantes coisas?"

 

1.    Com as palavras acima Davi referia-se às ofertas feitas por ele e por toda a nação para a edificação do templo de Jerusalém, como se acham catalogadas nos versos de 1-9 do capítulo 29. Era muita coisa. Segundo estudiosos[3]:

a.    A Oferta de Davi, que foi de 3.000 talentos de ouro e 7.000 talentos de prata, equivale, em termos atuais, a mais de 100 toneladas de ouro e a mais de 240 toneladas de prata.

b.    A oferta do povo que foi de cinco mil talentos de ouro e dez mil dracmas, dez mil talentos de prata, dezoito mil talentos de cobre e cem mil talentos de ferro, equivale a mais de 170 toneladas de ouro, mais de 340 toneladas de prata, mais de 600 toneladas de cobre e mais de 3.400 toneladas de ferro.

2.    Grande era a oferta, mas Davi indaga: "Quem somos nós?" Somos MORDOMOS – responde o mesmo. Nada temos que não proceda do Senhor e somos administradores dos bens de Deus:

 

"Porque tudo vem de Ti, e das Tuas mãos to damos" (v.14).

 

3.    Quem somos nós?

 

"Somos estranhos... peregrinos... como sombra os nossos dias... não temos permanência" (v. 15)

 

4.    Chegamos, então, à quarta e última questão:

 

IV. O QUE É A NOSSA OFERTA?

 

1.    O ato de ofertar a Deus é um privilégio.

2.    Em II Co. 8.1-4 Paulo descreve a participação dos crentes macedônios na coleta para os pobres da Judéia como uma graça concedida por Deus.

3.    Davi também entendia assim, e por causa disso ele pede a Deus:

 

"SENHOR, Deus de nossos pais Abraão, Isaque e Israel, conserva para sempre no coração do teu povo estas disposições e pensamentos, inclina-lhe o coração para contigo" (1 Crônicas 29:18 RA)

 

4.    Ofertar é uma disposição interna produzida por Deus no coração e na mente do crente. Conseqüentemente, a oferta é

a.    voluntária (v. 14),

b.    abundante (v. 16),

c.    sincera e dada com alegria (v. 17).

 

CONCLUSÃO

 

1.    Quem é o nosso Deus, quem somos nós e o que é a nossa oferta? Que significado tem o ato de ofertar a Deus?

2.    O nosso Deus, amados, é o mesmo de Davi. O nosso Deus é o Senhor a quem pertence a grandeza, o poder, a honra, a vitória, a majestade, tudo quanto há no céu e na terra, o reinado sobre tudo e sobre todos, e muito mais.

3.    Nós, diante desse Deus a quem tudo pertence, somos mordomos. Podemos até achar que somos donos de alguma coisa, mas a verdade é que tudo pertence a Deus. Nós usufruímos, mas temos que usufruir com responsabilidade, porque tudo é de Deus.

4.    O ato de ofertar a esse Deus deve ser encarado como um privilégio.

5.    Você vai entregar um dízimo, uma oferta para a igreja local, uma oferta para Missões? Entregue com alegria, não como uma obrigação pesada, mas como um privilégio.

6.    Quero encerrar deixando com vocês o seguinte trecho da Palavra de Deus:

 

"Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas. Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas..." (Deuteronômio 8:17-18 RA)

 

Porto Meira – Março de 2010



[1] TEOFANIA: Manifestação visível de Deus: a) com mensagem direta (Êx 19.9-25); b) em SONHO com mensagem (Gn 28.12-17); c) em visão com mensagem (Is 6.1-13); d) com mensagem por um anjo (Êx 3.2-4.17). O "ANJO do Senhor" é uma teofania que se enquadra nas características da segunda pessoa da Trindade (Gn 16.7-13; Êx 3.2-6; Jz 6$). (Informação extraída do Dicionário Bíblico Almeida, em A Bíblia Online, versão 2.01 da SBB)

 

[2] Em parte os dois pontos que serão relacionados são extraídos de O Antigo Testamento Interpretado Versículo por Versícuo, volume 1, de R. N. Champlin, Editora Candeia.

[3] Cálculo feito segundo o peso, em Kg, de um talento, em o Dicionário Bíblico Almeida, em A Bíblia Online, versão 2.01, da SBB.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário