terça-feira, 31 de março de 2015

VOCÊ AMA A CRISTO?


VOCÊ AMA A CRISTO?

“... ao qual, não o havendo visto, amais...” (1 Pedro 1:8a RC)

 

Ä  A Primeira Carta de Pedro foi escrita para os cristãos que viviam em cinco províncias romanas que ficavam numa região que hoje faz parte da Turquia.

Ä  Esses cristãos estavam enfrentando sofrimentos e perseguições por causa da sua fé.

Ä  Ao procurar animá-los a continuarem firmes na sua dedicação a Jesus Cristo, o apóstolo mostra que os sofrimentos serviam para provar que a fé que eles têm é verdadeira (1.7).

Ä  Ele cita o exemplo de Cristo, que suportou o sofrimento e a morte em favor deles; aconselha que eles, por sua vez, sigam o exemplo do Mestre (2.21-25). Recomenda que, acima de tudo, eles vivam uma vida que traga honra e glória para o nome de Deus (1.15-16). E o autor faz lembrar de novo aos leitores a razão de eles terem sido salvos: "Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz" (2.9).

Ä  No versículo que lemos inicialmente encontramos uma palavra de Pedro que podemos considerar como sendo uma constatação: “vocês não viram a Jesus, mas o amam”.

Ä  Certamente que Pedro chegou a essa constatação por observar, ou pelo menos tomar conhecimento das atitudes daqueles crentes. As atitudes deles demonstravam o amor que tinham por Cristo.

Ä  Amados irmãos, existem muitas coisas sobre as quais não basta fazermos uma declaração; é preciso mais que declaração, é preciso demonstração, e demonstração é através de atitudes.

Ä  Provérbios 20.11 diz  que até mesmo uma criança mostra o que é por suas ações.

Ä  No que concerne ao amor que declaramos ter por Cristo, o mesmo precisa ser demonstrado através de atitudes concretas.

Ä  Você ama a Cristo? Se sim, então demonstre através de atitudes.      

Ä  Quais são essas atitudes? São muitas! Nessa nossa reflexão veremos apenas três.

Ä  A primeira é:

 

ANSIEDADE PELA PRESENÇA DE CRISTO, COM CONSCIÊNCIA DO SIGNIFICADO DESSA PRESENÇA.

 

(Demonstramos que amamos a Cristo quando ansiamos por sua presença conosco, conhecendo o significado todo dessa presença)

 

Ä  Ansiedade pela presença de Cristo! Todo mundo sabe o que isso significa. Mas notem que eu não disse apenas "ansiedade pela presença de Cristo", disse também "com consciência do significado dessa presença".

Ä  Por que disse/escrevi assim?

Ä  A razão é simples: é porque há muita gente que anseia pela presença do Cristo: do Cristo que abençoa, que cura, que liberta, que livra das aflições, etc., mas

o   quando se trata da presença do Cristo que exige daqueles que querem ser seus discípulos o negar-se a si mesmo e o levar a cruz, esquivam-se;

o   quando se trata de um Cristo que exige que se obedeça à sua palavra, esquivam-se;

o   quando se trata de um cristo que exige que os seus dêem tudo de si em prol da causa do evangelho, esquivam-se;

o   Quando se trata de um Cristo que exige dos seus que exibam qualidades como amar até mesmo os inimigos, orar pelos que os perseguem, bendizer os que os maldizem, capacidade de oferecer a outra face, andar a segunda milha, ser paciente ao invés de irritadiço, ser benigno ao invés de viver só para si, esquivam-se;

Ä  Anseiam pela presença de um Cristo que não exija nada, que seja apenas um provedor dos desejos egoístas de seu coração.

Ä  Amados, o nosso Cristo é um Cristo que nos abençoa, mas também exige de nós. Ansiar pela presença desse Cristo significa também que estaremos dispostos a atender as suas exigências, tanto as que ele nos deixou de forma direta quanto as que ele nos deixou através de seus apóstolos.

Ä  Se você anseia pela presença desse Cristo e está disposto a cumprir suas exigências, é um bom indício de que você o ama verdadeiramente. Caso contrário...

Ä  A segunda atitude que quero pensar com os amados é:

 

O ZELO PELA FREQUÊNCIA ÀS REUNIÕES / CULTOS DA IGREJA

 

(Demonstramos que amamos a Cristo quando somos zelosos quanto à frequência às reuniões / cultos promovidos pela igreja)

 

Ä  Xiii!!!! Que dureza, hein? Afinal, temos tantos “motivos” para estarmos ausentes ao invés de presentes.

Ä  Cada um sabe dos seus motivos e não cabe a mim julgá-los. Mas cabe a você que os têm fazer isso. Seus motivos são, de fato, motivos?

Ä  Alguém pode discordar dessa palavra, mas vai ter que ir falar com Jesus, por que foi ele quem começou tudo isso. Foi ele quem fundou a igreja, foi ele quem instituiu a ceia do Senhor e ordenou que a mesma fosse observada (pra isso precisa de gente reunida). E certamente foi ele quem orientou seus apóstolos que se fizessem reuniões de oração, comunhão, estudo da Palavra, nas casas e no templo. E alguém pode dizer que as igrejas hoje são diferentes das "originais", das de lá dos primórdios, que as igrejas hoje têm muitos defeitos/pecados e as "de lá" não... Como assim? Com Jesus tinha um Judas; as cartas neotestamentárias escritas a igrejas apontam, para corrigir, pecados gravíssimos dentro das mesmas; as cartas de Jesus através de João às sete igrejas registradas no Apocalipse apontam pecados existentes nelas, e Jesus disse que ao final vai apresentar a si mesmo a sua IGREJA, gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível (Ef. 5.27) – Vai apresentar a si mesmo a sua IGREJA – se você não gosta de igreja, então terá que ir para outro lugar... Ademais, a IGREJA é o corpo de Cristo, a sua Noiva, o edifício que está sendo edificado sobre ele mesmo. Mas você pode ainda argumentar que a verdadeira igreja é universal e invisível; pode ser, mas a sua expressão é local e visível – é a "igreja que está em... Pérgamo... Tiatira... Esmirna... Filadéfia... e outros lugares mais"

Ä  Imagine se todos os irmãos resolverem deixar de vir aos cultos... A igreja pode fechar as portas... E o nome de Jesus será, se uma igreja fecha as portas por esse motivo, desmoralizado perante a sociedade.

Ä  Tenho um sermão escrito por alguém de nome Davis W. Huckabee, que fala sobre como matar uma igreja, isto é, como fazer com que uma congregação local feche as portas, deixe de existir. O autor fala sobre falta de oração, falta de contribuição financeira, egoísmo, teimosia rebelde, contenda dentro da igreja, mas fala também sobre ausência aos cultos promovidos pela mesma.

Ä  Escrevi essa reflexão, há muitos anos, em 2004, e vez por outra a tenho revisto e compartilhado com irmãos em Cristo, como estou fazendo hoje. Numa dessas ocasiões de compartilhamento, em 2007, compartilhei após visita a um irmão já falecido e que na época estava muito enfermo e a sua doença o impedia de frequentar os trabalhos da igreja. Esse irmão estava com o seu dízimo separado para ser entregue, o qual, segundo ele, era dado com muito amor e discernimento de que o mesmo era necessário. Emocionado esse irmão contou-me a conversa que teve com sua esposa, onde pensaram nas igrejas, aquela à qual ele pertencia, outra mais ali na frente, outra mais adiante... imaginou todas com as portas fechadas e na frente um cartaz escrito os motivos pelos quais elas estavam fechadas, dentre esses motivos, segundo o pensamento do irmão:

o   Porque os crentes começaram a pensar que não é necessário contribuir financeiramente;

o   Porque os crentes começaram a pensar que não é necessário frequentar os cultos da igreja.

Ä  Irmãos, a ausência frequente aos cultos é causa do enfraquecimento de muitos crentes. Helena Tobias conta o caso de um pastor da Nova Inglaterra, que, indo visitar um dos membros não assíduos aos cultos, encontrou-o sentado diante de uma lareira. Sem dizer uma palavra, o ministro pegou uma tenaz, tirou uma brasa viva do fogo, e colocou-a de parte, na pedra da lareira. Silenciosos, viram a brasa extinguir-se. Então, o membro exclamou: "O Senhor não necessita dizer-me qualquer coisa. Eu vou estar lá no próximo culto".

Ä  Amados irmãos, frequentar os cultos da igreja, para juntos orarmos, juntos adorarmos a Deus, juntos estudarmos a Palavra de Deus, fortalece a igreja de Jesus e é uma prova de que amamos o Senhor Jesus – porque a igreja é "invenção" dele, e ele fez dela a sua noiva e o seu corpo através do qual ele se manifesta neste mundo, manifesta seu amor às pessoas do mundo.

Ä  A terceira atitude que quero analisar com os irmãos hoje é:

 

O ZELO NA BUSCA POR APRENDER DE JESUS, POR MEIO DA PALAVRA, PARA CONHECERMOS E OBEDECERMOS AOS SEUS MANDAMENTOS.

 

(Demonstramos que amamos a Jesus quando somos zelosos na busca por aprender dele, por meio da Palavra, para conhecermos e obedecermos aos seus mandamentos)

 

Ä  Jesus disse, certa vez: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama... Quem não me ama não guarda as minhas palavras...” (João 14:21a e 24a RC)

Ä  Ter os mandamentos de Jesus e os guardar! Isso implica em aprendizado por meio da Palavra. E o aprendizado por meio da Palavra exige dedicação, zelo, estudo.

Ä  Sobre obedecer aos mandamentos de Cristo, Thomas Vincent, um puritano do século dezessete escreveu: “Vocês têm os mandamentos de Cristo. Vocês os guardam? Vocês os conhecem, mas vocês os praticam? O seu amor por Cristo é conhecido pela sua obediência a Ele. Se Cristo é o seu Amado, Ele é também o seu Senhor; se vocês têm verdadeira afeição por Ele, vocês se sujeitarão a Ele. Se vocês amam a Cristo, vocês procurarão agradá-lO. Vocês não são servos da carne, para cuidarem de agradá-la, mas são servos de Cristo para procurar, acima de tudo e de todos, agradá-lO. Se vocês amam a Cristo, vocês não só temem dar ocasião de ofensa para os homens, mas acima de tudo, vocês temem desagradar e ofender o seu Senhor. Vocês se esforçam para andar de modo que agrade a Cristo na forma de uma sincera e compreensiva obediência? Vocês obedecem a Cristo de todo o coração? Têm vocês respeito por todos os seus mandamentos? Vocês lamentam quando caem em sua obediência a Cristo? Se vocês podem dizer na presença do Senhor e dos seus corações  que vocês não vivem e não permitem a si mesmos viverem na prática de qualquer pecado conhecido que Cristo proíbe, nem na negligência de qualquer dever conhecido que Cristo ordena, essa é uma evidência segura do verdadeiro amor por Cristo.

 

CONCLUSÃO

 

Ä  O que vimos hoje, então, sobre essa assunto de amar a Cristo? Relembremos:

o   Demonstramos que amamos a Cristo quando ansiamos por sua presença conosco, conhecendo o significado todo dessa presença.

o   Demonstramos que amamos a Cristo quando somos zelosos quanto à frequência às reuniões / cultos promovidos pela igreja.

o   Demonstramos que amamos a Jesus quando somos zelosos na busca por aprender dele, por meio da Palavra, para conhecermos e obedecermos aos seus mandamentos.

Ä  Que Deus nos abençoe, e faça crescer em nós, a cada dia, o amor pelo Senhor Jesus.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário