sábado, 4 de junho de 2016

COM CRISTO NO BARCO TUDO VAI MUITO BEM

COM CRISTO NO BARCO TUDO VAI MUITO BEM

 

(Para pregar num culto onde as crianças do Departamento infantil descerão para participar)

 

1.    Dois cânticos que cantávamos quando crianças:

 

Meu barco e pequeno e grande e o mar, Jesus segura minha mão;

Ele e meu piloto e tudo vai bem, na viagem pra Jerusalém.

 

Para Jerusalém, nós vamos todos cantando...

 

Meu barco sem cristo ao céu não irá, nas águas afundará

Mas quando Jesus meu barco guiar, os céu poderei alcançar

 

xxxxxxxxxx

 

Com Cristo no barco tudo vai muito bem, vai muito bem, vai muito bem.

Com Cristo no barco tudo vai muito bem e passa o temporal.

 

Passa o temporal, Passa o temporal.

Com Cristo no barco tudo vai muito bem, e passa o temporal

 

2.    Bem, não é novidade pra ninguém que dificuldades estão incluídas no "pacote da vida", mas, como diz o cântico, "com Cristo no barco tudo vai muito bem".

3.    "Como assim pastor?" Você pode perguntar, e depois afirmar: "Na minha vida, mesmo com Cristo, as coisas não estão indo tão bem assim".

4.    Então vamos pensar um pouco nesse assunto hoje, na tentativa de entender como é que "com Cristo no barco tudo vai muito bem".

5.    Leiamos para isso Marcos 4.35-41:

 

“35 ¶ E, naquele dia, sendo já tarde, disse-lhes: Passemos para a outra margem. 36  E eles, deixando a multidão, o levaram consigo, assim como estava, no barco; e havia também com ele outros barquinhos. 37  E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia de água. 38  E ele estava na popa dormindo sobre uma almofada; e despertaram-no, dizendo-lhe: Mestre, não te importa que pereçamos? 39  E ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança. 40  E disse-lhes: Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé? 41  E sentiram um grande temor e diziam uns aos outros: Mas quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?” (Marcos 4:35-41 RC)

 

6.    Lido o texto consideremos agora algumas proposições:

 

I. Ir muito bem não significa ausência de dificuldades

 

1.    A presença de Jesus no barco com os discípulos não lhes garantiu calmaria constante; um temporal de vento os atingiu e eles quase foram a pique e ficaram muito amedrontados.

2.    Não foi um ventinho qualquer não. O texto diz que levantou-se um grande temporal de vento.

a.    "Grande" aqui é a tradução do termo megas – e todos sabemos o que esse termo significa. Quando se diz que alguma coisa é "mega", em se tratando de tamanho, por exemplo, quer-se dizer que esse algo é muito grande (mega sena, mega store, mega mac...)

b.    "Temporal" e "vento" é tradução de lailaps e anemos, que, segundo Strongs, indica um ataque violento de vento, uma tempestade com nuvens escuras que trazem trovoadas em vento furioso, com chuva em abundância, e lançando tudo em desordem.

3.    Então não foi um ventinho qualquer, foi um megalê anemou – um mega temporal. Se não o fosse não haveria razão para o pavor dos discípulos que, certamente, alguns deles, por serem pescadores, já eram acostumados com ventos tempestuosos.

4.    Então, Cristo no barco não significou ausência de dificuldades.

5.    Mas não foi só nesta ocasião que servos verdadeiros de Cristo passaram por dificuldades. Pensando só naqueles acerca dos quais não precisamos de mais do que as informações que temos nas páginas sagradas:

a.    Estêvão morreu apedrejado;

b.    Pedro esteve preso;

c.    João foi exilado na ilha de Patmos;

d.    Paulo... nem se fala! O próprio Jesus disse dele a Ananias que Paulo era um vaso escolhido para levar o Seu nome diante dos gentios, dos reis e dos filhos de Israel, mas disse também que lhe mostraria o quanto deveria padecer pelo Seu nome. E além disso Paulo tinha um "espinho na carne" ao qual Deus se recusou a tirar dizendo-lhe: "a Minha graça te basta, porque o Meu poder se aperfeiçoa na fraqueza".

e.    Os apóstolos em uma certa ocasião foram açoitados e ordenados a que não falassem mais no nome de Jesus; mas eles saíram do Sinédrio regozijando-se por terem sido achados dignos de sofrer afrontas pelo Nome de Jesus.

f.     E por aí vai...

6.    Olhando as Escrituras encontramos que dificuldades podem proceder de pelo menos três situações:

a.    Situação de pecado pessoal – João 5.1-14: próximo ao tanque de Betesda Jesus cura um homem que jazia enfermo a 38 anos. No verso 14, quando Jesus o encontra no templo, lhe diz: "Eis que já estás são; não peques mais, para que te não suceda alguma coisa pior".

b.    Situação de teste de nossa fé para provar sua genuinidade – “3 Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, 4  para uma herança incorruptível, incontaminável e que se não pode murchar, guardada nos céus para vós 5  que, mediante a fé, estais guardados na virtude de Deus, para a salvação já prestes para se revelar no último tempo, 6  em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações [provações], 7  para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo” (1 Pedro 1:3-7 RC)

c.    Situações normais da vida nesse mundo decadente – há muitos exemplos.

7.    Então, já sabemos que "ir muito bem" não significa ausência de dificuldades.

8.    Vejamos agora outra proposição:

 

II. Ir muito bem não significa não ter que fazer a nossa parte

 

1.    E qual é a nossa parte?

a.    R: Agir e crer.

2.    Era da responsabilidade dos discípulos controlar o barco em meio àquela tempestade. Eles não conseguiram e se desesperaram e Jesus lhes repreende a falta de fé.

3.    Em outra ocasião os discípulos se viram apertados diante de uma grande multidão à qual Jesus lhes mandara dar de comer. Depois de conseguirem apenas alguns pães e alguns peixinhos de um rapaz que estava entre a multidão, Jesus lhes manda organizar a multidão para distribuírem o alimento, e uma multidão de mais de cinco mil foi alimentada naquela tarde. Jesus realizou um grande milagre, mas não dispensou a ação dos discípulos.

4.    Por mais que Jesus possa agir por nós sem termos que fazer nada ele geralmente não age assim – temos que fazer o que nos cabe fazer e nos entregarmos nas mãos de Jesus, crendo que ele está sobre o controle de todas as coisas.

5.    Então, se você está desempregado, ore, clame a Jesus e creia, mas não fique em casa esperando que batam em sua porta – isso até pode acontecer, mas o normal é você sair em busca, depois de orar, com fé.

6.    Estão entendendo crianças? (se houver crianças no culto). Quando vocês nos pedem para orar pela prova que vão fazer na escola nós oramos, e vocês também oram, mas isso não os isenta de estudar. Nós oramos pelo futuro de você e vocês também oram, mas isso não isenta vocês de lutarem, fazerem a sua parte por esse futuro.

7.    Então, se assim o é, se ir muito bem não significa ausência de dificuldades e não significa estarmos isentos de fazer a nossa parte, o que significa?

8.    Esse é nosso próximo ponto, ou nossa próxima proposição.

 

III. Ir muito bem significa garantia de chegar a salvo ao "Porto Seguro".

 

1.    A tempestade se foi mediante a ordem de Jesus. Daí a pouco eles aportaram na aldeia dos Gadarenos e vivenciaram uma grande "aventura"... e daí a mais um pouco eles já estavam em outra praia, seguros, rodeados por uma outra multidão.

2.    Sua tempestade pode ser transformada em calmaria.

3.    Sua enfermidade pode ser curada.

4.    Seu problema, seja ele qual for, pode ser resolvido.

5.    Entretanto, quando digo que ir muito bem significa garantia de chegar a salvo ao "Porto Seguro", estou pensando em nosso "destino final", o último lugar onde vamos "aportar" e ficar para sempre.

6.    Sua tempestade pode ser transformada em calmaria... ou não...

7.    Sua enfermidade pode ser curada... ou não...

8.    Seu problema, seja ele qual for, pode ser resolvido... ou não...

9.    Mas se Cristo está no barco de sua vida você vai muito bem, porque nem anjos, nem principados, nem potestades, nem o presente, nem o porvir, nem altura, nem a profundidade, nem qualquer criatura e nem mesmo a vida ou a morte poderão lhe separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus. As aflições deste tempo presente nem de longe se comparam com a glória que em você será revelada. Você ainda não chegou "em casa", você ainda está indo para casa e é garantido que lá você chegará seguro porque Cristo está no barco de sua vida. Sua casa não é aqui, sua casa ou sua cidade está nos céus, de onde você também aguarda o seu Senhor e Salvador Jesus Cristo.

10. Já contei a história daquele missionário aposentado que reclamou com a mulher que ninguém viera recebê-los quando voltaram para casa vindos do campo missionário onde aturam muitos anos. Sua mulher lhe mandou falar/reclamar com Deus, e ele foi. E quando voltou da oração "reclamatória" (uma nova modalidade – rsss) sua mulher perguntou o que Deus lhe falara ao coração, e ele respondeu: "que eu ainda não estou em casa".

11. Com Cristo no barco nós vamos muito bem porque Cristo no barco da vida é garantia de vida eterna. “27  As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; 28  e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das minhas mãos. 29  Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las das mãos de meu Pai. 30  Eu e o Pai somos um.” São Palavras de Jesus em João 10:27-30.

12. Em outra ocasião Jesus disse que se alguém não estiver nele será lançado fora, assim como a vara de uma videira que não está mais ligada a ela, e como a vara será lançado no fogo e queimará. Mas nós estamos em Cristo, e se estamos em Cristo não seremos lançados fora.

13. Ir muito bem significa garantia de chegar a salvo ao "Porto Seguro"

 

Concluindo:

 

1.    Com Cristo no barco tudo vai muito bem.

2.    Não estamos isentos de dificuldades e não estamos isentos de fazer a nossa parte em meio às dificuldades, mas tudo vai muito bem porque o "barco" que é conduzido por Cristo está indo para o céu e é garantido que lá ele chegará.

3.    Apelo...

 

Muqui, Junho de 2016.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário