quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Estudos no Sermão do Monte / parte 37 - É PRECISO OUVIR E PRATICAR

 

É PRECISO OUVIR E PRATICAR

 

(Estudo 37 da série no Sermão do Monte – último da série)

 

1.    No estudo anterior refletimos nos versos 21-23 de Mateus 7, sob o tema "PROFISSÃO DE FÉ FALSA E OBRAS QUE ILUDEM". Pensamos no seguinte:

 

·        Nem toda profissão de fé é verdadeira e uma obra aparentemente cristã pode se revelar um falso demonstrativo da real condição espiritual de uma pessoa.

·        Não é errado dizer "Senhor, Senhor" – todos que pertencem verdadeiramente a Cristo dizem dele "Senhor, Senhor", e entrarão no reino dos céus. Entretanto, nem todos que dizem "Senhor, Senhor", pertencem a Cristo e entrarão do reino dos céus.

·        Todos que hão de herdar o reino de Deus fazem a vontade de Deus e fazem "coisas/obras" que refletem essa vontade. Entretanto, nem todos que fazem coisas que lhes dão uma aparência de estarem fazendo a vontade de Deus a estão fazendo de fato, e estes não herdarão o reino dos céus.

 

2.    Nos versos 24 a 27, Jesus continua na sua aplicação deste sermão, oferecendo-nos uma ilustração para dizer que a Palavra precisar ser:

a.    Ouvida;

b.    Entendida (ele não diz, mas isso é óbvio);

c.    E, acima de tudo, praticada.

3.    Veja o texto:

 

Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha.  E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.  E aquele que ouve estas minhas palavras e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia.  E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.” (RC)

 

4.    Entre estes dois homens, o prudente (sábio) e o imprudente (tolo), Existem semelhanças e diferenças:

a.    Semelhanças:

                                  i.    Ambos ouvem a Palavra – Ambos têm acesso à mesma Palavra;

                                ii.    Ambos constroem uma casa – E se a casa representa a vida cristã, ambos constroem uma vida que, olhando "a grosso modo", pode ser chamada de vida cristã (ou, pelo menos, vida religiosa);

                               iii.    Ambos vivenciam intempéries (chuvas, rios que transbordam e ventos)

b.    Diferenças:

                                  i.    Um pratica a Palavra e outro não;

                                ii.    Um constrói sobre fundamento sólido (a Rocha = Cristo e a Palavra de Cristo) e outro sobre a areia;

                               iii.    Um tem a sua casa destruída e outro permanece firme.

 

5.    Jesus não poderia ser mais claro nesta última aplicação do Sermão que ele acabara de pregar.

6.    Durante todo esse tempo em que estamos estudando esse sermão vimos, dentre outras coisas, que aquele que pertence a Deus

a.    É humilde de Espírito, significando isto que ele é alguém que

                                  i.    reconhece que diante de Deus nada é,

                                ii.    reconhece, como disse Dietrich Bonhoefer, a sua falência espiritual,

                               iii.    reconhece o quão nulo é diante de Deus, o quão pobre, o quão miserável é,

                               iv.    e reconhece a sua inteira dependência da misericórdia e da graça de Deus.

b.    É alguém que chora/lamenta o pecado em sua vida bem como na vida das outras pessoas;

c.    É manso, significando isto uma entrega a Deus da vontade pessoal;

d.    Tem fome e sede de Justiça – anelar por ser positivamente santo, por despojar-se do velho homem que se corrompe pelas concupiscências do engano e revestir-se do novo homem que é criado segundo Deus, em verdadeira justiça e santidade.

e.    É misericordioso;

f.      É limpo de coração – tem um coração destituído de hipocrisia;

g.    É um pacificador – alguém que trabalha em prol da paz entre Deus e o homem e entre pessoas;

h.    É alguém que se perseguido for por causa da justiça não se entristece e muito menos desenvolve um espírito rancoroso;

i.      É sal da terra e luz do mundo;

j.      Excede em justiça aos escribas e fariseus;

k.    É alguém que cumpre a lei de não matar, não só no sentido de não cometer homicídio literalmente, mas também no sentido de não nutrir ira em seu coração em relação a outras pessoas; não tratar com desprezo quem quer que seja e não matar com a língua, com palavras abusivas acerca de outras pessoas.

l.      É alguém que procura cumprir a lei de não adulterar, incluindo o adultério na mente e no coração;

m.   É alguém que trata com seriedade a questão do divórcio;

n.    É alguém que procura honrar sua palavra – "sim" é sim e "não" é não – não precisando ficar proferindo juramento a todo instante e em qualquer circunstância;

o.    É alguém cuja "filosofia", vivendo na graça, não é mais a de "olho por olho" e "dente por dente";

p.    É alguém que perdoa;

q.    É alguém que procura amar até aos inimigos, fazer o bem àquele que o odeiam e orar pelos que o maltratam e perseguem;

r.     É alguém que procura viver a vida reta não praticando boas coisas com o intuito de "ser visto pelos homens";

s.    É alguém que está preocupado e ocupado mais em ajuntar tesouros no céu do que na terra;

t.      É alguém que, ao invés de ficar ansioso, demasiadamente preocupado com as coisas necessárias desta vida, confia em seu Pai Celestial;

u.    É alguém que evita o julgamento errado ao outro;

v.     É alguém que "trabalha" pedindo, buscando e batendo, por seu progresso espiritual;

w.   É alguém que "faz aos outros" aquilo que gostaria que os outros lhe fizessem;

x.     É alguém que entra pela porta estreita e trilha pelo caminho apertado;

y.     E por aí vai...

7.    Mas, de que adianta tomar conhecimento de tudo isso se esse conhecimento não fizer nenhuma diferença prática em minha vida?

8.    De que adianta, por exemplo, eu saber que tenho que amar até meus inimigos, fazer o bem aos que me odeiam e orar pelos que me perseguem, e perdoar sempre... se na base da construção de minha casa/vida cristã, eu não incluo isso? Quando vierem os inimigos, os caluniadores, os perseguidores, os que me odeiam e investirem contra mim, o que vai acontecer? Eu vou cair, e será grande a minha queda.

9.    Construir a casa/vida cristã sobre a Rocha, que é Cristo, significa que tudo isso que Jesus nos ensinou deve estar presente na base de nossa construção. Doutra forma cairemos vergonhosamente quando as "intempéries espirituais" investirem contra nós.

10. O homem prudente "ouve e pratica" a Palavra de Jesus.

11. O homem prudente tem os seus ouvidos tapados para as tendências do presente século, para as opiniões de amigos e colegas, para os modismos, para os "achismos" ... e os têm bem abertos para Jesus.

12. O homem prudente permanece de pé, mesmo diante das "intempéries". Já o imprudente... "será grande a sua queda".

 

 

“E aconteceu que, concluindo Jesus este discurso, a multidão se admirou da sua doutrina,  porquanto os ensinava com autoridade e não como os escribas.” (Mateus 7:28-29 RC)

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves – 27 de Outubro de 2013

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário