quinta-feira, 22 de março de 2018

MESMO VIOLENTAMENTE PROIBIDOS ELES FALARAM DE JESUS



MESMO VIOLENTAMENTE PROIBIDOS ELES FALARAM DE JESUS

“... E, chamando os apóstolos e tendo-os açoitado, mandaram que não falassem no nome de Jesus e os deixaram ir. Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus. E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar e de anunciar a Jesus Cristo.” (Atos 5:40-42 RC)

Ø  Que coisa extraordinária! Que atitude! Quem de nós seria capaz de uma atitude dessa? Muitos têm sido em toda a história da igreja, a passada e a presente, com essa capacidade, eu sei, mas quem de nós, nós que compomos esta igreja, seria capaz de uma atitude assim? Quem não se acovardaria e continuaria a pregar o evangelho da salvação?
Ø  Voltemos um pouquinho na história para nos situarmos no contexto do episódio em questão; voltemos até o fato ocorrido com Ananias e Safira.
Ø  Por causa da perseguição houve uma grande dificuldade para os cristãos, e eles começaram a passar necessidades. Os crentes de Jerusalém, então, diante dessa dificuldade, começaram a repartir as suas posses. Preste bem atenção no que diz a Palavra do Senhor: “os crentes em Jerusalém”; não eram os bens da igreja, até porque nem sei se a igreja como tal já possuía algum bem material; eram os bens “dos crentes”. Cada um deles, os que quiseram, obviamente, individual e voluntariamente e por iniciativa própria, vendia as suas propriedades e até casas e entregavam o valor aos apóstolos que, por sua vez, “repartiam” ou “atendiam” aos necessitados “de acordo com a necessidade de cada um” (não indiscriminadamente e desordenadamente, mas organizadamente de acordo com a necessidade de cada um). Nesse contexto o casal Ananias e Safira entram na história; eles vendem uma propriedade e levam o valor aos apóstolos, porém não todo o valor, mas mentem dizendo que ali estava todo o valor. Eles não precisavam mentir; na verdade eles não precisavam nem participar daquela contribuição, mas por alguma razão participaram, mas mentiram, e a mentira foi considerada não como mentira aos apóstolos, mas ao próprio Deus na pessoa do Espírito Santo, e, por essa causa, eles caíram mortos. Parece que punição por mentir não foi uma exclusividade dos cristãos; era comum em outros grupos também, grupos que semelhantemente compartilhavam os bens. Segundo os manuscritos do Mar Morto, a punição seria a exclusão da refeição comunitária por um ano e a porção de comida reduzida a um quarto. Mas aqui foi diferente; foi mais severo; aqui Deus executa uma sentença de morte.
Ø  Diante desse acontecimento, houve grande temor em toda a igreja. Além disso, somos informados que muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos, e a igreja ia tomando o porte de uma grande multidão.
Ø  Aconteceu então, que o Sumo Sacerdote e os que com ele estavam se encheram de inveja e lançaram mão dos apóstolos e os prenderam em prisão pública. De noite, porém, um anjo do Senhor abriu as portas da prisão e tirou-os para fora, deixando perplexos a todos que se reuniram no outro dia para ouvi-los e julgá-los. “Os homens que encerrastes na prisão não estão na prisão, eles estão no templo ensinando ao povo acerca de Jesus”, disseram eles. Então eles os mandaram buscar e os repreenderam para que não falassem mais em nome de Jesus, ao que Pedro respondeu: “Mais importa obedecer a Deus do que aos homens. O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, ao qual vós matastes, suspendendo-o no madeiro. Deus com a Sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados. E nós somos testemunhas acerca dessas palavras, nós e o Espírito Santo que Deus deu àqueles que lhe obedecem”.
Ø  Diante dessas palavras, aquelas autoridades se enfurecem, mas Gamaliel, que, além do prestígio como aristocrata de Jerusalém, provavelmente era o líder fariseu mais importante da ocasião, aconselha-os a terem cautela, e eles dão ouvidos a Gamaliel. Daí chegamos, então, ao nosso texto que serve de reflexão para nós nesta oportunidade.

AÇOITADOS

Ø  Aí no texto vemos os apóstolos sendo açoitados.
Ø  O açoitamento como punição civil, sem a execução posterior da vítima, era castigo bastante conhecido, cujo propósito era infligir dor e humilhação pública. A lei judaica, nesse caso, permitia 39 golpes com chicote de couro de boi, sendo 26 golpes nas costas e 13 no peito.
Ø  Você se lembram de ler em 2 Coríntios que Paulo recebeu dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um, isto é, que ele foi, por cinco vezes açoitado e que os açoites foram 39 em cada vez?
Ø  Já imaginou uma situação dessa? Você está bem tranquilo anunciando o evangelho de Jesus e então vem alguém, o prende, o amarra em um tronco e desfere em você 39 chibatadas: 26 nas costas e 13 no peito; ou então lhe penduram pelos pés em uma árvore e enfiam sua cabeça um saco cheio de baratas e outros insetos; ou então ateiam fogo em sua casa; ou então lhe espancam até quase à morte; ou então lhe obrigam a fugir de seu país sob pena de ser levado à praça pública e ter sua cabeça separada do resto do corpo por um facão caso não fuja...
Ø  Estas e muitas outras são todas situações reais ainda nos dias de hoje, por causa da pregação do evangelho.

PROIBIDOS DE FALAR DE JESUS

Ø  Depois de açoitados os apóstolos são proibidos de falar em nome de Jesus. Proibidos, portanto, de proclamar o evangelho da salvação. Violentamente proibidos. Proibidos sob ameaça.

ALEGRES POR TEREM SIDO JULGADOS DIGNOS DE PADECEREM AFRONTAS POR JESUS.

Ø  Porém, “interessantemente”, ao invés de se sentirem humilhados, envergonhados e acuados, e de considerarem a “ordem” dada, os apóstolos se regozijam por terem sido julgados dignos de padecerem afrontas por Jesus, e logo em seguida nós os encontramos:

FALANDO DE JESUS TODOS OS DIAS NO TEMPLO E NAS CASAS

Ø  Prestem bastante atenção! Eles foram proibidos, mas, mesmo proibidos, falaram de Jesus:
o   Todos os dias;
o   No templo;
o   E nas casas.
Ø  Lembrem-se de que eles foram açoitados e soltos por causa da intervenção de Gamaliel. Claro que a gente sabe que por trás da intervenção de Gamaliel estava a mão de Deus, mas, humanamente falando, a intervenção de Gamaliel os salvou de algo ainda pior; eles poderiam, por exemplo, terem sido entregues ao que na época era chamado de “linchamento legal”.
Ø  A despeito disso, eles são encontrados, ali mesmo, todos os dias, no templo e nas casas, falando de Jesus.

ALGUNS ACONTECIMENTOS ATUAIS

Ø  Deixando de lado um pouquinho os apóstolos naquela ocasião, veja algo do que está acontecendo hoje com crentes em Jesus ao redor do mundo, só por serem crentes em Jesus e por pregarem o evangelho; só alguns poucos exemplos, exemplos de crentes que mesmo sofrendo permanecem fiéis e continuam a dar testemunho de Jesus:
1)    Jovem de 20 anos convertido ao evangelho é amarrado e espancado pela família por 12 horas, para negar a Jesus;
2)    Cristã recusa conversão ao islamismo e marido apóstata espanca filhas em retaliação;
3)    Extremistas muçulmanos sequestram e decapitam filha recém-nascida de cristã no Egito;
4)    Cristão egípcio se recusa a negar a Jesus em troca de ficar vivo e é executado a sangue frio;
5)    Muçulmanos invadem igreja e estupram 15 fiéis em retaliação a trabalho evangelístico;
6)    Boko Haram, grupo extremista que prega a extinção do cristianismo na Nigéria e o completo rompimento com a cultura ocidental, já destruiu mais de 900 igrejas no norte da Nigéria;
7)    Mais de 90.000 cristãos foram mortos em 2016 por seguirem a Jesus Cristo.
Ø  Todos esses acontecimentos são recentes, de 2016 para cá. A notícia com mais detalhes sobre cada um deles pode ser vista no site GospelMais.

POR QUE?

Ø  Por que se submeter a isso e ainda mais por causa de Jesus Cristo?
Ø  A resposta daqueles que creem é relativamente simples para aqueles que creem:
1)    É porque Jesus é o Cristo, o Filho do Deus Vivo;
2)    É porque Jesus é aquele que tem as palavras de vida eterna;
3)    É porque em nenhum outro há salvação e debaixo do céu nenhum outro nome há em que devamos ser salvos;
4)    É porque Jesus é o caminho, a verdade e a vida e ninguém vai ao Pai se não for por ele;
5)    É porque Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo;
6)    É porque o evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que vier a crer;
7)    É porque Jesus é o Verbo que estava no princípio com Deus e que é o próprio Deus por meio de quem todas as coisas foram feitas e sem o qual nada do que foi feito se fez;
8)    É porque Jesus é aquele que era, que é e que há de vir;
9)    É porque ele é a única esperança das nações.

E VOCÊ? E NÓS?

Ø  Quando é que você foi açoitado por falar de Jesus? Se é que foi alguma vez!
Ø  Quando é que você foi proibido de falar de Jesus? Se é que foi alguma vez!
Ø  NÓS NO BRASIL NÃO SOMOS (AINDA) AÇOITADOS POR FALAR DE JESUS;
Ø  NÓS NO BRASIL NÃO SOMOS (AINDA) PROIBIDOS DE FALAR DE JESUS;
Ø  E NÓS ESTAMOS FALANDO DE JESUS? VOCÊ ESTÁ FALANDO DE JESUS?
1)    Quando?
2)    Onde?
Ø  E se não, POR QUE?
1)    Não crê? Não cremos? Mais acima consideramos que a causa de muitas pessoas, incluindo os apóstolos naquela ocasião, se submeterem até ao sofrimento, mas pregarem o evangelho da salvação em Cristo, era que eles criam naquilo que a Bíblia revela sobre Jesus e o evangelho.
2)    Não queremos que as pessoas se convertam, assim como Jonas em relação aos ninivitas?
3)    Estamos ocupados demais?
4)    Preguiça?
5)    Indiferença?
6)    Medo?
7)    Vergonha?
Ø  Qual é o MEU motivo? E qual é o SEU?

AÇOITADOS... PROIBIDOS... MAS ALEGRES, NÃO POR TEREM SIDO AÇOITADOS, MAS PELA RAZÃO PELA QUAL FORAM AÇOITADOS... E FALANDO DE JESUS MESMO VIOLENTAMENTE PROIBIDOS...

Ø  Isso nos diz alguma coisa?

Pr. Walmir Vigo Gonçalves
Igreja Batista em Muqui – Março de 2018

FONTES UTILIZADAS:

1)    Site Gospel Mais
2)    Comentário Histórico-Cultural da Bíblia – Novo Testamento – Craig S. Keener – Vida Nova

Nenhum comentário:

Postar um comentário